Imagem de Irmã Dulce é novo cartão-postal da capital baiana

Uma escultura de mais quatro metros e quase uma tonelada é o novo atrativo do Memorial de Irmã Dulce, instalado no Largo de Roma, em Salvador, junto à sede da instituição criada para cuidar dos pobres da Bahia. A imagem retrata a freira, beatificada em 2011, com uma lamparina nas mãos. No local está instalado o memorial, que é um dos ícones do turismo religioso na capital baiana e recebeu mais de 81 mil visitantes em 2016.

Durante celebração presidida pelo frei Mário Erky, na noite desta sexta-feira (6), a imagem foi apresentada a fiéis, pacientes das Obras Sociais de Irmã Dulce (OSID) e autoridades, como o secretário estadual de Turismo, José Alves. O evento abriu o calendário de homenagens em memória aos 25 anos da morte de Irmã Dulce.

“A escultura agora é mais um cartão-postal de Salvador. Além do bairro de Roma, ela pode ser vista a partir de diversos pontos da cidade, como Liberdade e Santo Antônio Além do Carmo. Quem fizer a travessia para a Ilha de Itaparica também poderá ver a bela imagem enquanto navega nas águas da Baía de Todos-os-Santos”, comemora Alves.

Para Maria Rita Pontes, superintendente da OSID, a imagem – já utilizada na montagem de um presépio da Arquidiocese de Salvador – ocupa local de destaque, a 20 metros do solo, e representa “um ponto de luz a iluminar a cidade”.

Turismo Religioso – Após a celebração, o assessor de Memória e Cultura das Obras Sociais de Irmã Dulce (Osid), Osvaldo Gouveia, explicou que os registros de visitação vêm aumentando nos últimos anos, depois da beatificação da freira. “Entre dezembro do ano passado e o início de janeiro, o movimento tem sido significativamente maior que nos períodos anteriores. Somente no último sábado (31/12), 430 pessoas visitaram nossas instalações”, explicou o Gouveia, que destacou ainda a forte presença de sergipanos, pernambucanos, paulistas, cariocas, mineiros e gaúchos.

Localizado no Largo de Roma, o memorial é aberto à visitação de terça a domingo, das 10h às 17h, e reúne objetos pessoais, fotografias e obras de arte que representam a vida de Irmã Dulce. Entre os destaques estão imagens, como um Santo Antônio, e a mobília do quarto da religiosa. Uma lojinha vende artigos religiosos e lembranças como forma de arrecadar recursos para a manutenção do local.

Assim como o Centro Histórico, a Península de Itapagipe é uma das regiões de Salvador com grande número de atrativos para o turismo religioso. Dentre eles estão o Memorial de Irmã Dulce e as igrejas do Bonfim, de Monte Serrat, Boa Viagem e Mares, por exemplo.

Equipe da Redação

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo