Latam lança perfis tarifários e começa a vender alimentação

Por Camila Lucchesi

Agora é oficial. Na manhã de hoje, a Latam formalizou um novo modelo de negócios que inclui quatro diferentes perfis tarifários e a venda de alimentação a bordo, seguindo uma estratégia que já havia sido anunciada em novembro do ano passado. Jerome Cadier, presidente da Latam Airlines Brasil, definiu as mudanças como essenciais para garantir a competitividade dentro de uma indústria em transformação. “O mercado atual é mais complexo, especificamente no Brasil. E não falo apenas de questões macroeconômicas, mas da mudança no perfil de consumo do cliente. Hoje, a passagem aérea é modular e é o passageiro que escolhe como prefere voar”, disse Cadier em entrevista coletiva.

Segundo o executivo, a ideia de estabelecer tarifas diferenciadas – incluindo opções mais acessíveis e parâmetros que atendem a uma gama maior de clientes – cria um círculo virtuoso que inclui aumento de demanda, melhor uso dos ativos e mais eficiência operacional. “Vivemos um longo período de demanda retraída, inédita e sem expectativa de retomada”, disse. “Nosso desafio é voar o máximo possível e temos espaço para crescer no Brasil, pois o País registra apenas 0,5 na média de viagem per capta, enquanto o Chile conta com 0,95, os Estados Unidos têm 2,5 e a Grã Bretanha tem 3”, complementou Cadier.

Novos perfis

Os passageiros de voos domésticos da Latam Airlines poderão optar entre quatro diferentes tarifas: Promo, Light, Plus e Top. Em todas elas, é possível embarcar com um volume de mão de até 10 quilos sem custos; já a bagagem despachada tem valores tabelados de acordo com a categoria e com o momento da compra. Bilhetes Promo e Light têm cobrança de R$ 30 por mala despachada, contanto que a compra do serviço seja feita no momento da emissão passagem. Para quem comprar pelo site, call center, agências ou aplicativos após a emissão paga R$ 50 por volume e aqueles que deixarem para comprar no aeroporto – seja no totem ou no balcão de check-in – desembolsam R$ 80. Clientes Plus não pagam para despachar uma mala de até 23 quilos e os Top têm direito a dois volumes de 23 quilos despachados sem custo. Os valores ainda não foram divulgados, mas, segundo Cadier, a diferença em preço entre uma e outra categoria deverá variar entre R$ 30 e R$ 50.

Os perfis definem outras mudanças como reserva de assento, serviço incluído nos perfis Plus e Top. Já as tarifas Promo e Light terão gratuidade apenas durante o período de lançamento, em caráter promocional. Procedimentos de reembolso, alterações e acúmulos de pontos no Multiplus têm regras específicas para cada perfil tarifário (confira na imagem abaixo). Com as mudanças, a projeção da companhia é aumentar em 50% o número de passageiros transportados e reduzir em até 20% o valor médio da tarifa mais barata disponível para voos domésticos até 2020. “As mudanças nos permitem ser bastante agressivos na precificação de Promo e Light, perfis que podem registrar queda no valor da passagem superior a 20%”, afirmou.

Ele não revelou, entretanto, qual é a projeção em relação às mudanças tanto em termos de custos quanto em receita. “No caso do serviço de bordo, a operação deve ser neutra. Gastávamos para todos os passageiros e agora haverá um custo único mais alto, mas a receita proporcional permite suprir. Em tarifas, acreditamos que teremos crescimento em receitas auxiliares. E vamos estimular a demanda, teremos mais gente voando”, explicou. As alterações serão feitas de forma gradual ao longo das próximas três semanas para que as mudanças sejam conhecidas e sentidas pelos passageiros. “Entramos em uma fase de educação, para explicar ao passageiro como ele deve comprar e como ele pode voar”, definiu.

Mercado Latam

Lançada nas últimas semanas no Chile, Peru, Colômbia e Argentina, a loja de alimentação a bordo agora chega ao Brasil. Batizada de Mercado Latam, ela irá servir 52 itens entre bebidas, lanches, wraps, saladas, petiscos e opções saudáveis –  incluindo receitas vegetarianas, veganas, kosher, livres de glúten e de lactose. Os clientes poderão comprar os produtos individualmente ou em “combos” montados em um cardápio que é válido para qualquer voo doméstico, mesmo os de curta duração. Além de alimentos diferenciados, o Mercado Latam propõe adequação ao horário do voo. Assim, há sugestões para café da manhã, almoço, café da tarde, happy hour e jantar.

Nessa fase inicial, os produtos serão vendidos exclusivamente a bordo – com pagamento em dinheiro ou cartão de crédito – e valores que começam em R$ 4 para itens avulsos (café Suplicy ou chás das marcas Leão e Twinings), R$ 14 pra o combo  com bebida quente (misto quente ou salada de frutas com granola mais uma bebida quente) e R$ 25 para o combo com bebida fria (a escolher entre dois sabores de sanduíche mais uma bebida que pode ser refrigerante, chá gelado, sucos, água de coco ou achocolatado). A combinação de wrap vegetariano com bebida fria também sai por R$ 25, mesmo preço cobrado para uma salada fresca e bebida fria. O combo de doces (dois brigadeiros ou um pedaço de bolo de banana com uma bebida quente) custa R$ 9.

Os valores foram fixados de acordo com uma pesquisa prévia feita pela companhia em relação aos preços médios cobrados nos aeroportos brasileiros.

 

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo