Clovis Casemiro

Mercado corporativo e de lazer LGBT

Diretores da Accor durante o encontro do Fórum das Empresas e Direitos LGBT

Por Clovis Casemiro*

Estou muito feliz e realmente orgulhoso por várias razões que quero dividir com você que trabalha no trade de turismo brasileiro e que ainda não tem noção do tamanho do mercado LGBT em nosso País e do que podemos oferecer a estes milhares de turistas ávidos em viajar pelo Brasil e pelo Mundo, onde somos bem-vindos.

Quero começar pelo lado mais “difícil”, digamos assim: emprego e crescimento para quem é LGBT. Este é um tema muito delicado, mas que tem de ser estudado. Pois, sem emprego, essa massa de turistas pode ser reduzida a números baixos, o que irá refletir nos negócios de forma geral – nos ramos de hotelaria, agências, operadoras, empresas aéreas, etc. Pensando nisso, algumas empresas de forte impacto mundial se juntaram para criar o “Fórum de Empresas e Direitos LGBT” que trouxe este tema para discussão com resultados inacreditáveis e muito positivos para nossa comunidade e ao País como sociedade.

Acredito que é a primeira vez que um Fórum reúne sete CEOs/presidentes em um único encontro para discutir, analisar e concluir como tratar suas equipes e clientes LGBT.  Esse evento histórico aconteceu durante o 13º Fórum, realizado em 24 de maio, na sede da Dow Brasil. Pudemos ouvir CEOs da Microsoft, Schneider Eletric, PwC, Dow e Bayer – que a grande maioria de vocês conhece por serem internacionais – e dois CEOs/proprietários de escritórios de advocacia muito importantes no Brasil Tozzini Freire Advogados e Mattos Filho Advogados. Com temas bem focados para serem discutidos não somente em nosso País, como em toda a América Latina. Lembrando que, infelizmente, o Brasil tem um índice muito alto de assassinatos de LGBT por motivo de homofobia.

Foi incrível poder ouvi-los falando do segmento com tanta naturalidade, discutindo a importância dele para o crescimento financeiro de suas empresas em todo o mundo, com base no respeito às diferenças. Vale ressaltar que eles não foram substituídos por representantes, eles participaram pessoalmente do evento que contou com cerca de 300 pessoas presentes, executivos e colaboradores de IBM, Coca-Cola, Shell, Accor, Marriott, Delta Airlines, Dell, bem como representantes de grupos LGBT e convidados do Fórum.

O evento foi finalizado com a participação do casal lésbico mais importante em nosso País Daniela Mercury e Malu que, em 2015, foram escolhidas pela Organização das Nações Unidas como embaixadoras da campanha contra homofobia no mundo. Elas foram muito positivas em elogiar o avanço das empresas, mas disseram que ainda falta a participação mais ampla e ativa da própria sociedade. Elas deram alguns exemplos dos “problemas” enfrentados com suas filhas na escola, do “machismo” que ainda impera e da pior fase em nossa política. Convido vocês a ver o vídeo da ONU sobre este importante trabalho das duas em prol de um mundo melhor.

Quem participou teve momentos de muito impacto, muita emoção e o vislumbre de “uma luz no fim do túnel” para que a comunidade LGBT possa realmente estar livre para crescer, se desenvolver, ser quem é em seu ambiente de trabalho, poder colocar a foto do marido, esposa, filhos em suas mesas de trabalho com honra e contando com o respeito de seus colegas. No Brasil, o significado é muito forte para todos os grupos LGBT.

Algumas notas importantes durante o evento que gostaria de trocar com todos:

– O painel com os CEOs foi realmente impactante e colocou uma força positiva para toda a comunidade LGBT no Brasil;

– A assinatura do acordo entre a IGLTA e o Fórum foi assinada no evento por Reinaldo Bulgarelli, secretário-executivo do Fórum, e de Adriana Ferreira, líder de diversidade & inclusão da IBM Brasil, responsável pelo Comitê Gestor do Fórum;

– Accor Hotels foi representada por seus diretores (veja no vídeo) sendo a primeira empresa do Turismo a ser membro do Fórum – com interesse na melhor parceria com seus membros e com outros grupos LGBT;

Qual é a conclusão? Agora as agências podem também “sair do armário” junto com estes colaboradores que, mesmo viajando a trabalho, querem ter certeza de estar em um ambiente friendly. Querem respeito e atenção das empresas de turismo e de sua cadeia de serviços. Respeito é bom e melhora os negócios.

Minha segunda razão de orgulho é a participação do Brasil na 34ª Convenção Global da IGLTA, que aconteceu em St.Pete/Flórida (EUA), de 04 a 06 de maio, com cerca de 400 participantes, mais de 30 países representados e muito negócios gerados nos seminários, reuniões, apresentações e eventos de networking.

Estiveram representadas empresas de receptivo, agentes de turismo, hoteleiros, novos aplicativos que estão chegando ao mercado. O almoço patrocinado pela Embratur foi um sucesso, com a presença de importantes players internacionais como Disney, redes hoteleiras, órgãos como a ONU, Associação Americana de Agentes de Turismo e outros países, concorrentes nossos. Todas as informações sobre a Convenção podem ser acessadas pelo link ou na página do Facebook.

Para finalizar, conto o relato de uma viagem que fiz a convite da Secretaria de Turismo de Santa Catarina, estado que tem grupo de trabalho voltado para o Turismo LGBT. Passamos por Florianópolis, Balneário de Camboriú, Itajaí e Praia do Estaleiro. Florianópolis foi a primeira cidade na América Latina a receber uma convenção da IGLTA, em 2012, que foi um grande sucesso em vários sentidos. Ricardo Medeiros, responsável pelas Paradas do Orgulho de Floripa e de Balneário, tem muitos planos para o retorno do crescimento do Turismo LGBT no estado, incluindo as regiões serranas. Fiquei muito orgulhoso em poder promover um debate sobre o assunto com os principais representantes locais, incluindo a rede Accor e o Parque Beto Carrero World. Teremos novidades para nossa comunidade em breve!

Como podem notar é muito trabalho em desenvolvimento e pronto para que agentes e operadores possam trabalhar este mercado de forma mais assertiva. Teremos mais uma ótima oportunidade no evento de 13 de Junho de 2017 em São Paulo, para discutir como os agentes podem tirar proveito destas informações, como se atualizar e oferecer produtos que possam trazer resultados econômicos para nossa cadeia de empresas, bem como oferecer produtos aos turistas LGBTs. Considere o Trans como o próximo avanço para que tenha melhores e mais seguras viagens.

 

Excelentes viagens e negócios para todos.

Abraços!

 

* Clovis Casemiro ingressou no turismo em 1979, com passagens por empresas como Othon, Sheraton, Caesar Park, Blue Tree e CVC Viagens. Membro ativo da diretoria da IGLTA desde 1998 – hoje atuando como coordenador da associação para o Brasil –tem como missão unir as empresas da nossa indústria com interesses no segmento LGBT. Ele escreve mensalmente para o Brasilturis. Contato: clovis.casemiro@iglta.org

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Topo