Abav-SP e Aviesp promovem iniciativas para reduzir impactos do Covid-19

A Aviesp e a Abav-SP se uniram a campanhas, como a “Adia!” e realizaram negociações com companhias marítimas e estabeleceram debate com Procon-SP

Abav-SP e Aviesp
Marcos Lucas, presidente da Aviesp, e Fernando Santos, presidente da Abav-SP (Foto: Acervo/Brasilturis)

A Associação Brasileira de Agências de Viagens de São Paulo (Abav-SP) e a Associação das Agências de Viagens do Interior do Estado de São Paulo (Aviesp) vem reforçando os canais de atendimento aos associados.

“Neste período de tensão, precisamos colaborar e ordenar cada passo para ir na direção certa. Todas as medidas tomadas até o presente momento visam a segurança de nossos agentes de viagens. Estamos nos adequando neste cenário e a união do setor será de essencial importância para ir em busca de soluções efetivas”, comenta Marcos Lucas, presidente da Aviesp.

Fernando Santos, presidente da Abav-SP, complementa Lucas por afirmar que resoluções está sendo procuradas para garantir o melhor caminho para a economia e segurança dos colaboradores. “O Turismo impacta diretamente outros segmentos e estamos juntos, buscando diversas medidas para minimizar a situação”, ressalta.

Confira, abaixo, algumas ações conquistadas nos últimos dias pelas entidades:

Campanha Adia!                 

A Abav Nacional, em união com empresas e associações, lançou a campanha “Adia!”, que incentiva os passageiros a remarcarem suas viagens ao invés de cancelar. A ação foi referendada pela edição da Medida Provisória 925/20, que determinou que fossem remarcados sem multa bilhetes aéreos para até 12 meses contados da data do voo cancelado com agências fazendo intermediação.

Negociações

Foram promovidas negociações e interseções com companhias de cruzeiros marítimos, que estavam dificultando a remarcação ou cancelamento de passageiros. Como resultado, foram concedidas cartas de crédito aos clientes para uso na próxima temporada.

Linhas de crédito

O programa de Crédito turístico, uma iniciativa da Desenvolve SP e da Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo, tem como objetivo viabilizar o acesso ao crédito de empresas e municípios. Instituições presentes no Cadastur terão direito a solicitação das linhas de crédito para restaurar seus negócios.

Os recursos podem ser destinados a capacitação de empreendedores, empréstimos a microempreendedores, pequenas e médias empresas, cooperativas ou associações, além de modernização dos locais e linhas para capital de giro. O limite da vantagem varia conforme estabelecimento e faturamentos. Os interessados podem acessar este link.

Debate com o Procon-SP

As entidades se reuniram com o Procon-SP e debateram temas relevantes para os profissionais de Turismo. A fundação reconhece que é necessário manter o comissionamento das agências preservados, já que fizeram trabalho de venda e, agora, atual no retrabalho de remarcação. Além disso, foi discutido uma normativa, via lei ou comunicado, para que todo o mercado tenha disponibilizado cartas de crédito, mantendo o caixa das empresas sadio, não provocando pedidos de reembolso em massa, que podem complicar o setor.

Como resultado, o Procon-Sp compartilhará informações para conhecimento dos outros estados e da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), para que sejam repassadas essas orientações ao consumidor no âmbito nacional.

Cartas de crédito

Essas iniciativas resultaram em cartas de créditos, que visam minimizar os impactos da pandemia do Covid-19 nos setores de feiras, eventos, operadoras e agentes de viagens, para serem usadas dentro de 12 meses, mantendo ativo o mercado pós-surto.

Isenção de tributos

Entidades do mercado nacional requereram aos governos federal e estadual revisão de políticas de cobranças de tributos para isentar o setor pelo mínimo de 90 dias. Além disso, solicitam que sejam adiado, pelo menos período, os depósitos do fundo de garantia (FGTS). Em resposta, o governo federal editou normativas para que pequenas empresas pudessem postergar para o final do ano o pagamento do Simples e do FGTS nos próximos 90 dias.

Termo Aditivo Emergencial à Convenção Coletiva

O Sindetur-SP, com o apoio das entidade do Turismo, firmaram o Temro Aditivo Emergencial à Convenção Coletiva, que estabelece condições mínimas de trabalho, que poderão ser adotadas pelas agências de Turismo neste momento de crise. O documento apresenta medidas de redução temporária de salário e de jornada de trabalho, alteração dos contratos de emprego para modalidade home office, antecipação e/ou concessão de férias coletivas, além de outras ações.


Deixe uma resposta