Abeta presente na Rio+20

Por: Camila Oliveira

No próximo dia 23 de junho, a Rio+20 abre espaço para o debate sobre fomento ao turismo em Unidades de Conservação. O painel acontece às 9h no Espaço SEBRAE de Educação e conta com representantes do Sebrae Nacional, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (ABETA).

 

Compõem o painel: a gerente da Unidade de Atendimento Coletivo – Serviço (UACS) do Sebrae, Ana Maria Coelho; o coordenador Geral de Uso Público e Negócios do ICMBio, Ernesto Castro; e o conselheiro Abeta, Gustavo Timo. Além disso, a gestora de Turismo do Sebrae RJ, Marisa Cardoso, acompanha de perto o debate e apresenta o caso do Parque Nacional da Serra dos Abeta presente na Rio+20

 

No próximo dia 23 de junho, a Rio+20 abre espaço para o debate sobre fomento ao turismo em Unidades de Conservação. O painel acontece às 9h no Espaço SEBRAE de Educação e conta com representantes do Sebrae Nacional, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura (ABETA).

 

Compõem o painel: a gerente da Unidade de Atendimento Coletivo – Serviço (UACS) do Sebrae, Ana Maria Coelho; o coordenador Geral de Uso Público e Negócios do ICMBio, Ernesto Castro; e o conselheiro Abeta, Gustavo Timo. Além disso, a gestora de Turismo do Sebrae RJ, Marisa Cardoso, acompanha de perto o debate e apresenta o caso do Parque Nacional da Serra dos Órgãos, um dos contemplados pelo projeto Fomento ao Turismo em Parques Nacionais e Entorno.

 

Para o presidente da Abeta, Jean-Claude Razel, participar ativamente da Rio+20 é uma oportunidade única para a entidade. “O fomento do Turismo em Unidades de Conservação é um tema que está na pauta da Abeta há algum tempo. Ano passado realizamos, paralelamente ao Abeta Summit, o 1 Encontro Brasileiro de Turismo em Parques. Trazer este debate para dentro de um evento do porte da Rio+20 é um passo importantíssimo. Esta conferência já faz parte da história”, disse.

 

Quem endossa a necessidade de debater o tema na Rio+20 é o coordenador Geral de Uso Público e Negócios do ICMBio, Ernesto Castro. “A sustentabilidade ambiental passa por mudanças de comportamento, de hábitos de consumo e mudanças profundas no sistema econômico, mas, sem dúvida, Unidades de Conservação é a estratégia mais efetiva e amplamente difundida no mundo para se conservar a biodiversidade. E o turismo é um dos aspectos importantes para a gestão e o sucesso das áreas protegidas. Este tema não pode ficar de fora da maior conferência ambiental do mundo.

 

Para a gerente da Unidade de Atendimento Coletivo – Serviço (UACS) do Sebrae, Ana Maria Coelho, o crescimento das viagens de natureza e o aumento de demanda gerado pelos grandes eventos esportivos que acontecerão no Brasil são alguns dos motivos para o debate. Dentre os segmentos do turismo, o que apresenta maior crescimento nos últimos anos é o ecoturismo. Em decorrência dos grandes eventos esportivos que ocorrerão no País, o Brasil deve ampliar seu fluxo de turistas nacionais e estrangeiros nos próximos anos.

 

Associativismo, empreendedorismo, sustentabilidade, uso público, possibilidade e importância das visitações, e Ecoturismo e Turismo de Aventura nas UCs e entorno são pontos fundamentais do painel. O presidente da Abeta acredita que dar continuidade à discussão iniciada durante o 1º Encontro Brasileiro de Turismo em Parques beneficia todos os envolvidos e significa que o debate começa de forma mais encorpada, mais madura. “A largada já foi dada e estamos em um nível mais avançado da discussão, o que é muito enriquecedor. As pessoas presentes no Espaço Sebrae de Educação podem colaborar de forma ativa e trazer outros olhares para a questão”, reforça Razel.

 

Castro enfatiza a validade da discussão: “Todos os eventos que tem como objetivo aproximar os operadores turísticos dos gestores de UC são importantes para fortalecer as atividades turísticas nestas áreas e consolidá-las como importantes ativos nas economias locais”.

 

“A ideia é identificar o público-alvo e mapear as ações que podem ser desenvolvidas junto a ele, de acordo com a missão do Sebrae, que é promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos de micro e pequeno porte. A maioria das empresas no entorno de UC se enquadram nesta categoria. Portanto, é fundamental promover a integração da cadeira produtiva, por meio do associativismo, por exemplo, como uma das maneiras de fomentar o empreendedorismo”, complementa Ana Maria.

 

No mesmo dia, das 11 às 13 horas, acontece outro debate essencial para o Ecoturismo e o Turismo de Aventura. O painel “A importância dos Programas de Certificação para o Turismo Brasileiro” tem como pano de fundo a sustentabilidade das empresas que atuam na atividade turística revestida em diferencial competitivo e mostra que os programas de certificação são uma oportunidade para os empreendedores.


CO

Deixe uma resposta