Abla: locadoras de veículos alcançam 49,6 milhões de usuários em 2019

Mesmo com perspectivas baixas para este ano devido ao novo coronavírus (Covid-19), o setor apresentou consolidação no ano passado e entrou no cotidiano do brasileiro

ABLA
Paulo Miguel Junior, presidente do Conselho Nacional da Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla).

Com percepção de que o brasileiro tem adotado mais o aluguel de carros, a Associação Brasileira das Locadoras de Automóveis (Abla) informou que o número de diárias chegou a 49,6 milhões em 2019. O índice foi divulgou nesta terça-feira (17), na apresentação oficial do anuário da entidade.

De acordo com Paulo Miguel Junior, presidente da Abla, os resultados tem relação direta com a mudança de comportamento do cliente no País. “O brasileiro conheceu os benefícios de ter um carro alugado e se acostumou a utilizá-lo. A ideia de posse foi deixada de lado por alguns e entendeu-se que o aluguel é fácil e não tão caro”, disse.

Além disso, a venda direta cresceu 45% no setor, com um milhão dos veículos sendo comprados dessa forma pelas locadoras. O estudo mostrou também que, ao todo, 80% das empresas do setor possuem frota própria, sendo responsável também pelo emplacamento de 22,8% dos carros no Brasil.

Abla: outros dados

Aplicativos

Além do aluguel de longa duração para pessoas físicas, o bom desempenho no número de usuários vem de motoristas de aplicativos. Segundo Miguel, o segmento tem um potencial de crescimento dentro do universo das locadoras. De 997.416 mil veículos locados, entre 150 e 200 mil estão com motoristas.

Resultados

Quanto ao faturamento bruto anual das locadoras de veículos, o setor atingiu R$ 21,8 bilhões no ano passado, além do faturamento líquido de R$ 19 bilhões. Em 2018, o faturamento bruto do setor havia sido de R$ 15,3 bilhões, com faturamento líquido de R$ 13,9 bilhões.

Empregos

No âmbito nacional, o número de empregos diretos atingiu 75.104 mil postos de trabalho, variação positiva de 3.497 mil vagas a mais do que em 2018.


Deixe uma resposta