Abracorp e Azul discutem aviação em encontro virtual

De acordo com os dados do BI Abracorp, a Azul liderou o ranking da movimentação do segundo trimestre, concentrando os 40,8% do montante registrado no mercado de voos domésticos

Abracorp
Gervasio Tanabe, diretor executivo da Abracorp

Nesta semana, a Azul participou do encontro virtual da série “Retomada”, promovido pela Associação Brasileira de Agências de Viagens Corporativas (Abracorp). Na ocasião, John Rodgerson, Chief Executive Officer da Azul Linhas Aéreas; Abhi Shah, Chief Revenue Officer e Antonio Américo, Diretor Comercial, representantes das agências de viagens associadas foram informados sobre o salto de 70 para 400 voos domésticos.

“A previsão é chegar em dezembro com 60% da capacidade, considerando a base de 950 voos dia, que era voado por nós antes da pandemia – o que daria em torno de 570 voos, incluindo mercado nacional e internacional”, disse John.

Com o objetivo de proteger clientes e tripulantes, a Azul reiterou o nível de segurança dos voos, decorrente da tecnologia embarcada nas aeronaves e a adoção de protocolos de biossegurança e o compromisso com o estímulo do tráfego aéreo a fim de dinamizar a economia brasileira.

“O diálogo franco e aberto com as empresas aéreas contribui com o alinhamento de ações voltadas à retomada segura, tão necessário à consecução de objetivos comuns a todos os elos que compõem o setor de viagens e turismo no Brasil. E em especial, para os viajantes corporativos”, avalia Carlos Prado, presidente do Conselho de Administração da Abracorp e membro do Conselho Consultivo do Movimento Supera Turismo Brasil.

De acordo com os dados do BI Abracorp, referentes ao segundo trimestre de 2020, com 36,1% de market share, a Azul liderou o ranking da movimentação apurada no período, concentrando os 40,8% do montante registrado no mercado de voos domésticos. “Com o crescimento constante da oferta, a tendência é que a Azul mantenha o desempenho alcançado no mercado de viagens corporativas”, conclui Gervasio Tanabe.


Deixe uma resposta