AccorHotels tem metade de seus cargos gerenciais ocupados por mulheres

Por: Fernando Porto

Lançado em 2012 pela AccorHotels na França, o programa global Women at Accor Generation (WAAG) é o primeiro implementado mundialmente por uma empresa do segmento de hotelaria. O programa foi criado a partir da identificação de menor número de mulheres em cargos de liderança (principalmente cargos gerenciais) e vontade de modificar o cenário. “O objetivo principal do WAAG é estimular o acesso das mulheres às oportunidades de estudo, trabalho e crescimento para que elas possam alcançar níveis mais altos em suas carreiras. Ou seja, queremos incentivar o protagonismo da mulher dentro da AccorHotels”, explicou a diretora do WAAG América do Sul, Magda Kiehl. Atualmente, aproximadamente 50% dos cargos gerenciais da Accor são ocupados por mulheres.

 

Há cerca de um mês, a empresa também se tornou uma apoiadora do programa He for She, da ONU – que também pede ajuda aos homens para melhorar as condições femininas –, e assumiu uma série de compromissos. “O assunto não é um tema importante apenas para as mulheres, mas para todos nós. Assim que assinamos a parceria com o He for She, enviamos a todos os colaboradores homens um e-mail em que é possível aderir e dizer I am He for She (Eu sou Ele por Ela, em tradução livre). Eu era um He e agora virei o número 842 He for She do Grupo Accor”, comemorou o CEO América do Sul, Patrick Mendes, que simbolicamente vestiu a camisa do programa.

 

“O objetivo é que cada um dos homens que recebem essa mensagem se registrem. Queremos chegar a 50 mil colaboradores – sendo que na AccorHotels temos 170 mil e cerca de metade são homens”, completou.

 

O executivo explicou, ainda, os objetivos principais da parceria: contribuir para a obtenção da paridade em salários; estimular os homens a apoiar a causa; e desenvolver práticas para encontrar o ambiente ideal para os colaboradores e fomentar ou dinamizar as melhores condições de trabalho.

 

Iniciativas do WAAG


Para praticar as propostas, a empresa definiu a meta de ter 35% de lideranças gerenciais ocupadas por mulheres até 2017. A forma de atingir o objetivo se dará de diversas maneiras, entre elas um programa de mentoring, em que um executivo(a) sênior será o(a) mentor(a) e acompanhará o desenvolvimento de uma colaboradora por um período de até 12 meses, visando promover discussões sobre carreira e aconselhamento da vida familiar e profissional.

 

Além disso, os Fóruns WAAG reúnem mulheres e trazem discussões sobre a inserção no mercado de trabalho, sociedade, saúde e nutrição, entre outros assuntos. “Na tarde de hoje, dia 12, realizamos o 1º Fórum WAAG no Brasil, o que é muito positivo. Mas também já realizamos na Argentina, Chile, Colômbia e Peru”, disse Magda.

 

Outra ação do programa é a parceria com associações que visam o desenvolvimento da mulher – especificamente na área profissional –, como Consulado da Mulher, Lide Mulher, PWN (Professional Women Network) e Jurídicos de Saia. A diretora explicou que, junto às associações, acontecem reuniões, networking e troca de ideias e experiências.

 

Aliado a isso, celebrações também fazem parte da atuação do WAAG. Em março deste ano, todos os hotéis do grupo participaram de uma homenagem ao Dia da Mulher e, em outubro próximo, será enfatizado o Outubro Rosa, campanha que trata da prevenção do câncer de mama.

 

Liderança feminina na América do Sul


O WAAG tem mais de 3 mil membros no mundo (entre mulheres e homens, que são sempre incentivados a participar). Do total, 500 estão na América do Sul. “Com relação às mulheres em cargos gerenciais, reparamos, a partir de pesquisa, que, no total, em nossa região temos média de 44% de mulheres em cargos de liderança, o que é muito acima da média comparativamente com outras localidades que a Accor se encontra – inclusive na Europa”, pontuou a executiva.

 

 

Priscila Ferraz de Mello

Deixe uma resposta