Alagoas tem maior taxa de adesão hoteleira ao Selo Turismo Responsável

Alagoas tem mais de 400 empreendimentos turísticos com o selo do MTur, sendo mais de um terço representados por meios de hospedagens

Alagoas

A hotelaria de Alagoas tem se destacado no processo de retomada do setor turístico no Brasil. Prova disso é que os meios de hospedagem do destino obtiveram o maior nível de adesão do país ao Selo Turismo Responsável, segundo pesquisa do Departamento de Turismo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), realizada 60 dias após o lançamento da chancela do Ministério do Turismo (MTur).

A readequação da rede hoteleira no estado é conduzida pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis em Alagoas (ABIH-AL), entidade representativa do setor, em conformidade com as diretrizes nacionais, estaduais e municipais.

Desenvolvido pelo professor mestre Thyago Velozo de Albuquerque, pesquisador do Núcleo de Políticas Públicas e Desenvolvimento Sustentável da UFPB, o estudo revela o grau de adesão de estados e regiões brasileiras em comparação aos dados disponibilizados no Cadastro Nacional de Turismo (Cadastur) – proporcionalmente, Alagoas aparece como a unidade da federação com maior número de meios de hospedagem certificados. A pesquisa aponta uma adesão de 38% no estado durante os dois primeiros meses de criação do selo, superando a média nacional de 21%. 

Os empreendimentos recebem a chancela federal a partir do comprometimento com a adoção de boas práticas de saúde, segurança e atendimento. As adaptações realizadas pela hotelaria atendem a rigorosas medidas de higiene e distanciamento social em todos os setores dos empreendimentos, que estão reunidas em um protocolo específico, validado pelas principais entidades do turismo nacional e adotado pelos cerca de 90 hotéis associados à ABIH-AL. O documento está disponível para acesso no site da associação.

De acordo com André Santos, presidente da associação, o selo padroniza os protocolos necessários, além de indicar aos turistas os empreendimentos que seguem as recomendações sanitárias e estão aptos a receberem os hóspedes com segurança.

“A certificação passa confiança ao viajante, eleva a competitividade do destino e melhora a imagem dos nossos produtos nos mercados emissores. Neste processo, é fundamental que os empreendimentos estejam aptos para receber os visitantes diante da nova realidade”, avaliou.

Ao todo, segundo dados divulgados pela Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) no final de julho, Alagoas já conta com 423 empreendimentos turísticos com o selo do MTur, sendo 178 meios de hospedagem. A maioria está em Maceió, Maragogi, Piranhas, São Miguel dos Milagres e Marechal Deodoro.

Retomada

Com a desaceleração da curva de contaminação da covid-19 em Alagoas, a capital Maceió avançou para a fase azul do plano controlado de retomada gradual das atividades econômicas, proposto pelo governo estadual. Os demais destinos turísticos alagoanos seguem na fase amarela das etapas de flexibilização do isolamento social. Ambas as fases permitem o retorno de segmentos como bares e restaurantes, passeios turísticos, receptivos e shoppings.

Paralelamente à reabertura das atividades, o Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares apresenta um crescimento do número de voos disponíveis pelas companhias Azul Linhas Aéreas, Gol e Latam. Em julho, segundo informações da Sedetur, a malha aérea cresceu 35% e a previsão é que essa porcentagem chegue a 70% até dezembro.   


Deixe uma resposta