Além das Cataratas: Conheça outros atrativos de Foz do Iguaçu

Foz do Iguaçu é um destino com atrativos que são conhecidos pelo público, mas há outros que também não podem ficar de fora do roteiro

Foz do Iguaçu

Por muito tempo, a cidade de Foz do Iguaçu não era considerada motivo principal de uma visita. Obviamente, estamos falando de mais de uma década atrás, quando o turismo de compras no Paraguai transformava a passagem pelo município paranaense em um complemento ao roteiro. No entanto, as experiências fidelizaram os viajantes no decorrer dos anos.

Hoje, Foz do Iguaçu é um dos principais destinos procurados pelos viajantes, sobretudo durante a pandemia, com o alavancamento das viagens nacionais, visto que a combinação de fronteiras fechadas e alta nas moedas estrangeiras impede que o fluxo de viajantes para outros países retorne aos patamares que vivíamos em 2019.

Não estamos falando de um destino atrativo exclusivamente durante férias de longa duração. Pequenos feriados, finais de semana prolongados e escapadas viraram motivo para que Foz do Iguaçu consolidasse ainda mais sua posição. De acordo com o Kayak, por exemplo, o destino foi um dos dez mais procurados pelos paulistanos para o feriado regional de 25 de janeiro, data em que se celebra o aniversário da cidade. Curta distância, impulso do turismo de proximidade e bom fluxo aéreo possibilitam o itinerário.

Quem já foi a Foz do Iguaçu já deve ter conhecido algumas das principais atrações do destino. Afinal, ir à cidade e não conhecer Itaipu é quase uma desfeita para com um gigante fronteiriço que detém o título de maior usina de hidrelétrica do mundo em geração de energia limpa e renovável, resultado de um investimento entre Brasil e Paraguai. Sua força é tão grande que, para se ter noção, se a usina acumulasse os 2,4 bilhões de megawatts gerados em 33 anos de operação, conseguiria abastecer o mundo inteiro por mais de 40 dias seguidos. 

Outro atrativo que é queridinho dos visitantes é o Parque das Aves, única instituição focada na conservação de aves da Mata Atlântica. O espaço reúne diversas espécies deste grupo de vertebrados e proporciona aos viajantes uma experiência imersiva de conexão com os pássaros e a floresta. É possível entrar em um viveiro de araras, estar próximo de tucanos, admirar o esplendor de um flamingo e conhecer outras espécies que tornam o local um dos mais visitados da cidade.

Falar de Foz do Iguaçu sem uma visita às famosas quedas d’água poderia ser considerado crime. Afinal, este é o cartão-postal da cidade e um dos principais motivos da presença dos mais de 658 mil visitantes no município em 2020. Para muitos, uma conexão com a natureza; para outros, motivo de renovar energia e reavivar metas e planos que o ano pandêmico pode ter conturbado.

Foz do Iguaçu além do óbvio

Há atrações que já são consolidadas em Foz do Iguaçu e que podem ser o motivo de retorno para muitos. Outros, no entanto, podem achar que já viram o bastante. Vale lembrar para o segundo grupo que Foz do Iguaçu conta com novos investimentos, atividades e experiências. A MMC Receptivos, empresa responsável por apresentar a cidade sob um novo olhar, demonstra que há diversas novidades locais que merecem a atenção dos turistas, com a garantia de encantamento. Confira algumas delas!

Dreams Ice Bar

Muitos sonham em conhecer o a região Sul em uma época de frio intenso para ver neve. Em Foz do Iguaçu isso é possível no Dreams Ice Bar, um bar totalmente feito de gelo (esculturas, copos e cadeiras) para curtir uma música e degustar de uns bons drinques.

Esta é a proposta do espaço, que faz parte do complexo Dreams Park Show. São 17 graus negativos em um ambiente intimista e que possui sua capacidade limitada por conta da pandemia. Tirar fotos entre as esculturas de gelo e com os acessórios que estão disponíveis é praticamente impossível. Caso a câmera não capture um registro legal, há um fotógrafo à disposição para que os visitantes saiam com um book completo.

Aproveitar a bebida é quase uma obrigação, visto que ela auxilia a manter o corpo aquecido. Sobre o frio, não há necessidade de se preocupar com a blusa. O espaço oferece casacos grossos e luvas aos visitantes. A recomendação, no entanto, é usar sapato fechado e calças compridas.

Dreams Motor Show

Com decoração focada em rock’n’roll e design inspirado nos anos 1990, o local, além de ser um estabelecimento gastronômico, é uma mostra de imponentes motos Harley-Davidson, uma tentação para quem gosta de aventuras sobre duas rodas. O espaço possui dois andares, permitindo que os clientes mantenham o distanciamento requerido, aproveitem o espaço com toda exposição e curtam o show que acontece no local. Sucessos nacionais e internacionais se tornam os acompanhamentos preferidos dos clientes, que aproveitam o cardápio composto por lanches e refeições completas com guarnições.

Os baristas preparam os drinques na frente dos clientes e fazem um show à parte com algumas manobras e malabarismos.  Com a pandemia, o espaço abriu com protocolos de segurança sanitária e, por isso, os clientes contam com álcool em gel à disposição e o uso de máscara é obrigatório durante a circulação no local.

Macuco Safari

Uma aventura mais imersiva nas quedas d’água. O Macuco Safari opera dentro do Parque Nacional do Iguaçu e atrai pessoas do mundo todo para um passeio voltado aos amantes de aventura e da conexão com o meio ambiente. Dividido em três etapas, o itinerário começa na selva, a bordo de um veículo elétrico que passa em meio à vegetação, acompanhado de um condutor que apresenta informações técnicas sobre fauna e flora, além de outras curiosidades locais.

A segunda etapa – que é opcional – é a trilha de 600 metros em meio à natureza, de onde é possível contemplar a cachoeira do Salto Macuco. Acompanhado do condutor, os aventureiros descobrem ainda mais curiosidades da vegetação e da fauna local. A última fase é o ápice do passeio: hora de entrar no barco e se aventurar em meio às águas.

Com coletes salva-vidas – e orientados a não utilizar os apitos para evitar contágio de covid-19 –, os visitantes entram no bote e vão subindo o rio acima até as Cataratas do Iguaçu, com direito a uma visão exclusiva das quedas. Para deixar o passeio ainda mais emocionante, o condutor guia o barco até debaixo de uma das quedas, dando um banho em todos. É bom orientar seu cliente a levar uma muda de roupa, toalhas e chinelo. O passeio dura em torno de 20 minutos.

Ao retornar, os clientes são direcionados aos vestiários para trocar as roupas molhadas. Itens pessoais devem ser guardados nos armários, que são alugados no local, e retirados após todo o trajeto. O retorno não exige trilha, somente passeio de carro elétrico pela selva até a loja de souvenires.

Artesanato Chocolate Caseiro Três Fronteiras

O estabelecimento reúne de tudo: desde grandes peças artesanais e pedras preciosas de grande porte – com destaque para ametistas que custam milhares de reais – até lembrancinhas mais singelas. No fundo da propriedade fica a loja de chocolate, onde estão alguns dos mais variados sabores de drágeas, que podem agradar aos mais distintos gostos, bem como tabletes e bombons. O estabelecimento também oferece cafés e chocolate quente.

Marco das Três Fronteiras

Um dia repleto de boas experiências e atividades pede um pôr do sol único para encerrar. Isso é possível no Marco das Três Fronteiras, local que marca a junção entre os rios Iguaçu e Paraná e permite ver três países ao mesmo tempo: Brasil, Paraguai e Argentina. Um obelisco feito de pedra e pintado com as cores do Brasil se torna palco de shows noturnos e apresentações culturais.

A demonstração artística começa contando sobre o conquistador Álvar Nuñez Cabeza de Vaca, conhecido por ter sido o primeiro europeu a descrever as Cataratas do Iguaçu e explorar o Rio Paraguai, e a lenda do romance entre os índios Naipi e Tarobá, que foi interrompido pela Serpente MBoi. Além disso, os artistas apresentam danças típicas de cada um dos três países, nos shows que ocorrem de terça e domingo, a partir das 19h.

Para curtir a apresentação de uma maneira ainda mais completa, os visitantes podem contemplar a obra diretamente da mesa do restaurante Cabeza de Vaca, que leva o nome do desbravador e contempla uma gama de aperitivos e bebidas. O restaurante – que aceita pagamento em real, dólar, guarani e peso – manteve o distanciamento entre as mesas e aconselha a ficar sem máscara somente quando acomodado em sua própria cadeira.

Rafain Churrascaria Show

Por falar em show, não podemos deixar de fora este restaurante que é detentor de reconhecimento no Guinness Book, como o único show no mundo que permite viajar pela cultura e folclore de oito países da América Latina. A churrascaria deixou de ser um mero estabelecimento gastronômico e se consolidou como atração.

Enquanto aprecia entradas quentes e frias de distintas culinárias, pratos principais variados, farta oferta de sobremesas e, claro, diferentes cortes de carne, o visitante aprecia uma série de apresentações de dança, com 90 minutos de duração, que contempla a cultura do Peru, da Argentina, do Paraguai, do Chile e do Brasil, que encerra o show com samba e irreverência.

Em meio à pandemia, o restaurante está realizando aferição de temperatura, disponibilizando álcool em gel e orientando seus clientes a permanecerem de máscara enquanto circulam pelo espaço. Como o estabelecimento é self service, há também a necessidade de colocar luvas plásticas para se servir e manter o distanciamento nas filas.

A reportagem viajou a convite do Festival das Cataratas e com serviços MMC Receptivo

Deixe uma resposta