Amapá Ecocamping fortalece Turismo de Base Comunitária como alternativa de renda

A ideia da Amapá Ecocamping é promover um turismo mais igualitário, permitindo o protagonismo da comunidade

amapá

De olho no Turismo de Base Comunitária (TBC) como uma alternativa de renda e oportunidade para os moradores valorizarem sua própria cultura a agência Amapá Ecocamping iniciou uma série de oficinas para levar conhecimento às comunidades do Estado. A primeira aconteceu no município de Serra do Navio, distante 210 km de Macapá, no dia início de julho.

“A ideia por trás desse formato é promover um turismo mais igualitário, que coloque a população local no protagonismo em todas as etapas como o planejamento, a implementação e o monitoramento, levando em consideração a sustentabilidade social e ambiental das atividades”, afirma Catia Rola, turismóloga e responsável por ministrar o a capacitação.

A região é conhecida por ser próxima do Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, que atrai muitos turistas nacionais e estrangeiros à Serra do Navio. A oficina aconteceu durante à tarde na Comunidade do Cachaço, zona rural do município. “Foi um momento muito oportuno para todos àqueles que participaram. Sempre é muito positivo quando recebemos empresas e grupos que trazem conhecimento para nossa população. O turismo de base comunitária é muito oportuno para a cidade”, afirma Ana Paula (Paulinha), vice prefeita de Serra do Navio.

Uma das atrações de Serra do Navio o Festival do Cupuaçu, no mês de setembro. O evento celebra a produção da fruta, com comercialização de polpa e derivados como sucos, tortas e geleias; da semente do cupuaçu também se produz chocolate branco. O turismo comunitário é a atividade turística que apresenta gestão coletiva, transparência no uso e na destinação dos recursos, e na qual a principal atração turística é o modo de vida da população local.

 Nesse tipo de turismo a comunidade é proprietária dos empreendimentos turísticos e há a preocupação em minimizar o impacto ambiental e fortalecer ações de conservação da natureza.  “Percebo que não existe uma receita pronta. Surgem desde formas mais tradicionais onde o visitante vivencia o modo de vida local, até outras onde operadores de turismo promovem experiências de sol e praia. Reservas ecológicas, parques nacionais, aldeias indígenas, bairros mais afastados dos centros, fornecedores entre outros, já são muitos os atores desenvolvendo formas de turismo de base comunitária”, pontua Victor Hugo Mendonça, proprietário da Amapá Ecocamping.

A empresa conta com um histórico de iniciativas para beneficiar o turismo amapaense, como o Seminário Turismo Criativo; viagens com jornalistas e influenciadores ao Amapá; e pacotes turísticos comercializados na agência, onde oferece experiências exclusivas.  A oficina de turismo de base comunitária contou com o apoio institucional do Sebrae-AP, da Prefeitura de Serra do Navio, Icmbio. Além das parcerias com a Recria, Redescobrindo Ideias, Apri Consultoria, ABBTUR e Sindetur.

Deixe uma resposta