Amazonastur: Festival de Parintins supera número de visitantes de 2019

A cidade e a economia giram em torno do evento. Só nesta edição o Festival gerou 10 mil novos empregos diretos e indiretos

Gustavo de Araújo Sampaio, presidente da Amazonastur. Foto: Vanessa Leal
Gustavo de Araújo Sampaio, presidente da Amazonastur. Foto: Vanessa Leal

Após dois anos sem promover o maior festival folclórico do mundo, o presidente da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Gustavo de Araújo Sampaio, afirma que os números da 55° edição já demonstram que vão conseguir superar os 66 mil visitantes da última edição (2019 – ano pré-pandemia).

Em uma entrevista ao Brasilturis Jornal, o presidente da Amazonastur contou que a cidade e a economia local giram em torno deste festival, desde o comerciante, o empreendedor, o comércio, o serviço, o artista e o autônomo, todos se desdobram para tornar cada edição a maior, além de oferecer todo o tipo de serviço aos visitantes. Este ano, só o festival gerou 10 mil novos empregos diretos e indiretos.

Depois das operações ficarem 100% paradas, o último ano (2021) começou a apresentar resultados positivos através da maior e principal característica local: natureza, contemplação e aventura. Com isso, o faturamento de 2021 chegou a 48%, e esse ano saltou para, aproximadamente, 68% só no primeiro quadrimestre do ano – e continua crescendo. Segundo Gustavo, é de extrema importância que o Amazonas continue mantendo a bandeira da sustentabilidade em evidência, não só para promover o turismo local mas para continuar defendendo e preservando a floresta Amazônica, que tem 98% de preservação.

Além de defender a bandeira verde, o presidente também comenta que tem apoiado muitos outros eventos, inclusive folclóricos de outros municípios. “O estado tem uma dimensão continental e apoiar esses eventos é muito importante para gerar empregos, renda e oportunidade no interior do Amazonas”.

Para o Festival de Parintins acontecer e torna-lo conhecido internacionalmente, é importante a parceria pública e privada. Neste ano, por parte do Governo do Estado do Amazonas, a contribuição oferecida para cada boi teve o valor dobrado do que foi concedido: R$ 10 milhões (R$ 5 milhões para o Caprichoso e R$ 5 milhões para o Garantido) – sem mencionar os parceiros privados, que deram aporte relevante.

“O maior festival da história. Nunca vi nada nesse sentido, nessa dimensão. Nunca tivemos um festival desse tamanho e desse porte. A gente sabia que com uma equipe empenhada e esforçada iríamos conseguir tornar o evento emocionante e o maior até hoje. Nós fizemos isso acontecer com muito orgulho, dedicação e empenho. Eu tenho muito orgulho de estar aqui nessa posição. Ano que vem estaremos aqui para uma ação melhor que este ano”, finaliza Gustavo de Araújo Sampaio.

Abaixo, assista o vídeo com pontos turísticos da Ilha da Magia e das apresentações do boi Caprichoso e Garantido:

O Brasilturis Jornal viaja com proteção Affinity Seguro Viagem


Leia também: MTur prevê movimentação de cerca de R$ 2 bilhões dos destinos juninos

Deixe uma resposta