Amazonastur lança programa promocional do Amazonas para a Copa

Por: Rafael Lima

A Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur) vai promover o Estado, em especial Manaus e o Festival Folclórico de Parintins, nas capitais dos oitos países que vão jogar na capital amazonense durante a primeira fase da Copa do Mundo FIFA de Futebol de 2014. Além dessas capitais, o trabalho promocional vai percorrer também as 11 cidades-sedes. O investimento total nas ações de promoção turística totaliza R$ 10 milhões, com recursos do Governo do Amazonas e Embratur.

 

Segundo estimativa da Amazonastur, o fluxo turístico para a Copa do Mundo deve crescer em torno de 15%, com a vinda de cerca de 80 mil visitantes nos quatro dias de jogos. A primeira ação da Amazonastur é a promoção do voo Lisboa/Manaus e do Destino Amazonas enquanto Estado anfitrião da Copa 2014 durante a Feira Internacional de Turismo de Madri (Fitur), que ocorrerá entre os dias 22 e 26 de janeiro.  Além da Fitur 2014, a ação promocional do voo e do Destino Amazonas vai percorrer a Alemanha, Itália, Inglaterra, França e Portugal.

 

“Ainda no âmbito internacional iremos realizar workshops e “road shows” nos oito países que irão jogar em Manaus durante a primeira fase da Copa. Nessas ações iremos realizar capacitação com os jornalistas e operadores sobre o Destino Amazonas, além de oferecer degustação da gastronomia e cultura amazonense, com shows folclóricos de Caprichoso e Garantido”, frisou a presidente da Amazonastur, Oreni Braga.

 

No exterior, a campanha promocional inclui a envelopagem de ônibus (o que também será feito no Brasil), promoção do destino Amazonas entre jornalistas e operadores de turismo, trazendo os estrangeiros para conhecer os pontos turísticos do Estado. Ainda na programação de preparação do Estado para a Copa do Mundo FIFA de Futebol 2014 estão previstos Famtour eFampress(o primeiro é a recepção de grupos de profissionais do setor de turismo para conhecer e divulgar o destino e o segundo, para jornalistas) e campanhas internacionais nas revistas de bordo das principais companhias áreas do mundo.

 

Conhecendo melhor o destino Amazonas, eles vão poder falar e incluir na programação de vendas. Para termos uma ideia, uma grande operadora europeia, que nós trouxemos dois anos para Parintins, colocou o Festival Folclórico no seu catálogo de vendas. A copa vai ser um divisor de águas porque os operadores e jornalistas virão ver futebol sim, mas vão saber que é um grande destino turístico e que eles podem apostar nessa marca. Até porque depois de São Paulo e Rio de Janeiro, a aposta da FIFA é em Manaus”, disse Braga.

 

Os dois vídeos promocionais da marca Amazonas serão veiculados em emissoras de televisão e nas redes de cinema de todo o País. A partir de janeiro, outra ação é o reordenamento do setor hoteleiro, com fiscalização na rede de hotéis urbana, de selva e nos barcos que serão transformados em hotéis.

 

Na área de infraestrutura, os investimentos em Manaus incluem a entrega da obra do Centro de Convenções do Amazonas, que vai receber o centro de imprensa da FIFA, a reestruturação dos centros de atendimento ao turista no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e Porto de Manaus, e a criação de cinco unidades de atendimento volante nos pontos turísticos da cidade, como a Ponta Negra, além da sinalização turística nos padrões internacionais.

 

Outra ação que a Amazonastur vai realizar logo no início de 2014 é a qualificação de 210 jovens que vão atuar no Programa Voluntários do Turismo. O objetivo desse projeto visa preparar os jovens para que eles possam atender aos turistas nos hotéis e nos principais pontos turísticos de Manaus durante a Copa de 2014.

 

Uma novidade da campanha promocional é o marketing viral que vai ser realizado em Manaus, com um grupo de cantores visitando locais de grande concentração de público, como restaurantes e praças públicas, surpreendendo a população com canções do repertório amazônico. A ideia é incentivar a valorização cultural pelos amazonenses e estimular maior receptividade turística.

 

“Somos um povo alegre, hospitaleiro, mas somos para nós. Precisamos jogar isso para fora. Dizer eu sou caboclo, eu sou índio, eu sou guerreiro, sou amazônida, sou Amazonas, gosto disso! Esse orgulho precisa aflorar para quando o visitante chegar, poder sentir que o amazonense é orgulhoso da sua terra, de ser índio, caboclo e, com isso, podermos mostrar o que temos de melhor que é nossa cultura e natureza”, pontuou Oreni Braga.

 

RL

 

Deixe uma resposta