Anac aponta alta de 42,5% na demanda de voos domésticos em julho

A oferta, calculada em assentos-quilômetro oferecidos (ASK), avançou 39,3% na mesma comparação da Anac

Malha aérea - american, delta, united, gol, azul, avianca, ita, itapemirim, anac, abear

A demanda por voos domésticos, medida em passageiros-quilômetro transportados (RPK) registrou crescimento de 42,5% em julho, em relação a junho, segundo dados divulgados nesta terça-feira (31), pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e compilados pela Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear).

A oferta, calculada em assentos-quilômetro oferecidos (ASK), avançou 39,3% na mesma comparação da Anac. No mercado internacional, a demanda (RPK) teve alta de 45,7% e a oferta aumentou 14,3% em comparação com junho.

De acordo com critério da ANAC, os resultados a seguir são obtidos com a comparação de julho de 2021 com o mesmo mês de 2019, antes da pandemia da covid-19.

Nesse levantamento, a demanda (RPK) por voos domésticos teve queda de 23,6% e a oferta retração de 22,1%. A taxa de ocupação das aeronaves foi de 82,8%, redução de 1,7 ponto percentual. Ao todo, foram transportados 5,9 milhões de passageiros, queda de 31,3%.

No mercado internacional, a demanda (RPK) recuou 80,3% e a oferta (ASK) retraiu 65,1%. No total, foram embarcados 347 mil passageiros, uma diminuição de 84,3%.

Alta na demanda e alta nos preços

Os dados do aumento da demanda doméstica para julho vão de encontro com os índices da FecomercioSP que apresentou um dado parecido para o mês: a alta de 42,67% no valor do bilhete aéreo na região metropolitana de São Paulo.

Deixe uma resposta