Angra dos Reis, a degradação de um destino

Por ABIH-RJ*

Vem chegando o verão e os moradores do Rio de Janeiro começam a buscar praias e cachoeiras para se refrescar o calor. Porém, nem toda praia está preparada pra receber centenas de turistas de uma hora pra outra. Muitas das belas ilhas da Baía de Angra dos Reis sofrem com essa invasão. A ilha da Gipóia é um desses locais.

A proliferação dos saveiros, escunas e, mais recentemente, dos flexiboats, sem qualquer controle ou regulamentação, leva a explosão do chamado turismo de um dia, que não gera renda ao comércio instalado e degrada o meio ambiente de forma alarmante.

Foi exatamente esta fórmula de massificação das excursões que degradou e acabou com o turismo embarcado nas ilhas de Itacuruçá nos anos 90 . No último domingo (20 de novembro), só na praia das Flechas, na ilha da Gipóia, os saveiros despejaram mais de 800 pessoas , sem qualquer infra-estrutura de banheiros, segurança, limpeza ou guarda-vidas no local, degradado de um momento para o outro. A praia do Abraão, na Ilha Grande, é outro local que sofre com a invasão do turismo predatório.

Até quando vamos assistir, passivamente, a inoperância das autoridades municipais, estaduais e federais propiciando a falência dos nossos destinos turísticos?

*A denúncia é feita pela Associação de Hotéis do Estado do Rio

Deixe uma resposta