Artesanato de Pernambuco ganha centro de comercialização

Por: Camila Oliveira

 

O Centro de Artesanato de Pernambuco (Cape), instalado no Armazém 11 ao lado do Marco Zero, será inaugurado pelo governador Eduardo Campos, amanhã, dia 25, às 16 horas. Com investimento de 6,5 milhões e uma área construída de 2.511 m², o espaço, considerado o maior do segmento no Brasil, contará com 16 mil peças de 500 artesãos de todas as regiões de Pernambuco para comercialização, auditório climatizado com 120 lugares, área de exposições, Centro de Atendimento ao Turista (CAT) com mostra permanente de obras premiadas na Feira Nacional de Negócios do Artesanato – Fenearte, setor administrativo, além do Bistrô & Boteco com capacidade para 400 pessoas.

 

O Cape é mais uma ação integrada do Governo do Estado, através da diretoria de Promoção da Economia Criativa da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco – AD Diper, funcionando como ponto de convergência entre todas as iniciativas do Programa do Artesanato de Pernambuco (Pape), como a Fenearte, a Unidade Móvel do Artesanato e as diversas feiras realizadas no Brasil. A sua abertura também marca a primeira etapa concluída do projeto de reforma do Porto do Recife.

 

Segundo o diretor de Promoção da Economia Criativa da AD Diper, Roberto Lessa, além da comercialização, o espaço tem como objetivo estimular a economia pernambucana e valorizar o trabalho dos artesãos  e  artistas populares locais. “O Centro de Artesanato vai proporcionar um contato direto entre artesãos e público, criando ocupação e renda para nossos artistas. Além de preservar a cultura da tradição artesanal, o Cape será um importante equipamento de turismo para o Recife e o estado”.

 

Com projeto arquitetônico assinado por Carlos Augusto Lira, o Centro de Artesanato traz também ambientes decorados para que o visitante possa visualizar a utilização de peças artesanais em espaços como estar, sala de jantar, quarto, entre outros, através de um olhar contemporâneo. A fachada voltada para a Torre Malakoff chama atenção com painéis pintados pelo artista grafiteiro Galo de Souza.

 

A área da loja ocupa 1 mil m² e é divida em sete setores: mestres, souvenires, artesanato contemporâneo, cestaria, têxtil, trabalhos manuais e brinquedos populares. Para facilitar a localização, paredes pintadas com cores fortes identificam cada um dos espaços. Na entrada, o destaque fica por conta das peças de importantes mestres artesãos pernambucanos como Manoel Eudócio, Nuca, Ana das Carrancas, Lula Vassoureiro, Marliete, Roberto Vital, Fida, Thiago Amorim, Nado, Miro, José Veríssimo, Luiz Benício, J. Borges, Nicola, entre tantos outros.

 

Oito consultores de venda bilíngues receberam capacitação em diversas áreas como cultura popular e técnicas de comercialização para bem atender os visitantes. Inglês, espanhol, francês e italiano são os idiomas dominados pela equipe. Além disso, três caixas serão disponibilizados na loja. O fardamento leva assinatura de Melk Zda, numa parceria do estilista com o grupo Mulheres de Argila, formado por artesãs do Alto do Moura que utilizam resíduos de jeans nas suas criações.

 

Ao lado do auditório foi montada uma galeria de arte para exposições temporárias, coordenada pela Secretaria de Cultura do Estado. O Centro também acolherá uma mostra permanente com peças premiadas da Galeria de Reciclados e Salão de Arte Popular da Fenearte, desde 2007. O complexo do Bistrô & Boteco, além de oferecer um cardápio recheado de opções da culinária, também contará  com um café e uma sorveteria.

 

O Centro de Artesanato de Pernambuco também contará  com um CAT , da Empresa de Turismo de Pernambuco. Localizado próximo a entrada lateral da Avenida Alfredo Lisboa, o CAT funcionará diariamente, das 10h às 20h, para melhor atender aos turistas que chegam ao Estado. Além de contar com dois atendentes bilíngues por turno, os turistas que forem ao Centro de Atendimento ainda encontrarão o serviço de folheteria, que terá em seu arsenal informações com os Guias Rota 232 e Rota Litoral, bem como mapas e guias de hospedagem de todo o Estado. O espaço, além de funcionar como um ponto de informações, também terá peças premiadas da Fenearte desde 2007. O CAT também abrigará a Ala dos Mestres da maior feira de artesanato da América Latina.

 

O Cape é o segundo Centro de Artesanato de Pernambuco. Há nove anos, Bezerros conserva um museu e uma loja com acervo de sete mil peças de diversos municípios. Localizado às margens da BR-232, trata-se de um dos mais importantes pontos culturais e turísticos da região Agreste.

 

Exposição Tradição/Tradução

 

Na abertura do Centro de Artesanato de Pernambuco, o espaço da galeria de arte, coordenada pela Secretaria de Cultura, recebe a exposição Tradição/Tradução com obras de quatro grandes artistas contemporâneos de nosso estado: Marcelo Silveira, Joelson, Cristina Machado e Derlon.

 

Em cartaz até o dia 25 de novembro, a mostra traz trabalhos elaborados com materiais comuns na confecção de artesanato como couro, madeira e argila. Para Márcio Almeida, coordenador da exposição, a ideia é propor um diálogo entre o artesanato e a arte contemporânea e quebrar barreiras entre os dois universos.

 

CO

Deixe uma resposta