Audi A1, versão normal e apimentada

Por: Marcelo Alexandre

Lançado em Maio de 2011, o compacto A1 chegou às ruas brasileiras como o carro mais completo em sua categoria de compacto premium, tanto em tecnologia com em equipamentos de série. De lá pra cá, as versões e opções do A1 aumentaram. Hoje, o cliente pode escolher entre a configuração de duas ou quatro portas, além de dois tipos de motores, um com 122 e outro de 185 cavalos. Nessa oportunidade, fazemos uma análise entre a versão quatro portas de 122 cavalos e a versão de duas portas com 185 cavalos.

Concorrendo diretamente com o Mini Cooper, o Audi A1 atende melhor o cliente que não quer aparecer tanto assim, e se preocupa mais com o conteúdo e conforto, do que com aparência. Resumidamente, o Audi A1 tem dois pontos principais: muita tecnologia embarcada e alta eficiência energética (ou seja, muito econômico). Fica claro que a Audi quis fazer um carro compacto, digno do padrão dos irmãos maiores e mais caros. O A1 também busca seguir a receita do Mini Cooper quando o assunto é a customização, de fábrica. O consumidor pode escolher a cor do arco do teto em pintura contrastante, além de optar pelas cores nas saídas de ar internas também. Outros possíveis concorrentes são o Citroen DS3 e o Novo Fusca da VW.

O Audi A1 é um compacto tipicamente urbano. Nele, só cabem 4 pessoas. O banco traseiro, no lugar que seria do quinto passageiro, traz um porta-copos duplo. Esse é o carro ideal pra quem anda na cidade(geralmente sozinho), e busca um estilo de vida diferenciado (além de ter dinheiro pra bancar esse estilo). É importante destacar, que o espaço no banco traseiro para as duas pessoas é limitado, servindo mais como transporte temporário e ocasional. Pessoas com mais de 1,7 m ficam desconfortáveis, com a cabeça próxima do teto e espaço para pernas limitado. O compartimento de bagagem comporta 267 litros (ou 920 litros com o banco traseiro totalmente rebatido).

 

Estilo

Não importando muito se é a versão duas ou quatro portas, o A1 conta com desenho curioso de linhas modernas e personalidade esportiva. Um olhar mais atento, revelará linhas que parecem inspiradas no antigo Beetle, da Volkswagen, principalmente quando observado de lado. Ainda sim, o A1 tem personalidade própria. Visto de frente, os faróis sugerem um “olhar bravo”. E os faróis incluem tecnologia de ponta, com sistema bi-xênon e luzes de posição diurnas em LED.

 a1

Motor e câmbio

a1Entre os detalhes que se destacam no A1, está o preciso e rápido câmbio robotizado, de dupla embreagem com sete marchas, em todas as versões. O Audi A1 é o único carro da categoria com sete marchas. Apesar de NÃO SER um câmbio automático convencional, funciona de forma muita parecida na prática. Mas traz as vantagens de oferecer troca de marcha muito mais rápida (realizada em 0,3 segundos), e contribuir com a economia de combustível. Essa “mágica” acontece porque o sistema permite pré-engatar a marcha seguinte, enquanto uma já esta em uso. A mudança super rápida acontece sem qualquer perda de potência.

Outro destaque do modelo é o eficientíssimo motor. Trata-se de um TFSI 1,4 litro que tem como características injeção direta de combustível, quatro cilindros, 16 válvulas e turbo alimentado (mais o compressor mecânico na versão mais potente).

Uma das características que permitem a alta eficiência e baixo consumo é a injeção direta de combustível. O combustível é injetado diretamente no cilindro, com temperatura menor e melhor pulverizado. A queima e a explosão são mais eficientes, aumentando o aproveitamento.

O Audi A1 pode ter duas configurações com esse mesmo motor. Na primeira, é utilizado um turbo convencional que produz 122 cavalos de potência máxima. Na segunda, além do turbo, foi colocado junto um compressor volumétrico mecânico, em série. Nessa configuração, a potência sobe para 185 cavalos de potência.a1

É sabido que o sistema de turbo é mais eficiente em rotações mais elevadas do motor, pois ele depende dos gases que passam pelo escapamento, para acionar a turbina de pressurização. Quanto mais gás, maior pressão na turbina. Já o compressor volumétrico mecânico é acionado por movimento do próprio motor. Assim, esse compressor consegue ser mais eficiente nas baixas rotações. Dessa forma, no A1 de 185 cavalos, sempre há a pressurização do ar, resultando num carro muito mais potente. O segredo disso tudo é um complexo gerenciamento do compressor e da turbina. Avançados sistemas eletrônicos (e uma válvula de alívio) fazem a gestão da pressão, em todas as faixas de rotação, para que ela nunca seja maior que 2,5 bar. (a pressão atmosférica normal é de 1 bar).

Nunca antes no mercado brasileiro motores de 1,4 litro foram tão eficientes num carro. O interessante é que, se o usuário utilizar os dois carros numa condução suave, as duas configurações apresentam o mesmo consumo de combustível. Com gasolina comum (pois esses motores não são flex), o A1 na cidade chega a uma média de quase 13 km/l. Na estrada, a média sobe para quase 19 km/l. Mas se o negócio for pisar fundo no acelerador, o A1 185 cv, pode chegar a gastar quase 40% à mais de combustível. Outro aliado do sistema de força do A1 é o baixo coeficiente aerodinâmico de apenas 0,32 (um dos carros mais aerodinâmicos de sua categoria). Quanto menor o atrito com o ar, menos combustível o carro gasta em velocidade.

 

Performance

De acordo com a potência do motor, a performance do A1 muda bastante. Na versão com 122 cavalos, o veículo chega a 100km/h em 9 segundos e a velocidade máxima é de 203 km/h. Com o motor mais potente de 185 cavalos a aceleração de 0 a 100 km/h acontece em apenas 6,9 segundos e a velocidade máxima é de 227 km/h. Outro ponto que muda um pouco também, é a dirigibilidade do carro. Enquanto a versão com 122 cavalos traz rodas de aro 16 com pneus 215/45, e favorece uma condução confortável, a dirigibilidade é mais esportiva no A1 de 185 cavalos, por conta das rodas de 17 polegadas (com pneus de medida 215/40).

 a1

Equipamentos

O A1 é um modelo completo de fábrica. Entre os equipamentos de série estão lanternas traseiras iluminadas por LEDs, sistema de assistência de partida em aclives (na deixa o carro escorregar pra trás numa rampa), sensor de chuva e luz, alarme, computador de bordo completo, faróis auxiliares, freios com ABS; programa de estabilidade eletrônico; airbags dianteiros frontal e lateral e airbags de cabeça dianteiro e traseiro. O uso de leds estende-se a iluminação ambiente nas portas e teto, como também nas luzes de leitura e para região dos pés.

Ambas as unidades avaliadas correspondiam às versões topo de linha, com todos os opcionais. Entre eles, o grande teto-solar panorâmico Open Sky, com comando elétrico. Outros opcionais presentes eram sensor de estacionamento traseiro e controle de cruzeiro. Mas o A1 ainda pode trazer mais equipamentos.

 

Interface MMIa1

Como opcional, o Audi A1 traz um eficiente sistema multimedia que a marca batiza como MMI. Trata-se de um conjunto integrado que reúne sistema de som, configurações do veículo, navegação GPS e interface Bluetooth com celulares. Tudo isso unificado numa tela com 6,5 polegadas. Essa tela é retrátil (por ação manual) e fica na parte superior central do painel. É difícil sentir a falta de alguma função nesse sistema.

Pra começar, sua conectividade com diversos tipos de media é ampla. Estão disponíveis dois slots para cartão SD Card, entrada para CDs no formato áudio e MP3, conexão para Bluetooth estéreo e ainda existe um terminal dentro do porta-luvas que pode ser utilizado para outros tipos de conexão. As conexões possíveis através desse terminal são USB (pen-drives) e conexão com iPods e iPhones. O senão é que para se utilizar esses recursos, o usuário precisa comprar na concessionária cabos extras, e que são considerados acessórios. O cabo para conexão USB custa cerca de R$ 350,00. Pra quem ainda quer mais, existe um sistema de jukebox com 20 GB de capacidade. Assim, é possível copiar as músicas do pen-drive, SD-Card e CD direto pra a memória do rádio.

Outro opcional é o kit de alto-falantes da BOSE. A qualidade de áudio impressiona os mais exigentes. E dentro do porta-malas, ainda há um sub-woofer que dá um reforço bem interessante nos graves. O sistema surround tem 465 watts de potência distribuídos em 14 alto-falantes!

Além dos comandos presentes no volante, o motorista também pode dar comandos vocais para o sistema MMI. Ainda que as funções sejam básicas, como mudar a fonte de reprodução de áudio, avançar ou retroceder faixas de música e até mesmo funções do celular, isso ajuda bastante, evitando a perda de atenção ao volante.

E para quem ainda quer mais, o Audi A1 traz como opcional o sistema de GPS integrado no MMI. Com mapas precisos e completos, ele tem como grande diferencial a virtualização em 3D. Nesse modo, a região central de cidade de São Paulo exibe todos prédios, destacando os pontos turísticos como o Terraço Itália, edifício Copan e Museu do MASP, entre outros.

 

Chave presenciala1

Mesmo como recurso opcional no A1, é uma função bastante útil. Trata-se do sistema keyless-go (botão de partida automática sem a chave). Basta se aproximar do carro com a chave no bolso, colocar a mão na maçaneta e a porta se abre, sem a necessidade de apertar qualquer botão. Para dar a partida, basta apertar o botão do lado direito do volante. Ao sair do carro, basta aproximar a mão da maçaneta para o sistema trancar o carro automaticamente.

Entre as funções presentes no telecomando da chave, esta a possibilidade de abrir e fechar totalmente os vidros, com o carro desligado. Isso é especialmente útil num dia de calor intenso, onde o carro ficou muito tempo no sol fechado. Assim, o motorista pode abrir os vidros e bascular parcialmente o teto-solar (quando equipado) para ventilar o carro, antes de entrar no veículo.

 

Computador de bordo inteligentea1

O A1 é um carro que chega a frente de seu tempo em vários sentidos. E o seu computador de bordo é um exemplo disso. Como todo sistema similar, ele traz informações de data, autonomia, tempo de viagem, consumo médio, velocidade média, distância percorrida, e consumo instantâneo. O usuário ainda conta com o velocímetro digital. Mas o diferencial do sistema é o menu de “programa de eficiência”. Nele, o sistema mostra para o motorista os equipamentos no carro que estão consumindo energia, e dá dicas para tornar o consumo mais eficiente. Através de uma barra de consumo, que mostra a quantidade de litro de combustível por hora cosumido a mais, o recurso identifica se o ar-condicionado, faróis auxiliares, desembaçador traseiro estão ligados e consumindo energia. Além disso, ele avisa o motorista se o carro esta com o ar-condicionado ligado e com as janelas abertas. E observando essas funções, é possível economizar ainda mais.

 

Mercado

Os modelos avaliados nessa matéria foram o A1 Sportback Attraction (122 cavalos) com preço base de R$ 99,9 mil e o A1 Sport (185 cavalos) com preço base de R$ 109.9. Porém, esses preços são sem os opcionais. Em ambos os modelos, o teto-solar custa R$ 5,2 mil, o arco de pintura contrastante do teto mais R$ 1,5 mil e o pacote conforto Plus (que inclui o GPS, chave presencial, som Bose, ar-condicionado automático e mais alguns equipamentos) custa fantásticos R$ 17 mil! É fato que o Audi A1 é o mais tecnológico compacto premium do mercado brasileiro. Mas ele cobra um preço por isso. O A1 é o carro para quem valoriza o conteúdo, conforto e eficiência do carro. Certamente é um carro muito gostoso de dirigir, tanto na estrada como na cidade. E pra quem gosta de fortes emoções, a versão de 185 cavalos, garante toda a emoção necessária. 

Marcelo Alexandre / Fernando Futenma
Marcelo Alexandre / Fernando Futenma
Marcelo Alexandre / Fernando Futenma
Marcelo Alexandre / Fernando Futenma
Marcelo Alexandre / Fernando Futenma
Marcelo Alexandre / Fernando Futenma
Marcelo

Deixe uma resposta