Austrália pretende aprimorar recepção de estudantes estrangeiros

Gesture made by hands showing symbol of heart and love over australian flag

 

A Austrália é reconhecida mundialmente por ser um dos destinos favoritos dos estudantes vindos do exterior, devido a  fatores como o clima, a hospitalidade e a qualidade de vida. E se depender do Ministério do Turismo e da Educação Internacional,  o país vai ganhar ainda mais prestígio nessa área. O órgão de governo lançou um plano inédito com duração de dez anos, chamado National Strategy for International Education 2025 (Estratégia Nacional para a Educação Internacional 2025), que visa tornar a Austrália ainda mais atrativa para os que vão ao país estudar.

A principal meta do plano é “manter a Austrália em uma posição de liderança na provisão de serviços de educação para estudantes internacionais”. O país já tem uma reputação positiva devido à qualidade da educação e das pesquisas,  e visa atingir seu potencial máximo. Para isso, investe em inovação e parcerias.“Certamente o novo plano do governo elevará a Austrália a um patamar ainda maior de excelência nessa área.

“A nação é reconhecida por acolher muito bem os estudantes internacionais e pela qualidade da educação, além de outros atrativos que o país oferece, não somente a estudantes como a imigrantes em geral. Essa estratégia só agregará ainda mais para a área de imigração””, comenta o especialista MaCson Queiroz JP, diretor da M. Quality, empresa de Assessoria em Imigração e Negócios especializada em auxiliar com o visto e na ida legal de brasileiros para a Austrália.

Todos os anos, a Austrália recebe dezenas de milhares de estudantes estrangeiros de todos os níveis (secundário, graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado). Em 2015, segundo dados oficiais, o país recebeu mais de 498 mil alunos de vários países, que escolheram a Austrália para investir em sua educação.

Para aprimorar ainda mais os serviços prestados, o Ministério baseou o plano em 3 pilares: Fortalecer os fundamentos (construir educação de nível internacional, investindo no treinamento e no sistema de pesquisa; proporcionar a melhor experiência de estudo possível; fornecer uma garantia de qualidade eficaz e regulação); Construir parcerias transformadoras (estreitar as parcerias domésticas; estreitar as parcerias no exterior; investir em mobilidade; criar conexões duradouras com os alunos); Competir globalmente (promover a excelência do país; aproveitar oportunidades para expandir a educação internacional).

Tais pilares, que incluem ações diversas, foram elaborados para proporcionar mais benefícios e oportunidades para os estudantes, da Austrália e do mundo todo. Segundo o plano, os alunos irão se beneficiar da educação de qualidade, com o suporte de serviços para os estudantes e ligações efetivas com a indústria. Já a Austrália irá se beneficiar com o incremento na participação de mercado, conexão com mercados novos e emergentes e relacionamentos internacionais mais fortes. Outros países como um todo também irão se beneficiar com a maior oferta de estudantes melhor preparados para a indústria, com capacidade ampliada em educação e pesquisa.

 

Equipe de redação

 

Deixe uma resposta