Avaliação: Hyundai HB20X 2015

Por: Marcelo Alexandre

Por Jorge Augusto

Fotos: Marcelo Alexandre 

 

Em Setembro de 2012, a Hyundai começou a escrever uma nova história, aqui no Brasil. Na ocasião, nem a própria Hyundai poderia imaginar o estrago que seu modelo fabricado (e criado) no Brasil, faria em modelos tradicionais da categoria de hatch-back compactos. Hoje, os modelos da família HB figuram entre os 10 carros mais vendidos no Brasil.

 

Fabricados na cidade de Piracicaba (interior de São Paulo), a família HB20 foi crescendo com o tempo. Hoje, existem duas opções de carroceria: a hatch-back e a sedan. Também são duas opções de motores: 1,0 litro de 3 cilindros e 1,6 litro de 4 cilindros. Entre as versões, uma delas merece atenção especial. Trata-se do HB20X, foco dessa avaliação. Ocupando a posição de “topo de linha” entre todos os modelos e versões da família HB, a versão X tem como foco oferecer um algo mais para aquele cliente que curte um visual aventureiro, é gosta de um carro diferente.

 

 

Estilo

 

Entre as várias características que se destacam nos produtos HB20, atenção para o conceito de design batizado de “Escultura Fluida”. Dessa forma, o carro praticamente não traz formas geométricas em seu exterior. Aliás, fica a impressão que o produto foi inteiramente desenhado com uma “curva francesa”. Faróis e lanternas tem desenho puxado, com curvas suaves. A carroceria também é amplamente marcada por essas formas, inspiradas em movimento de fluídos. Esse talvez seja o componente principal pelo qual o produto HB20 conseguiu cair no gosto do cliente brasileiro. Ainda que gosto seja bastante relativo, é difícil encontrar pessoas que caracterizem o HB como “feio”. A grande maioria define como bonito, e até mesmo lindo.

 

 

O visual X

 

Segundo a Hyundai, o HB20X é o irmão do meio da família HB (ainda que seja o mais caro). Trata-se de um hatch com visual crossover, inspirado nos SUVs da Hyundai. Segundo o fabricante, este é um produto pensado para atender usuários que têm um estilo de vida mais ousado e explorador. Para isso, o veículo teve os para-choques dianteiros e traseiros totalmente redesenhados em relação ao HB20, além de mudanças na suspensão, como a utilização de pneus maiores.

 

No para-choque dianteiro, a grade em formato hexagonal ficou destacada, assim como as entradas de ar na cor preta e o desenho dos faróis de neblina. Na parte traseira, o para-choque mais robusto, com proteção à carroceria, também em preto, é destaque. A proteção envolve ainda a área inferior das portas e todo o contorno inferior do veículo.

 

 

Motor e câmbio

 

O HB20X está à venda apenas com motor 1,6 litro – 16v Flex. Sua potência máxima é de 128 cavalos. Ele está entre os mais potentes encontrados nos hatch-back compactos. Como destaque, está presente o comando de válvula variável (CVVT). Isso ajuda especialmente nas acelerações, pois as válvulas podem ter seu tempo de abertura ajustado conforme a demanda de potência. Isso permite maior economia de combustível quando o carro esta em velocidade constante, com um tempo de abertura menor.

 

Vale destacar que o motor do HB20X tem a mesma base estrutural dos motores que já equiparam Hyundais importados como o Veloster e o antigo i30. Ou seja, o HB20X usa um motor muito parecido ao de carros de maior porte.

 

Um senão no HB20X é justamente o câmbio automático. A Hyundai ainda utiliza um câmbio de quatro marchas. Essa tecnologia já esta um pouco defasada para os novos padrões de eficiência energética, dos carros atuais. O conjunto motor e câmbio até consegue entregar um desempenho convincente no HB20X. Porém, poderia ser muito melhor se o modelo tivesse um câmbio com mais marchas. Assim, a limitação de melhor desempenho e maior economia, está justamente no câmbio. De qualquer forma, o câmbio automático assegura conforto muito superior ao de qualquer concorrente equipado com câmbio robotizado de simples embreagem.

 

 

Desempenho

 

Mesmo com câmbio automático de quatro marchas, o HB20X consegue convencer. Com etanol, sua média na estrada viajando a 120 km/h com ar-condicionado ligado, chega à 11 km/l. Na cidade é possível percorrer 8 km/l. Certamente um resultado muito bom. E com um tanque de 50 litros, sua autonomia é fica próxima de 500 km, com um uso misto.

 

O desempenho também pode ser considerado como muito bom. Com câmbio automático, a aceleração de 0 à 100 km/h acontece em 11,4 segundos e a velocidade máxima é de 174 km/h. Para um hatch compacto, esses números são bem convincentes.

 

 

Equipamentos

 

O HB20X é uma versão muito bem equipada. De série, vem sempre equipado com freios ABS + EBD, sensor de estacionamento traseiro, faróis auxiliares dianteiros e alarme com sensor de presença. Vale destacar que toda a família HB20 (mesmo os modelos de entrada) já vem de fábrica com ar condicionado, direção hidráulica, duplo airbag frontal, banco do motorista com regulagem de altura e computador de bordo.

 

Um recurso presente no HB20X, e raramente encontrado nos modelos compactos, é um porta-óculos retrátil instalado junto às luzes internas. Outro item de conveniência e o controle de abertura interna da tampa de combustível. Não é preciso dar a chave para o frentista. Além dos vários porta-objetos espelhados pelo carro, existe também uma gaveta sob o banco do motorista. O espaço é suficiente para uma bolsa feminina pequena.

 

A versão Premium do HB20X avaliada aqui, ainda inclui alguns outros interessantes equipamentos. Entre eles está o sistema de simples toque para subida e descida dos 4 vidros, somado ao dispositivo de antiesmagamento. Outro benefício é a possibilidade de se realizar a abertura e fechamento dos vidros, pelo telecomando da chave canivete.

 

 

Mais tecnologia

 

O HB20X ainda reserva alguns destaques tecnológicos. Um deles é Painel Supervison Cluster. Segundo o fabricante trata-se de um painel de instrumentos diferenciado. Utilizando iluminação branca, ele fornece leitura clara e direta de cada informação no painel de instrumentos. A iluminação é acionada ao girar a chave.

 

A versão Premium do HB20X também inclui o sistema de ar-condicionado com “Cluster Ionizer”. Trata-se da liberação automática de íons negativos que esterilizam e desodorizam o ar no interior do veículo, sendo muito menos agressivo às pessoas com alergia respiratória. O equipamentos está implantado diretamente na unidade evaporadora e libra os íons diretamente no fluxo de ar, sempre que o ar-condicionado está ligado. O resultado direto é a redução considerável de odores desagradáveis.

 

O sistema de som do modelo, também já vem alinhado com as novas necessidades. O HB20X traz uma completa central multimedia. Ela incorpora conexão Bluetooth, tanto para viva-voz, como áudio streaming. Inclui também entrada USB e porta AUX tipo P2, integradas ao painel na parte de baixo. Detalhe que essa central não tem mais o acionador de CD. Para pleno conforto, o HB20X traz os comandos de áudio e bluetooth diretamente no volante do carro.

 

Essa central ainda inclui tela sensível ao toque, sistema de navegação GPS e receptor de TV digital já no padrão brasileiro. O formato da tela é wide-screen, conseguindo exibir a programação já no formato mais atual. Mas a imagem de TV só é exibida com o carro parado. Ao movimentar o veículo, a imagem é suspensa, mantendo o áudio do TV. Todos os controles da TV, Som ou GPS, são feito por meio da tela sensível ao toque.

 

 

Espaço

 

Mesmo sendo o hatchback compacto, o HB20X não decepciona no espaço. O porta-malas, por exemplo, conta com 300 litros de capacidade. Com os bancos traseiros totalmente rebatidos, a capacidade de carga aumenta para 900 litros. Os ganchos instalados nos quatro cantos, ainda permitem a fixação de rede de separação de espaços ou fixação de objetos. Mas essa rede não vem de série no carro.

 

O HB20X conta também com regulagem de altura e profundidade do volante, bem como um descansa braço escamoteavel para o motorista. Apesar de trazer ajuste de altura do banco do motorista, esse tem um problema de projeto, Em vez de subir ou descer o assento por inteiro, o ajuste altera a altura inclinando a parte da frente do assento. Assim, na regulagem mais baixa, o banco fica parecendo um “escorregador”. Já no ponto mais alto, o banco vira uma “concha”.

 

 

Dirigibilidade

 

O visual aventureiro do HB20X tem algumas vantagens práticas. Como o carro é um pouco mais elevado em relação a versão tradicional e os pneus são maiores com medida 175/70 de raio 14 polegadas, a versão X consegue superar os obstáculos urbanos com grande facilidade. Lombadas e valetas são transpostos sem qualquer problema. Até mesmo os motoristas mais desatentos, que acabam saltando as lombadas, não terão problemas. Durante nosso teste, o HB20X nunca bateu ou raspou a parte de baixo em lombadas e valetas, mesmo em situações extremas. Além disso, o conjunto se mostra bastante resistente para encarar ruas esburacadas, sem qualquer problema.

 

O acerto da suspensão está mais rígido. Isso limita um pouco o conforto, em ruas esburacadas. Mas essa mudança corrigiu um problema que era percebido, inicialmente, nos primeiros HB20X. A suspensão traseira chegava com certa frequência ao “fim de curso”, principalmente quando o motorista saltava uma lombada. Agora, isso não acontece mais. A Hyundai corrigiu o problema, deixando a suspensão mais justa e consistente.

 

 

Alguns problemas

 

O HB20X, em geral, é um produto muito bom. Mas traz algumas questões que podem ser revistas no futuro. A tela da central multimídia tem baixo brilho. Em dias de sol forte, é difícil visualizar as informações da tela. Além disso, falta também a possibilidade de fechamento individual das saídas de ar central. Quem não gosta de vento direto, não tem um controle para fechar a saída de ar.

 

 

Preço

 

Ainda que o HB20X seja apresentado como o “irmão do meio” pela Hyundai, ele é o mais caro de todos. O HB20X é oferecido em duas versões, sendo a Style e Premium.

 

A versão Style com câmbio manual inicia em R$ 50,5 mil. Com navegador o preço sobre para R$ 53,2 mil. Com o câmbio automático e navegador, o preço passa para R$ 56,5 mil. Já a versão Premium só sai equipada com câmbio automático pelo preço inicial de R$ 56,4 mil.

 

Os únicos opcionais na versão Premium do HB20X são o sistema de navegação e os bancos forrados em couro. Com todos os equipamentos, o preço do HB20X vai à R$ 60,7 mil.

 

O HB20X está disponível em cinco cores, sendo duas sólidas, duas metálicas e uma perolizada. Inclusive, a cor Marrom Clay (perolizada) é exclusiva do HB20X. Os concorrentes diretos do HB20X são o novo Volkswagen CrossFox e o novo Renault Sandero Stepway, ambos apresentados no último Salão do Automóvel de São Paulo.

Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre

Curtir isso:

Deixe uma resposta