Avaliação: Lexus CT200h

Por: Marcelo Alexandre

Luxo e sustentabilidade são duas coisas que dificilmente andam juntas. Afinal, o conceito de luxo por si só, costuma ser algo que sobra, excede ou vai muito além do necessário. Já o sustentável é algo que remete ao racional, na medida certa e somente o necessário. Mesmo com essa distância conceitual de propósitos, existem alguns bons exemplos que conseguem unir as duas coisas. No mundo dos automóveis, um bom exemplo de luxo e sustentabilidade é o hatchback híbrido de luxo da Lexus: o CT200h. Aliás, esse foi o primeiro veículo do mundo, nessa categoria, com esse propósito.

 

A primeira vez que foi visto no Brasil, foi no salão do automóvel de 2012. O CT200h é um automóvel híbrido direcionado para um público jovem, preocupado com questões ambientais, e que não abre mão de conforto e sofisticação.

 

Conceito Híbrido

 

No mundo, existem três tipos de propulsão híbrida no mercado, definidas por: “micro”, “mild” e “full”.

 

O chamado “micro” híbrido funciona com motor de partida e gerador integrado, acionado por correia. Também é conhecido como Auto-Start-Stop, que desliga e religa o motor nas paradas.

 

O híbrido “mild” também opera com motor de partida e gerador integrado, acionado por correia ou montado no volante do motor, com bateria adicional de 42 V a 120 V para tração.

 

Já o híbrido “full”, mais completo, é o único capaz de tracionar o veículo no modo puramente elétrico. Ele possui motor a combustão e motor elétrico integrados na transmissão e bateria de alta capacidade, de 250 V ou mais para tração. Essa bateria é recarregável, pela ação do veículo (transformando o movimento em geração de energia), sem a necessidade de ligações externas.

 

O CT200h é do tipo híbrido “full” (total), ou seja, um veículo no qual o sistema de tração consegue operar no modo puramente elétrico até a velocidade de 50 km/h.

 

O segredo da tecnologia Lexus Hybrid Drive é usar dois tipos de motores em paralelo no mesmo carro, sendo um elétrico e outro a combustão. Isso permite ao carro entregar um consumo de combustível extremamente baixo, sendo algo entre 19 km/l, tanto na estrada, quanto na cidade.

 

Os dois motores

 

A potência dos dois motores somada é de 136 cavalos. O motor à combustão de 1,8 litro – 16 válvulas e comando variável, usa o ciclo Atkinson. Nesse ciclo, o motor mantém a válvula de admissão aberta por mais tempo, reduzindo o volume de ar no pistão. Isso diminui consideravelmente as perdas do motor, que é calibrado para funcionar na região de trabalho de maior eficiência. Esse motor Atkinson gera uma potência máxima de 98 cv (@ 5.200 rpm) e torque de 142 Nm (@ 4.000 rpm).

 

O ciclo Atkinson tem a vantagem de aproveitar melhor a energia do combustível (com menor consumo), pois a taxa de compressão é menor que a de expansão. No ciclo Otto, as taxas são iguais, e tem a vantagem de produzir maior potência (com um consumo maior de combustível).

 

Outra característica importante desse motor é o fato de dispensar a utilização de uma correia auxiliar para mover componentes do veículo como: o compressor do ar-condicionado, a bomba de água e a assistência elétrica da direção. Estes funcionam com a eletricidade gerada pela potência do sistema de baterias, colaborando para a redução do consumo de combustível.

 

O restante vem do motor elétrico de 650 Volts alimentado por corrente elétrica alternada. Este funciona em sincronia com o motor a combustão. A potência máxima motor elétrico é de 60 kW (que equivale à 80 cavalos). O torque máximo desse motor é de 80 Nm.

 

Para funcionar, o motor elétrico traz uma grande bateria de íons de lítio que fica montada abaixo do piso do porta-malas, na parte de trás do carro. Ele se recarrega com a energia que sobra do motor a combustão, e também o sistema de freios regenerativos, que acumulam energia a cada frenagem do veículo. São quatro modos de condução, que podem ser selecionados no painel: Normal, Eco (que privilegia o motor elétrico), Sport (com ênfase no motor a combustão) e EV (exclusivamente utilizando o motor elétrico em velocidades de até 50 km/h).

 

Câmbio CVT

 

Para máxima eficiência dos motores, o CT200h vem equipado com um câmbio altamente eficiente de tecnologia continuamente variável. Esse câmbio E-CVT tem uma relação de marcha variável e infinita, usando sempre a melhor relação para cada situação. Além disso, não existe o momento de troca de marcha. A aceleração é sempre linear.

 

O uso do câmbio CVT neste caso é, sobretudo, uma necessidade. Ele permite que, tanto o motor a combustão de ciclo Atkinson, como o motor elétrico, utilizem a menor potência possível para movimentar o carro. Uma característica bastante interessante é que esse cambio é acionado por uma alavanca totalmente lógica. Ela parece um pequeno joystick. Com movimentos sutis, o motorista seleciona as posições Drive, Neutro ou Reverse (idênticas a qualquer câmbio automático tradicional).

 

Além disso, esse câmbio tem uma posição a mais. Trata-se da posição “B” (de Break Force) ou freio motor. Quando selecionada, o câmbio entende que deve elevar a rotação toda vez que o carro esta desacelerando, para gerar energia elétrica para o sistema híbrido. Tal posição é extremamente útil quando o carro está descendo uma serra. Além de minimizar o uso do freio, o sistema carrega a bateria e economiza combustível.

 

Operação

 

O funcionamento e alternância dos motores é um processo realmente complexo. Mas de forma simplificada, funciona assim: Em baixa velocidade e quando o veículo esta parado no trânsito, funciona apenas o motor elétrico. Numa aceleração mais forte, os dois funcionam juntos. Na estrada em velocidade constante, o motor a combustão traciona o carro e recarrega a bateria.

 

Partida silenciosa

 

Diferente de todos os outros veículos, a partida do CT200h é, em grande parte das vezes, totalmente silenciosa. Basta apertar o botão de partida, e uma indicação no painel mostra que o carro esta pronto para andar, sem qualquer ruído. Geralmente, o primeiro movimento é feito com tração elétrica.

 

Em teoria, o princípio básico de funcionamento é o uso do motor elétrico nas situações de baixa velocidade ou trânsito pesado (sempre em velocidades inferiores a 40 km/h). Porém, isso depende diretamente do estado da carga da bateria. Se ela estiver carregada, o carro dará partida e ganhará velocidade (até cerca de 40 km/h) sempre em modo elétrico. Mais isso, só ocorre se o motorista acelerar o carro de forma suave. Caso o motorista pise fundo no acelerador, tanto o motor elétrico, quanto o motor a combustão, serão acionados para responder a solicitação. Nesse caso, além do consumo de combustível, a bateria também será drenada para essa solicitação.

 

Desempenho

 

Mesmo sendo um híbrido, o desempenho é convincente. A velocidade máxima é de 180 km/h. E a aceleração até 100 km/h acontece em apenas 10,5 segundos.

 

Interior refinado

 

O Lexus CT 200h proporciona conforto típico dos veículos da marca, com acabamentos confeccionados em materiais suaves ao toque, como couro e veludo, que reforçam a qualidade superior da cabine. Seu interior é inspecionado rigorosamente por mestres artesãos chamados de “Takumi”, que verificam se cada veículo cumpre os premiados padrões da Lexus. Para ser um artesão Takumi, é necessário conhecimento técnico aperfeiçoado por décadas de experiência.

 

Dessa forma, o CT200h se revela um verdadeiro Lexus. O painel é dividido em duas partes distintas: a primeira zona, localizada à frente do motorista, reúne as informações de condução e do computador de bordo, como velocidade máxima, consumo de combustível e nível de carga da bateria híbrida. A segunda zona, colocada no centro do cockpit, concentra uma tela de navegação do GPS, que pode estar aberta ou recolhida com o carro em movimento, controle do ar-condicionado e do sistema multimídia.

 

Ainda em seu interior, o CT200h traz bancos que abraçam motorista. Na versão topo de linha, os bancos dianteiros têm ajuste elétrico, sendo 10 opções pré-programadas para o motorista e quatro para o passageiro, e ainda possuem sistema de aquecimento.

 

O sistema de entretenimento do CT200h inclui áudio de última geração, com seis alto-falantes, reconhecimento de voz, tecnologia Bluetooth e entradas auxiliar e USB, para conexão de smartphones. Conta ainda com sistema de GPS, TV digital e reprodutor de DVD.

 

Para quem quer ainda mais sofisticação, existe uma versão ainda mais completa e exclusiva do CT200h. Assim, a versão Luxury, além do revestimento em couro dos assentos, acrescenta Daytime Running Lights em LED, sensor de estacionamento, teto solar elétrico com sistema antiesmagamento e acionamento por um toque.

 

Segurança

 

Com relação à segurança, estão disponíveis airbags de duplo estágio, sendo duplo dianteiro, duplo laterais dianteiros montados nos assentos, duplo laterais do tipo cortina e dianteiro para a proteção dos joelhos, além de freios com ABS, Controle de Estabilidade (VSC) e Assistente para Arranque em Subida (HAC).

 

Com relação à sustentabilidade, o CT200h utiliza no painel central e no painel das portas plásticos ecológicos, com 30% de polietilenio. E, além disso, a reciclabilidade do modelo é superior a 80%.

 

Preços e versões

 

O CT200h é vendido por R$ 127 mil na versão Eco, e R$ 145.950 na Luxury, ambas disponíveis nas concessionárias Lexus, espalhadas pelo Brasil.

Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre

Curtir isso:

Deixe uma resposta