Avaliação: Novo Chevrolet Cruze LTZ

Por: Marcelo Alexandre

Substituir um modelo de grande sucesso nunca é fácil para qualquer marca. Ainda mais quando esse modelo foi um campeão de vendas, por vários anos seguidos. Pois essa é a missão do recém-lançado sedan Cruze, da Chevrolet. Ele chega para substituir o Vectra, um carro que marcou profundamente o segmento de sedans médios no Brasil. É bem verdade que o Vectra já estava defasado em relação a seus principais concorrentes, em especial os japoneses Civic e Corolla. Mas, tomar a decisão de “matar” o nome Vectra e trazer um novo carro, certamente não deve ter sido fácil para a Chevrolet.

 

O novo Cruze já inicia suas vendas no Brasil com o mérito de ser o automóvel de passeio, da Chevrolet, mais vendido no mundo. Atualmente, ele é comercializado em mais de 70 países. O novo modelo nasceu para ser um carro global, porém chegou tarde ao mercado brasilero, que foi o 71º a receber o Cruze. Entre as características do Cruze, podem ser destacadas a melhor qualidade e refinamento de sua construção. Como resultado direto, o modelo tem ótima classificação nos testes de segurança EuroNCAP.

 

No mercado brasileiro, o Cruze será vendido em duas versões, a LT e a LTZ, ambas equipadas com motor Ecotec6 e transmissões de 6 marchas, tanto na versão manual, como na automática.

 

Estilo


Segundo o fabricante, o Cruze traz visual marcante e esportivo, que tem base nos designers da GM Coreana. A idéia é mostrar algo revolucionário, tanto para o exterior como para o interior, introduzindo elementos visuais modernos e explorando uma nova forma de expressão das linhas de design da marca.

 

A grade bipartida (iniciada no Malibu) traz o logotipo da Chevrolet, ladeada pelos faróis sofisticados e ligeiramente puxados. A traseira inclui as lanternas com duas formas circulares, similar a outros modelos da Chevrolet.

 

Interior


O interior mudou completamente em relação antigo Vectra. Muito mais ergonômico e com acabamento de qualidade superior, prevalece um toque de esportividade numa atmosfera bastante envolvente. Entre suas características marcantes, está a integração do painel de instrumentos com os painéis de porta. Também pode ser notado o típico desenho de dual cockpit, solução encontrada para aproximar o condutor e o passageiro numa experiência compartilhada. O console central inclui o visor e os comandos dos sistemas de informação, entretenimento e climatização do Cruze.

 

A instrumentação do painel traz iluminação de fundo com luz clara e nítida, em tom branco e azul (Ice blue). Entre estes mostradores, encontra-se uma tela de cristal líquido no centro do painel, que exibe as informações do computador de bordo.

 

Assim como os outros elementos do interior, o conforto e o desenho dos bancos estão entre os melhores do segmento. Estes são envolventes e possuem uma construção em trama que distribui o peso de forma equilibrada, bem como um enchimento em espuma firme e nos assentos e nos encostos, seja nos bancos dianteiros ou traseiros. A forração dos bancos é feita em couro cinza na versão LTZ. Outro ponto que merece atenção é o porta-malas com capacidade para 450 litros.

 

Equipamentos


Realmente, o Cruze surpreende em matéria de equipamentos. Dá para se afirmar que o modelo briga pela liderança no segmento quando o assunto é tecnologia embarcada. A versão topo de linha LTZ, foi o foco de nossa avaliação. De série, já vem com rodas de liga leve aro 17 polegadas, com pneus 225/50 R17. Mas os equipamentos vão muito além. A versão LTZ inclui: airbags frontais, laterais e de cortina (de série); tela de sete polegadas com navegação por GPS; ar-condicionado automático e digital; programa eletrônico de estabilidade (ESP); detector de obstáculos traseiro; controle de tração e freios com ABS dotados de EBD e assistência de frenagem de pânico.

 

O ar-condicionado do Chevrolet Cruze, digital e automático, inclui função AQS (Air Quality System), que mede a qualidade do ar externo e ativa a recirculação do ar, em caso do mesmo estar poluído. Ainda que não seja uma novidade no mercado, é uma novidade nos carros da Chevrolet no Brasil.

 

Um dos destaques do novo produto é o sistema de entretenimento integrado de fábrica. Utilizando uma tela de 7 polegadas, localizada no console central, inclui um eficiente sistema de navegação, com mapas do Brasil e da Argentina. Além das ruas, estradas e avenidas, a base de dados inclui mais de 4 milhões de pontos de interesse como postos de gasolina, restaurantes, hotéis, pontos turísticos e etc. A sofisticação do sistema é tamanha, que quando traçada uma rota, além das indicações tradicionais, um janela adicional se abre para ilustrar manobras mais complexas. Além disso, o sistema dispõe de rádio com leitor de CD e MP3. A versão topo de linha LTZ, oferece um sistema Premium de áudio que inclui uma entrada USB para conexão de dispositivos móveis, sob o descansa-braço central. E esse apoio de braços e regulável.

 

Além da conexão USB, o sistema multimídia do Cruze vem com conexão Bluetooth, para celular. Apenas o modo viva-voz é suportado. Não é possível fazer a reprodução de músicas do celular, pelo Bluetooth. Ainda existe a opção da conexão tipo P2 (por cabo) para outros reprodutores de música digital.

 

Outro equipamento muito interessante do Cruze LTZ é o sistema de chave presencial. Basta se aproximar do carro com a chave no bolso, colocar a mão na maçaneta e a porta se abre, sem a necessidade de apertar qualquer botão. Para dar a partida, basta apertar o botão do lado direito do volante. Ao sair do carro, basta aproximar a mão da maçaneta para o sistema trancar o carro automaticamente. Vale ressaltar que esse recurso é inédito entre os carros da Chevrolet no Brasil.

 

Motor e câmbio novos


No Brasil, o Chevrolet Cruze chega equipado com o novo motor 1.8 litro Ecotec6 e duas opções de câmbio: manual e automático de seis marchas. Na versão LTZ, somente existe o câmbio automático de seis marchas, incluindo a opção de mudanças no modo seqüencial.

 

Esse novo motor traz cabeçote conta com duplo comando de válvulas continuamente variável (Dual CVVT), com variação do tempo de abertura das válvulas de admissão e de escape. Inclui ainda coletor de admissão variável. A principal vantagem é uma queima de combustível mais eficiente, proporcionando economia e uma menor emissão de gases poluentes.

 

Desempenho


O motor Ecotec6 1,8 litro chega à 144 cavalos quando abastecido com etanol e 140 com gasolina, ambas a 6.300 rpm. O torque máximo, com etanol, é de 18,9 kgfm a partir de 3.800 rpm. (com gasolina, o torque é de 17,9 kgfm). Com esse conjunto motor e câmbio, o Cruze usa 11,4 segundos para ir de 0 a 100 km/h e atinge a velocidade máxima de 197 km/h, quando abastecido com etanol. Com gasolina, o Cruze precisa de 11,7 segundos para chegar aos 100 km/h e atinge os mesmos 197 km/h de velocidade máxima. De fato, o Cruze não é tão empolgante assim ao volante. Antigos donos de Vectra ou Astra, podem até ter a sensação do carro “andar” menos. Entretanto, o novo Cruze é muito mais econômico e gostoso de dirigir. Na estrada, em velocidade média de 120 km/h, com ar condicionado ligado e abastecido com gasolina, é possível atingir médias de 14 km/l. Número impossível para o antigo Vectra sedan automático.

 

Suspensão


A suspensão dianteira é do tipo McPherson e tem molas com um formato especial que contribuem para estabilidade. As buchas hidráulicas que fixam os braços inferiores da suspensão ao subchassi aumentam o grau de isolamento no rodar e permitem uma absorção mais controlada das vibrações originadas em pisos irregulares, resultando numa dirigibilidade superior do veículo.

 

A suspensão traseira, tipo Z-link, apresenta um sistema composto de barra de torção especial com perfil em []U[], construído com duas camadas. Este desenho alia as vantagens da economia de espaço de um eixo com barra de torção convencional ao baixo peso e ao controle do câmber das rodas.

 

Tudo isso resulta numa suspensão mais firme e estável que a do antigo Vectra. Na prática, alguns clientes tradicionais da GM podem achar o Cruze um pouco mais duro que a média dos carros da marca. Mas, aqueles que procuram por esportividade, certamente gostarão dessa característica.

 

Mercado e preço


O Cruze é produzido em dez diferentes países. É fabricado nas plantas de Adelaide (Austrália), Gunsan (Coréia do Sul), Lordstown (Estados Unidos), Norsom II (China), São Caetano do Sul (Brasil) e São Petesburgo (Rússia). Além delas, o sedã é montado em regime de CKD em Vidamco (Vietnã), Halol (Índia), Rayong (Tailândia) e Valencia (Venezuela). O Chevrolet Cruze brasileiro sai da fábrica de São Caetano do Sul, em São Paulo. A Chevrolet conta com mais de 600 pontos de assistência espalhados pelo país. A versão LTZ tem preço sugerido de R$ 78,9 mil. A garantia é de 3 anos, sem limite de quilometragem. Seus principais concorrentes são: Honda Civic EXS, Toyota Corolla Altis, Renault Fluence, VW Jetta 2.0, Peugeot 408 entre outros sedans do segmento.

Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre
Marcelo Alexandre

Deixe uma resposta