Azul anuncia venda de passagens para os EUA sem data definida

A oferta será exclusiva para Clientes Diamante, Azul Itaucard ou pertencentes ao Clube Tudo Azul

ilhéus Azul

Bilhetes para Orlando e Fort Lauderdale serão comercializados pela Azul Linhas Aéreas a partir de quinta-feira (22), podendo ser utilizados nos primeiros voos após a abertura da fronteira dos Estados Unidos para a entrada de brasileiros. A oferta será exclusiva para cientes Diamante, Azul Itaucard ou pertencentes ao Clube Tudo Azul

“Quem já não aguenta mais postar #tbt? Quantas e quantas pessoas que nem lembram mais qual é a sensação de se aventurar em uma montanha russa?! É pensando em todo mundo que está com esse sentimento que estamos lançando mais uma iniciativa inovadora e exclusiva, que quer diminuir a ansiedade de quem está doido para viajar para os Estados Unidos. As pessoas me perguntam diariamente se sabemos quando a fronteira vai abrir. Por isso, criamos alguns voos para aqueles que quiserem ser os primeiros. Nossa ação é uma convocação aos Clientes, para que eles planejem, desde agora, a sua próxima viagem para o exterior, e que seja de Azul, é claro”, pontua Abhi Shah, vice-presidente de Receitas da Azul.

Os bilhetes serão comercializados a preços promocionais para voos que serão cumpridos ao longo dos 20 primeiros dias após a liberação da entrada de brasileiros no país. A promoção terá resgate limitado a até duas passagens por CPF e permitirá o transporte de uma bagagem despachada de 23 Kg, por Cliente, por trecho. A oferta é exclusiva para Clientes Diamante, Azul Itaucard e aos pertencentes ao Clube TudoAzul.

Após o anúncio oficial de reabertura das fronteiras para viajantes provenientes do Brasil, o Tudo Azul realizará contato telefônico através do número informado no cadastro para realizar o agendamento da passagem aérea. Os voos serão realizados a bordo das modernas aeronaves Airbus A330, para até 298 viajantes, sempre respeitando os rígidos protocolos sanitários e de higiene estabelecidos pela companhia desde o início da pandemia.

Deixe uma resposta