Azul Linhas Aéreas lança ferramenta de rastreamento de bagagem

A Azul espera rastrear 100% das bagagens e reduzir ainda mais o percentual de extravio com a implementação da ferramenta em todas as bases de operação

Azul

A Azul Linhas Aéreas criou uma ferramenta de rastreio de bagagem que monitora o caminho das malas até o destino final. Em Cuiabá, onde os teste foram feitos, os índices de extravio de bagagem vem diminuindo a cada dia nos voos da empresa que partem ou chegam da capital do Mato Grosso.

A tecnologia funciona com aparelhos semelhantes a smartphones, que são utilizados pelos tripulantes da companhia para fazer a leitura do código de barras que acompanha a etiqueta da bagagem despachada. Com traking code ou código de rastreamento, a mala é rastreada a cada manuseio e o status da bagagem é enviado para um sistema de controle.

Por meio do aplicativo da companhia, o cliente recebe notificações sobre três etapas de movimentação de sua bagagem:

  • Check-in – não sendo necessário a entrega do canhoto da etiqueta para o cliente
  • Carregamento na aeronave
  • Restituição na esteira de bagagens

“Começamos a testar essa tecnologia nos voos entre Campinas e Cuiabá durante um período e hoje já é uma realidade em todas as bases da Azul, fornecendo informações aos Clientes e, ao mesmo tempo, controlando o fluxo de bagagens despachadas e restituídas e reduzindo os extravios de bagagem”, afirma Kléber Linhares, diretor de tecnologia da Azul.

Linhares ainda declara que a logística deve ser levada a todas as bases de operação da Azul. “Esperamos concluir em pouco tempo o alinhamento com as áreas operacionais e terceirizados, fazendo com que essa leitura seja parte da rotina de nossas bases, melhorando nossa operação e contribuindo para a experiência do Cliente que voa Azul”, destaca.

A ferramenta alimenta um sistema interno que fortalece o controle da companhia em todas as bagagens em trânsito. A empresa já detém os melhores número do setor e tem expectativa de rastrear 100% das bagagens e reduzir ainda mais o percentual de extravio, que passou de 2,14 em abril para 1,89 bagagens para cada mil cliente transportado em junho.


Deixe uma resposta