Azul terá novo voo para norte da Bahia

Por: Priscila Ferraz

O Governo do Estado, por meio das secretarias da Fazenda e do Turismo, anunciou na segunda-feira, dia 14, o início das operações do novo voo da companhia aérea Azul para Paulo Afonso, no norte da Bahia. Serão três voos semanais – às segundas, quartas e sextas-feiras – com início de operações previsto para o dia 15 de dezembro deste ano. “Esses voos ajudam o turismo, na medida em que aumentam a permanência dos viajantes nos destinos, ampliando a geração de renda nessas localidades”, afirma o secretário do Turismo, Domingos Leonelli.

 

Os voos foram viabilizados graças a um decreto assinado pelo governador Jaques Wagner, que prevê redução da alíquota do ICMS no querosene de aviação para a malha aérea regional. A Azul, cuja fusão com a Trip foi aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) em abril, passou então a operar em seis destinos baianos: Salvador, Vitória da Conquista, Ilhéus, Porto Seguro, Barreiras e Lençóis. Paulo Afonso será o sétimo destino da companhia no Estado.

 

De acordo com a legislação tributária vigente na Bahia, a alíquota para querosene de aviação, que é de 17%, pode ser reduzida na medida em que a companhia aérea amplie o número de voos e de municípios atendidos no Estado. A Azul, com a operação regular em seis municípios, já passa a fazer jus a uma alíquota de 14%, que será reduzida para 12%, após a entrada em operação do voo que atenda a Paulo Afonso. No acordo firmado com o Estado, a empresa também se compromete a aumentar as aquisições de querosene de aviação, de forma a compensar a redução na alíquota.

 

Com o novo voo, a capital baiana ficará integrada aos principais destinos turísticos do Estado, já que a Passaredo também inseriu novos voos para Barreiras e Valença. Juntos, os destinos beneficiados pelo Programa de Fortalecimento da Aviação Regional recebem 1,5 milhão de turistas por ano. “O acordo entre o Estado e a Azul, além de estimular o investimento da companhia aérea na malha regional, é vantajoso, sobretudo, para a população, que passa a ter mais opções de transporte aéreo”, explica o secretário da Fazenda, Manoel Vitório. 

 

 

PF

Deixe uma resposta