Bacelar e Executivo negociam medidas para empresários do turismo

Presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados também lamentou declaração do embaixador do Brasil na França: "ele não conhece o país que representa"

MP 1024
Deputado Bacelar, presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados

Ampliação e atualização nas linhas de crédito, articulação com o Poder Executivo, criação de grupos de trabalho com participação do trade turístico e ações de combate à desinformação. Essas são as estratégias que guiam a atuação da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados, presidida pelo Bacelar (Podemos/BA).

O líder parlamentar informou que começou a articular, junto aos ministérios da Economia, Turismo e, também, com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), a criação de um pacote de medidas econômicas para os empresários do setor. Entre elas, está a ampliação e atualização das linhas de créditos oferecidas pelo governo federal, por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur) e do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe).

O anúncio foi feito durante uma participação na Câmara Empresarial de Turismo da Fecomércio-BA, realizada virtualmente na quarta-feira (14), na qual Bacelar também comunicou a criação de um grupo de trabalho. Segundo ele, vão participar integrantes do Executivo, Legislativo e líderes do trade turístico com a intenção de acompanhar de perto a elaboração das propostas pelo governo.

“Algumas leis são muito antigas e precisam ser atualizadas. Não contemplam situações de emergência, como a que vivemos hoje. Já estamos nos reunindo e criando um grupo de trabalho para discutir a implementação de um pacote de medidas emergenciais específico para o Turismo. Não podemos ficar de braços cruzados esperando que a pandemia acabe e as viagens voltem a acontecer. Empregos, famílias, vidas dependem disso” afirmou.

O parlamentar disse, ainda que, durante as audiências públicas promovidas pela Comissão, as principais reclamações dos empresários têm sido a burocracia e a lentidão, além da desinformação por parte das financeiras. “Já realizamos mais de seis reuniões até o momento e as queixas são as mesmas. Precisamos concentrar as informações e fazer com que o dinheiro chegue na ponta. Como pedir garantias a quem não tem faturamento? Impossível”, lamentou Bacelar.

Durante o encontro, o presidente da Comissão destacou a importância de pensar o futuro do País no pós-pandemia e criticou a declaração do embaixador do Brasil na França que, ao saber do decreto do governo francês suspendendo os voos entre os dois países, minimizou o impacto econômico da medida.

“Realmente, ele não conhece o país que representa. O Turismo concentra 10% do PIB e 8% do trabalho formal no Brasil. Esta declaração é um absurdo. Nós recebemos turistas franceses e de todos os cantos do mundo. Precisamos vacinar a população, cuidar dos nossos empresários, nos adequar às exigências de viajantes e atrair estas pessoas novamente”, finalizou Bacelar.

Além de Bacelar, participaram da reunião Fausto Franco, secretário de turismo da Bahia, representantes da FecomércioBA, Confederação Nacional do Comércio e de 30 entidades ligadas ao turismo, de 34 municípios baianos, além de representantes da Caixa Econômica Federal.

Leave a Reply