Bariloche o ano todo

Por: Camila Oliveira




Quando se fala em Bariloche, logo vem em mente, neve. O sinônimo foi defino pelo homem, pelo tempo, e pela natureza, embora a cidade tenha sido um destino de verão, nos anos 30 e 40. Porém, só a partir dos anos 50, que Bariloche, situada na província de Rio Negro, começou a ser um destino de inverno, e tornou-se popular entre os brasileiros a partir dos anos 70 e 80.

 

 

 

 

 

 

 

 

O destino oferece atividades turísticas para todos os gostos em todas as estações   

 

 

rio

 

 

Ingresso à Patagônia Argentina, a também conhecida como São Carlos de Bariloche, atrai mais turistas durante o período de inverno, de uns anos pra cá. Por isso em alta temporada (julho e agosto) existem dez voos diários para o destino. E já estão programados quatro voos semanais diretos de São Paulo a Bariloche, pela Aerolíneas Argentinas (de quinta a domingo), além de outros 58 voos semanais, e 11 voos diários, a fim de potencializar a demanda que atualmente está em torno de 250 mil visitantes na alta temporada.

 

“Também queremos habilitar o aeroporto 24 horas por dia, não apenas nos meses de alta temporada”, enfatizou o prefeito de Bariloche, Omar Goye. “Ainda estamos trabalhando para colocar um voo direto do Rio de Janeiro a Bariloche, para aumentar ainda mais os 150 voos diretos no total à região”, declarou o presidente da Câmara de São Carlos de Bariloche, Daniel Garcia.

 autoridades

E segundo Leo Tiberi, do Inprotur, o destino busca incluir mais turistas de outros países da América Latina, já que hoje os principais visitantes na alta temporada são do Brasil, Chile, EUA e da vizinha Buenos Aires. “A expectativa é manter voos diretos de Bariloche para Córdoba (uma vez por semana), duas vezes por semana para Mendoza, e voos durante todos os dias de Bariloche para Calafate e Buenos Aires”, disse Tiberi.

 

Contudo, o Instituto Nacional de Promoção Turística da Argentina (Inprotur) tem trabalhado na constante divulgação de Bariloche, para que também se torne um destino de verão. “E toda essa divulgação tem o objetivo de mostrar principalmente que estamos recuperados, inclusive o aeroporto (após o vulção Puyehue entrar em erupção e as cinzas atingirem alguns locais, prejudicando as atividades aéreas, e por consequência as atividades turísticas no último ano na alta temporada). E também queremos mostrar que a Argentina tem atividades o ano inteiro”, declarou.

 

As autoridades também informaram que há um projeto de criar um novo centro de convenções. “O projeto já foi apresentado ao Ministério do Turismo, e poderá ser lançado entre dois e três meses. A expectativa é criar um espaço com capacidade para 2 mil, 2,5 mil pessoas”, declarou Goye. Além do turismo de negócios, serão realizadas outras ações no decorrer do ano relacionadas ao público mais jovem: “Além de trabalhar com o turismo de negócios, queremos trabalhar forte o ano todo com outros programas de turismo jovem; e mostrar o que temos para oferecer o ano todo. E nós temos esse potencial”, disse Angel Rovira Bosch, do Ministério de Turismo de Rio Negro.

 lago

Villa la Angostura

 

Quem deseja visitar um local tranquilo, belo e agradável, sem deixar de lado uma boa gastronomia e oportunidade de aproveitar atividades o ano inteiro também deve visitar Villa la Angostura, situada na província de Neuquén. Tudo isso unido a uma região de natureza exuberante.

 

Situado a 85 quilômetros de São Carlos de Bariloche, Villa la Angostura espera receber um maior número de visitantes – em janeiro deste ano a ocupação na cidade foi de 30% e em fevereiro 60%. Tudo isso também decorrente das cinzas do vulcão Puyehue (que ainda são vistas nas estradas da cidade), que entrou em erupção há quase um ano, e prejudicou a situação econômica da cidade, devido à diminuição de ocupação hoteleira – que normalmente era de 80 e 90%.

 

Os bons resultados estão surgindo aos poucos: no feriado da Semana Santa, a média foi de 74%, atingindo picos de 83% de ocupação. “Neste período, constatamos através de uma pesquisa, que 95% dos turistas no verão estavam contentes com a região e o destino atingiu as expectativas”, disse o coordenador de Turismo de Villa la Angostura, Pablo Bruni. “E para 60% a região foi melhor do que o esperava os visitantes. E 90% dos entrevistados recomendariam a província”, continuou.

 cerro bayo

Segundo Bruni, a tendência é aumentar estes números. “Por isso há um forte otimismo e estamos trabalhando para que haja novamente condições de receber todos os visitantes, vindos principalmente do Chile, EUA e Buenos Aires” declarou Bruni. E para o coordenador, a principal vantagem de se visitar  Villa la Angostura, é que além de aproveitar o tradicional centro de esqui, o destino pode ser aproveitado tanto pela família e casais, quanto pelos jovens.

 

Entre os itens vantajosos citados por Bruni estão: não há lotação de pessoas nos hotéis e nas ruas – a região possui 4 mil leitos e cerca de 150 estabelecimentos; o clima é ideal para os casais que buscam um local tranquilo, bonito e agradável; e além de oferecer atividades turísticas de inverno para o turismo jovem, este público também pode aproveitar a baixa temporada, para realizar atividades e esportes de aventura.

 

Camila Oliveira

Camila Oliveira
Camila Oliveira
Camila Oliveira
Camila Oliveira
Camila Oliveira
Camila Oliveira
Camila Oliveira

Curtir isso:

Deixe uma resposta