Belo Horizonte conquista primeiro Aeroporto Industrial do País

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte foi certificado pela Receita Federal e já está credenciado a iniciar a operação como Aeroporto industrial

Aeroporto Internacional de Belo Horizonte

O Aeroporto Internacional de Belo Horizonte anunciou que, após cumprir algumas exigências, recebeu a certificação da Receita Federa e está credenciado a iniciar a operação do primeiro aeroporto industrial do País. A ideia principal é aumentar a competitividade das empresas brasileiras no contexto internacional e atrair investimentos externos para o Brasil.

Um Aeroporto Industrial possibilita a instalação de empresas que tenham foco principal na exportação de produtos manufaturados, utilizando matérias-primas importadas em seu processo produtivo. Com a manufatura, as empresas terão os benefícios das isenções fiscais quando exportarem produtos. Além disso, terão a facilidade de importar matérias-primas e exportar sua produção utilizando o modal aéreo para acessar outros mercados.

Com a homologação do sistema de gestão do processo alfandegário junto à Receita, será possível garantir conexão das empresa que forem atuar no aeroporto com órgão, o que gera ganhos em logística e mais segurança. Dessa forma, as mercadorias podem ser submetidas às operações de exposição, demonstração e teste de funcionamento; industrialização e manutenção ou reparo, com suspensão do pagamento dos impostos ou utilização de benefícios fiscais.

“A certificação da Receita Federal e homologação do sistema é um passo de extrema importância para darmos andamento à operação do Aeroporto Industrial. Embora o país passe por um momento delicado, temos certeza que o projeto será fundamental para a retomada da economia mineira e também do país”, ressalta Rafael Laranjeira, gestor executivo de Soluções Logísticas da BH Airport.

Maria Carmen Fantini de Castro, auditora-fiscal da Receita Federal, acompanhou o processo de certificação e destacou a importância do projeto. “O Aeroporto Industrial possibilitará aos beneficiários do regime desenvolver suas atividades em zona primária, com ganhos expressivos em logística e segurança. Além dos benefícios da suspensão tributária, o uso da zona aeroportuária permitirá mais agilidade no fluxo de importação e exportação das mercadorias, garantindo ainda a segurança e o controle aduaneiros”, avalia.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui