Bob Santos assume aposta no internacional e alerta “hotelaria precisa se preparar”

Bob Santos, secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, destaca que ações de segurança e de mapeamento turísticos estão em desenvolvimento

0
Bob Santos, secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo

Goiânia/GO – Durante o Conotel e Equipotel, que acontece entre os dias 8 e 10 de maio, no Centro de Convenções Goiânia, em Goiás, Bob Santos, secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, deu seu parecer sobre o mercado hoteleiro e as ações que devem impulsionar ainda mais a cadeia turística em entrevista ao Brasilturis Jornal. 

De acordo com ele, pautas vem sendo trabalhadas visando, principalmente, a atração do mercado estrangeiro, como a isenção do visto para os Estados Unidos, Canadá, Japão e Austrália. “Segundo dados da Amadeus, junho houve um aumento de 53% na compra de passagens dos Estados Unidos para o Brasil frente ao ano passado. O Canadá conta com uma taxa ainda maior, de 135% agosto. Eu acho que a hotelaria deve começar a se preparar, a investir nas novas tendências”, alerta o secretário, que também destaca a redução do ICMS, já implementada em São Paulo, e o 100% do capital estrangeiro, atualmente em medida provisória.

LEIA MAIS:
+ Manoel Linhares: “Chega de perguntar o que fazer, e sim questionar como fazer”
+ Alexandre Sampaio: “Somos a favor de não mexer no Sistema S”
+ ABIH dá início ao 61º Conotel em Goiânia (GO) com líderes do mercado

Além disso, o profissional afirma que espera que haja uma maior adesão do Sistema Nacional de Registro de Hóspedes, que deve auxiliar na qualificação e na questão do acesso. “Se você tem uma ficha feito aplicativo e com facilitação turística, ajuda muito. Quando você vai a algum empreendimento, de luxo inclusive, a primeira impressão é a que fica”, exemplifica o executivo, citando a cultura das filas.

Santos também aproveita a oportunidade para aconselhar os profissionais a se atentarem aos pequenos detalhes, como o bem receber, o serviço de quarto, camareira, entre outros serviços. “O setor hoteleiro ficou estagnado nos últimos anos, não se adaptou ás novas tendências, principalmente na questão de tecnologias móveis e que fica explícito por meio da tecnologia da economia colaborativa que o próprio mercado se auto regulamenta e se auto avalia”, afirma.

Próximas ações

A segurança é um tópico que, para Santos, vem trazendo uma imagem negativa ao País. “Nós somos campeões em gastronomia e em hospitalidade. Por isso vamos investir mais em segurança, como com o Sistema Nacional de Segurança Turística, trabalhando de forma social e com nichos diferentes, como centro de atendimento turístico, qualificação do receptivo nos aeroporto e qualificação de terceirizados em inglês e espanhol.

Outras ações, como a gestão do Patrimônio Histórico Mundial da União, que passa a ser do Ministério do Turismo para fazer uma economia sustentável e para que ele auto se sustente, e a as áreas de interesse turístico, estão sendo trabalhadas.

“Vamos mapear terrenos e imóveis com viés turísticos e jogarmos para o mercado para a concessão de investidores. Não temos uma expectativa de quando essa concessão será realizada, já que se trata de um projeto a médio longo prazo. Estamos esperando cada estado listar seus pontos para que possamos dar continuidade a iniciativa”, finaliza.

Representante do Brasilturis Jornal viaja a convite da ABIH Nacional com seguro Affinity

LEIA TAMBÉM:
- Gramado é definida como sede do Conotel/Equipotel 2021 
- Conotel promove roadshows de lançamento em Rio Branco, Curitiba e Salvador
- Conotel/Equipotel será lançado em Recife, Porto Alegre e Florianópolis

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here