Brasil investe no mercado chinês e estima 90 mil chineses até 2022

Para conseguir atrair esse público, o Brasil está realizando a missão de negócios Brasil na China, visando atrair o mercado que movimenta cerca de US$ 250 bilhões

0
Comitiva da Missão China em encontro com agentes e operadores de turismo chineses

O número de chineses no Brasil vem crescendo a cada ano, motivado, por exemplo, pelas experiências culturais e ecoturísticas. De acordo com o Ministério do Turismo, em 2018, teve um aumento de 8,1% no números de chineses, totalizando 66 mil visitantes. Até 2022, a previsão é que este número ultrapasse 90 mil visitantes.

Para isso, está acontecendo a missão de negócios do Brasil na China, a fim de atrair o mercado, que movimenta US$ 250 bilhões.  A viagem, realizada pelo segundo ano consecutivo, é uma oportunidade para divulgar o potencial turístico brasileiro no continente asiático e para promover a abertura do mercado do chinês.

Até o próximo dia 20, a Embratur, Visit Iguassu, Rio Convention & Visitor Bureau e Rio Galeão estarão presentes em workshops na cidade de Beijing Chengdu. Lá, as comitivas irão encontrar agentes e operadores de turismo e apresentar os destinos brasileiros, infraestrutura, atrativos para incentivar o incremento de fluxo do turismo brasileiros.


LEIA MAIS:
+ 1 Hotels mira brasileiros e exalta expansão para China e México até 2020
+ WTM Latin America 2019 terá China pela 1ª vez como expositora
+ China, Etiópia e Indonésia suspendem voos com o Boeing 737 Max 8

As organizações brasileiras também estarão presentes no estande do Brasil do ITB China, de 15 a 17 de maio, em Shangai. A ação conta com a participação da Secretaria Municipal de Turismo de Foz do Iguaçu, Parque das Aves e operadores brasileiros para apresentar os produtos nacionais e fechar negócios com os operadores chineses.

Com a missão, o Destino Iguassu pretende reforçar sua presença no mercado de viagens da China, com cerca de 135 milhões de viajantes. De acordo com Basileu Tavares, diretor executivo do Visit Iguassu, esse tipo de ação proporciona grandes oportunidade de relacionamento com o mercado.

“Estamos muito animados em organizar novamente essa missão internacional, um trabalho que começou em 2018 e ganha ainda mais força em 2019, pois ele representa mais um passo em direção ao mercado chinês. Em outra ponta, temos trabalhado intensamente para diminuir a distância física, que impõe limitações, com ações para ampliar nossa conectividade e assim poder receber cada vez mais esses visitantes”, completa o diretor-executivo.

Foz do Iguaçu é o terceiro destino brasileiro mais visitado pelos chineses que viajam a negócio ou a lazer, atrás apenas do Rio de Janeiro e São Paulo. Em 2018, o atrativo recebeu um total de 18.371, representando um aumento de 22% frente a 2017. As estatísticas do Parque Nacional do Iguaçu também revelam que no primeiro trimestre deste ano, houve um acréscimo de 12% de turistas chineses, em comparação ao mesmo período do ano passado.

Os planos de ação desenvolvido no mercado chinês é específico, pois ele se diferencia de todos os outros mercados do mundo. Na China, por exemplo, o Facebook e o Instagram são redes sociais proibidas. Por isso, a campanha lançou peças e conteúdo do Brasil em diversas páginas e perfis relacionados à Ctrip, agência de viagem da China. Além disso, o Visit Iguasu mantém um site sobre o destino traduzido na língua chinesa e um perfil das principais redes sociais do país asiático, o WeChat.


LEIA TAMBÉM:
- Abracorp deverá cortar emissão de bilhetes Air China
- Hotel Fazenda China Park monta roteiro de férias para hóspedes
- Minor Hotels e Indochina Strings se unem para promover Ásia

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here