Broadcast SP Pra Todos: destaca confiança do consumidor para retomada

O “Broadcast SP Pra Todos” promove debates com especialistas em busca de inovações e identificação de tendências para a recuperação do setor no cenário pós Covid-19

são paulo

Na última quarta-feira (17), a Secretaria de Turismo do Estado de São Paulo promoveu a segunda edição do Broadcast SP Pra Todos com a participação de Gloria Guevara, CEO e presidente do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC), e de Jean-Philippe Monod de Froideville, vice-presidente de Relações Governamentais e Corporativas do Expedia Group.

O encontro digital mediado por Vinicius Lummertz, secretário de Turismo do Estado de São Paulo discutiu os desdobramentos da covid-19 no mercado e o papel da confiança do consumidor para o período de retomada.

Segundo Gloria Guevara, o WTTC fez uma análise de todas as grandes crises dos últimos 20 anos em busca de informações que pudessem ajudar na resposta mais adequada à Covid-19.

Três lições foram aprendidas segundo a pesquisa: implantar protocolos padronizados para o mundo todo, criar procedimentos que permitam o retorno seguro das viagens mesmo antes da descoberta de uma vacina e eliminar as barreiras e proibições de viagens internacionais por meio de ações conjuntas, regionais, entre os países. “A sinergia é fundamental para que o turista sinta-se seguro e confiante para voltar a viajar”, disse.

Ao falar sobre o Brasil, Guevara ressaltou que o País tem quase tudo para ser um dos cinco maiores destinos turísticos do mundo. Porém isso deve ser uma prioridade nacional para que todos os membros do setor possam contribuir.

Jean-Philippe explicou sobre a preocupação da Expedia em destacar os protocolos de segurança que os hotéis estão implementando para recuperar a confiança dos clientes.

A empresa global teve quedas entre 85% e 90% das reservas “Estamos tomando ações para que os clientes tenham mais opções de reservas reembolsáveis”, disse, como forma de atrair os consumidores. E já que alguns países estão em quarentena e com as fronteiras fechadas, as viagens rodoviárias internas são uma opção, acredita.

Cenários

Durante o Broadcast o Conselho Mundial de Viagens e Turismo atualizou os cenários para a retomada do setor no pós pandemia. No melhor cenário comparado a 2019, 2020 terá perda de 98,2 milhões de empregos, as viagens internacionais cairão 41% e as domésticas, 26%. No pior cenário, 197,5 milhões de empregos serão perdidos, 73% menos viagens internacionais e 64% menos viajantes aéreos domésticos.

O cenário se repete na América Latina: na visão otimista, 4,7 milhões de desempregados e queda de 35% nas viagens internacionais e de 23% nas nacionais. No pior dos mundos, 10,4 milhões ficarão desempregados, 64% de quebra nas viagens internacionais e de 58% nas domésticas. O WTTC faz recomendações para que os países amenizem as perdas, como a criação de “corredores aéreos” entre os que estão em situação semelhante de controle, protocolos que garantam a segurança dos viajantes e estratégias rápidas de testes e rastreamento para conter a propagação do vírus.

Com base nesses cenários do WTTC, segundo cálculos do Centro de Inteligência e Economia do Turismo (CIET) da Secretaria de Turismo do Estado e InvestSP, os desempregados do setor no Brasil poderiam chegar a 2,1 milhões no cenário otimista e 4,6 milhões no pessimista em 2020.

Já o Estado de São Paulo, que representa cerca de 30% dos empregos do País, segundo o CIET, contabilizaria a perda de empregos entre 600 mil e 1,4 milhão. “As medidas que estamos tomando em São Paulo desde o início da pandemia, como o programa de crédito turístico para socorrer as empresas, a manutenção dos repasses para as obras de melhoria dos destinos turísticos, os protolocos com rigor científico e o trabalho junto com o setor privado para o desenho dos protocolos se alinham com as recomendações do WTTC como importantes elementos para atenuar a crise e preparar a retomada”, diz Vinicius Lummertz, secretário de Turismo do Estado.

O “Broadcast SP Pra Todos” promove debates com especialistas em busca de inovações e identificação de tendências para a recuperação do setor no cenário pós Covid-19. Os encontros quinzenais tratam de temas como reaquecimento econômico, emprego e novos padrões de consumo.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui