Buser expande participação nacional com marketplace e investe em MG

Segundo Marcelo Abritta, CEO da Buser, a ideia é quebrar a imagem de que a Buser é inimiga das grandes empresas do segmento e ampliar alcance

Buser

A Buser iniciou, neste ano, a expansão de sua atuação também para as empresas que atuam em linhas públicas, oferecidas a partir rodoviárias. A ação faz parte do planejamento da empresa de alcançar todos os estados brasileiros, atuando como marketplace, visando não deixar de fora características da empresa: preço e segurança.

“Nesses quase três anos de operação, já revolucionamos a maneira como o brasileiro viaja de ônibus, com preços abaixo do mercado que democratizam o serviço, priorizando a segurança e levando conveniência para os nossos clientes. Agora vamos ampliar essa disrupção para novas fronteiras “, afirma Marcelo Abritta, CEO da startup.

As empresas que ingressarem na plataforma passarão a ofertar aos passageiros itens tecnológicos de segurança. Primeiramente, o serviço de suporte 24 horas da Buser, com atendimento pelo chat direto no aplicativo, bem como de alterações ou cancelamentos de viagens sem custo. “Com o marketplace, a Buser passará a ser reconhecida como a melhor ferramenta de conexão entre viajantes e empresas”, afirma Abritta.

Ainda de acordo com o executivo, a Buser sempre teve rivalidade com outras grandes empresas do setor. No entanto, com a inovação do marketplace, a ideia é que a empresa se torne a “99” do segmento. “Agora a Buser passa a oferecer esses dois tipos de serviço, assim como faz a 99.”

Futuramente, a empresa, que conta com mais de 3 milhões de usuários cadastrados, visa estabelecer medidas de segurança que já existem nas viagens de fretamento. A startup exige que os parceiros instalem equipamentos capazes de aferir a velocidade dos ônibus em tempo real e sensor de fadiga, software que identifica motoristas cansados ou com sono e alerta a central de controle, além de câmeras internas de segurança e assentos prioritários para mulheres.

“São medidas necessárias, que tornam as viagens mais seguras e confiáveis. Sabemos que algumas empresas tradicionais têm limitações em aceitar inovações, mas o público se renova e está cada dia mais exigente. Quem viaja de Buser espera pagar menos, viajar melhor e com mais segurança. Isso é um pilar da nossa empresa e quem quiser atuar conosco vai precisar se adequar”, destaca Abritta.

O serviço de marketplace começa com empresas parceiras viajando para 20 cidades em cinco estados do País, além de Distrito Feedral. A ideia é multiplicar a operação ainda no primeiro trimestre. Confira a lista de rotas já em operação no novo modelo:

  • Bauru – Campinas – São Paulo – Santo André
  • Betim – Belo Horizonte – Brasília
  • Brasília – Goiânia – São José do Rio Preto – Araçatuba
  • Brasília – Taguatinga – Rio Verde – Campo Grande
  • Cuiabá – Campo Grande – Araçatuba
  • Goiânia – Campo Grande
  • São Paulo – Barretos – Olímpia
  • São Paulo – Ribeirão Preto
  • São Paulo – São José do Rio Preto
  • São Paulo – Uberaba – Uberlândia

Buser: investimento em Minas Gerais

A Buser anunciou que vai investir cerca de R$ 100 milhões em Minas Gerais durante o ano. A ação vem em contrapartida a um decreto do governo do estaque que libera a circulação de ônibus fretados via aplicativos colaborativos. Do montante, a divisão será:

  • R$ 15 milhões em infraestrutura de pontos de embarque e desembarque;
  • R$ 25 milhões em financiamentos de veículos e capital de giro para os fretadores parceiros;
  • R$ 20 milhões em itens tecnológicos de segurança, obrigatórios para a frota de parceiros Buser;
  • R$ 20 milhões em ações de divulgação e educação dos consumidores quanto à nova alternativa de transporte;
  • R$ 20 milhões em descontos e gratuidades para usuários testarem e se adaptarem às tecnologias oferecidas pela Buser;

A iniciativa foi anunciada pelos fundadores após decreto assinado, que acaba com a obrigatoriedade da realização do chamado circuito fechado para viagens fretadas e também da necessidade de que as listas de passageiros sejam divulgadas para os órgãos de fiscalização com antecedência. “Essa é uma maneira de retribuirmos Minas Gerais, fomentando a economia e contribuindo com a geração de emprego e renda”, afirmou Abritta.

Marcelo Vasconcellos, sócio de Abritta, destacou, ainda, a coragem do governador em inovar e romper barreiras estabelecidas pelas empresas do segmento rodoviário – considerada aposta assertiva na retomada do turismo desde o ano passado. “O que estamos presenciando é a adequação de Minas Gerais à nova economia e ao respeito ao direito de ir e vir dos consumidores. Se mais gente apostasse no desenvolvimento dos pequenos, certamente teríamos números de desemprego muito menores no país”.

Deixe uma resposta