Cancún se adapta para a retomada e está aberta aos brasileiros

Na fase amarela desde 1º de setembro, o destino opera com 60% da capacidade em hotéis e atrativos e deve chegar à fase verde em novembro

Cancún

Por Larissa Coldibeli, especial para o Brasilturis Jornal

Cancún, no México, foi o destino escolhido para a primeira famtrip da Copa Airlines desde o início da pandemia, marcando a retomada do turismo internacional. A iniciativa foi da Orinter Tour & Travel, que levou um grupo de oito agentes de viagens para conferir de perto os novos protocolos de biossegurança contra a Covid-19.

A cidade, que está completando 50 anos de sua construção, é muito popular entre brasileiros que viajam de férias e para casamento ou lua de mel. A facilidade de acesso, o mar turquesa do Caribe, o idioma similar e a grande variedade de hotéis e atividades turísticas são alguns dos atrativos. O México não chegou a fechar suas fronteiras durante a pandemia, mas o movimento caiu a tal ponto que apenas 20% dos voos ficaram ativos.

O estado de Quintana Roo, onde fica Cancún, é totalmente dependente do Turismo, por isso, o impacto foi grande. Mas, aos poucos, as atividades estão sendo retomadas seguindo um plano: na fase vermelha, que durou até junho, os estabelecimentos permaneceram fechados, preparando os novos protocolos; na fase laranja, de junho a agosto, as praias começaram a ser reabertas gradualmente e os estabelecimentos podiam funcionar com 30% da capacidade. Agora, desde 1º de setembro, os locais operam com 60% da capacidade na fase amarela. O monitoramento é feito de acordo com o número de infectados e com o nível de ocupação hospitalar.

“Se tudo continuar no ritmo em que está, com o vírus controlado, a expectativa é passar para a fase verde no final de novembro”, diz Lilian Zanon, proprietária da AT Travel, receptivo para brasileiros em Cancún. A fase verde autoriza a realização de eventos e a ocupação máxima nos hotéis. Lilian, que é brasileira e mora há muitos anos em Cancún – tanto que é considerada cônsul honorário do Brasil pelo Itamaraty – recebeu o grupo da famtrip da Orinter com a Copa.

Segundo ela, Cancún já viveu muitas catástrofes, como um grande impacto da gripe H1N1 há cerca de dez anos e a ocorrência de furacões, por isso, o destino tem agilidade para lidar com problemas e buscar soluções. Este é um diferencial que contribuiu para que a cidade fosse uma das cinco primeiras a receber o “Safe Travels”, selo de segurança global concedido pelo Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC). 

Como são os protocolos

A proposta da famtrip da retomada é mostrar que é seguro viajar, respeitando os protocolos de segurança. “Era necessário dar esse passo para mostrar para as pessoas como é o novo normal de viajar”, diz Jorge Souza, gerente de Novos Negócios da Orinter, que acompanhou o grupo.

Assim como outras atividades, as empresas de receptivo também se adaptaram para funcionar na pandemia. A higiene é o ponto principal: tapete desinfetante e álcool em gel antes de entrar na van, uso obrigatório de máscaras, recomendação de distanciamento e reforço das informações a todo o momento para garantir que os protocolos sejam seguidos.

A ATT Travel fez os traslados do grupo da famtrip para as atrações e para os três hotéis em que os agentes se hospedaram: Palmaïa – The House of AïA, Secrets The Vine e Dreams Natura – os dois últimos do grupo AM Resorts. Em todos os hotéis, as malas são esterilizadas na chegada e os hóspedes respondem a um questionário de saúde antes do check-in, para informar eventuais sintomas de covid-19 ou contato com infectados.

No Palmaïa – The House of AïA, os hóspedes têm a temperatura aferida na recepção e há orientação para o distanciamento. O uso de máscara é opcional para os clientes, mas obrigatório para os funcionários. Como o serviço é a la carte, os alimentos e bebidas não ficam expostos, o que diminui os riscos de contaminação. Há dispensers de álcool em gel pela propriedade e muitas áreas abertas, sem aglomeração.

Nos hotéis do grupo AM Resorts, os funcionários são testados para Covid-19 a cada duas semanas. O uso de máscara também é opcional para os hóspedes, mas obrigatório para os funcionários. O monitoramento da temperatura das pessoas é feito de forma não-invasiva, por meio de câmeras térmicas. Os quartos são desinfetados e recebem selos que atestam a limpeza em itens como frigobar e controle remoto. As amenities vêm embaladas juntas para evitar a manipulação excessiva e garantir a esterilização de todos os produtos.

Protocolos nas atrações turísticas

O grupo da famtrip da Orinter com a Copa também conheceu os novos protocolos de biossegurança de algumas atrações turísticas e percebeu que as medidas estão, sim, sendo cumpridas. Ao fazer a foto no letreiro de Cancún, que abre a matéria, por exemplo, um guarda estava por perto para assegurar o uso da máscara durante o clique.

Os agentes de viagens visitaram o Río Secreto, que é um parque que abriga um complexo de cavernas e rios moldados pela natureza há milhões de anos. As formações rochosas e os lagos transparentes criam cenários impressionantes. Apesar do ambiente selvagem, a atividade agrada a todas as idades e conta com o acompanhamento de guia e fotógrafo. Com a pandemia, a indumentária foi incrementada: além do macacão e da sapatilha de neoprene, inclui um face shield como proteção contra o novo coronavírus. O empréstimo de toalhas foi suspenso – os clientes têm de trazer a própria – e o restaurante que era bufê virou a la carte.

As adaptações necessárias em tempos de covid-19 acabam transformando radicalmente alguns lugares. É o caso da famosa Coco Bongo, casa noturna que é parada obrigatória na noite de Cancún. O que antes era uma balada que ia até altas horas da madrugada, com muita aglomeração e distribuição de shots de bebida, agora é uma casa de show que funciona das 20h à 1h. A capacidade de público está reduzida e o bar que ficava no centro da pista virou um palco para as performances dos artistas. O público se distribui ao redor e há serviço nas mesas.

Outro ponto icônico de Cancún, a Quinta Avenida está em obras de remodelação, com previsão de conclusão em outubro. As zonas arqueológicas estão abertas para o turismo, com exceção de Chichén Itzá, que fica em outro estado.

Feedback dos agentes

Cancún
Mariana Campbell no Palmaïa

Mariana Campbell, da Chancetour Viagens, de São Paulo, foi uma das convidadas da famtrip e aprovou tudo o que viu e viveu. “Foi incrível ver as adaptações no turismo e ter certeza de que os protocolos estão sendo seguidos de forma eficiente. Ninguém quer entrar em quarentena de novo. Todos os elos da cadeia do turismo, desde aeroportos, companhias aéreas, hotéis, restaurantes, passeios até shoppings e vida noturna, têm interesse em fazer dar certo, por isso, eles cobram os clientes para que respeitem as medidas de segurança. Se algo der errado na reabertura, os fornecedores vão ser prejudicados. Realmente, me senti segura durante a viagem”, diz.

Ela, que trabalha com o destino Cancún em sua agência, gostou de conhecer novos produtos, como o Palmaïa – The House of AïA, inaugurando em janeiro, e o Dreams Natura, aberto dia 11 de setembro. Apesar de não ser novo, o Secrets – The Vine remodelou suas piscinas recentemente, então, também era novidade para o grupo. “A maioria dos clientes pensa que todos hotéis all inclusive são iguais e essa viagem deixou bem claro que não, mostrou que é possível visitar Cancún três vezes e ter três experiências completamente diferentes”, destaca Mariana.

Cancún
Rodger Junkes no Dreams Natura

Para Rodger Junkes, da Intercultural São José (SC), a viagem foi tão produtiva que ele estendeu sua estadia por conta própria para visitar outros hotéis e continuar produzindo conteúdo para seu Instagram, que tem mais de 5 mil seguidores. “Dá para perceber que as pessoas querem muito viajar, mas ainda não têm confiança para isso. Essa viagem é um ‘redescobrimento’, estamos explorando como estão as coisas em outro país e mostrando que dá para fazer uma viagem muito legal seguindo os novos protocolos”, diz ele.

Ele diz que os registros da viagem em tempo real estão despertando a curiosidade e a vontade de viajar em seus clientes. “Estar em Cancún agora é muito importante porque estou mostrando como estão as coisas, e isso está gerando interesse e muitos pedidos de cotação para a minha agência”, comemora.

Brasilturis Jornal foi o único parceiro de mídia escolhido pela Orinter para acompanhar o grupo. Confira também toda a experiência de viagem traduzida em imagens, no Instagram do Brasilturis Jornal.

Deixe uma resposta