Caso Nascimento: Advogado aconselha credores a acompanharem editais de chamamento

Por: Caio Salles

‘Escrevi recentemente que Nascimento Turismo Ltda, lançou mão de uma possibilidade criada pela Lei nº 11.101, de 9.02.2005 – Recuperação Judicial -, enaltecendo a posição adotada pela empresa.

 

Agora que o Juiz da 1ª Vara, processo nº 1048869-46.2015.8.26.0100 no qual foi deferido o processamento da referida Recuperação Judicial, até esta data sem incidentes processuais, recursos ou quaisquer embaraços legais ao feito, a empresa entre outras obrigações precisa apresentar em Juízo o seu Plano de Recuperação Judicial, que, certamente, entre a data da distribuição do feito – 20.05.2015 – e os dias atuais deve merecer uma alteração, se já estudada aquela época, pois a situação econômica do país se agravou enormemente como é público e notório.

 

Os editais para chamamento dos credores, a relação desses credores e seus créditos e eventuais impugnações e uma série de atos de demonstrações contábeis do balanço patrimonial, demonstração de resultados acumulados e o relatório gerencial do fluxo de caixa e sua projeção, enfim uma série de medidas legais, a meu ver, considerando os aspectos de legalidade das mesmas, não me tornam pessimista quanto ao resultado, mas a burocracia processual e a crise instalada nas viagens internacionais, em face do custo das moedas fortes, levam-me a pensar que créditos, em realidade, não são de recebimentos fáceis e rápidos, muito embora em comunicado lançado pela empresa esta demonstre continuar otimista com a recuperação judicial.

 

É evidente que torcemos pela Nascimento Turismo e seus credores, inclusive passageiros, mas que a situação mudou para pior, também é evidente.

 

Finalizo, esclarecendo aos leitores do Brasilturis Jornal, em quaisquer de suas formas de mídia, que o acompanhamento real e suas mudanças podem ser feitas:

 

1ª Vara do Foro Central Cível – Tribunal de Justiça de São Paulo – processo nº 1048869-46.2015.8.26.0100; Habilitações de Crédito ou Divergências podem ser enviadas ao administrador judicial no e-mail rjnascimento@mlauria’

 

Paulo Roberto Wiedmann                                                  

Advogado

 

 

 

CS

Deixe uma resposta