CEO da Aviareps avalia que o Brasil não tem a devida divulgação no exterior

0
Edgar Lacker, CEO global da Aviareps, vê potencial no Brasil e crê em crescimento

De passagem pelo Brasil, o CEO da Aviareps, Edgar Lacker, avaliou que o mercado do país ainda carece de divulgação de seus destinos no mercado internacional. Além disso, o executivo apontou que a língua é uma das principais barreiras no mercado sul-americano e que os jovens em busca de experiências são uma crescente presença no turismo.

“O Brasil parece um segredo bem guardado, não conseguindo divulgar todas a sua diversidade de destinos nos mercados estrangeiros. Com a recuperação da economia, este é o momento certo de educar o mercado internacional e mostrar que o país voltou”, apontou Lacker, que é especialista em turismo.

Lacker avaliou que, apesar do cenário burocrático no Brasil, o país pode contornar as dificuldades e se consolidar como destino para o viajante internacional com uma promoção mais forte e que deve incluir destinos mais variados.

“Este é o país mais acessível do continente, contando com centenas de voos internacionais. Porém ainda é muito marcado com a imagem do Rio de Janeiro e do Carnaval. São as primeiras coisas que vêm à cabeça dos estrangeiros quando pensam no país e acabam desconsiderando outros lugares por falta de conhecimento sobre eles”, afirmou.

Perfil do viajante atual

O executivo apontou ainda como um público mais jovem tem sido uma presença constante no mercado do turismo e que as tendências costumam variar conforme o mercado.

“Os jovens estão viajando cada vez mais e buscando experiências, sendo que o mercado antes era composto em sua maioria por famílias que optavam pelo turismo com pacotes de viagens fechados, o que ainda é presente, mas hoje já divide espaço com esse público jovem.”

“As tendências variam muito com cada mercado. Na Europa anda se valorizando bastante a gastronomia, na Ásia costumavam haver mais viagens em grupos o que já mudou nos últimos anos, mas, hoje em dia, todos estão em busca de viagens de experiência”, destacou.

Mercado Sul-americano

Lacker e o diretor regional para América Latina, Marcelo Kaiser, destacaram o crescimento da empresa

Lacker, que além do Brasil ainda não havia visitado o continente sul-americano, avaliou ainda que uma das principais barreiras para o desenvolvimento do turismo no continente é o idioma.

“Muitos locais ainda não conseguem falar o inglês e se os viajantes de fora não tiverem conhecimento básico do espanhol terão dificuldades em todo o continente”, avaliou o executivo.

Europa: O mais acessível ao Turismo

Lacker notou ainda que os países europeus ainda são os mais acessíveis e abertos à atividade turística, avaliando ainda  que não teme os recentes embates de alguns destinos que querem barrar o excesso de visitantes.

“Os mercado em que mais notamos um perfil aberto são os países da Europa. Eles estão sempre realizando investimentos na área e de fácil trânsito de um para o outro, e deverão sempre manter esse perfil de hospitalidade”, destacou o CEO da Aviareps.

“Apesar de simpatizar com a situação vivida em alguns destinos como Barcelona e Veneza, creio que isso não mudará o perfil aberto dos europeus aos turistas. Afinal, uma atividade turística ativa quer dizer mais renda e empregos para o local visitado”, salientou.

Mais conhecimento na bagagem

“Volto para casa após minha passagem na América do Sul com mais inspiração e entendimento, entendendo as principais oportunidades oferecidas tanto no Brasil, um país em que acreditamos muito no potencial, quanto nos demais países do continente”, completou Lacker.

Expansão da Aviareps

Atualmente, a Aviareps conta com clientes em 48 países e há dois anos é líder no mercado de representações no Brasil. A empresa estima dobrar o portfólio de global nos próximos 3 anos, expandindo suas unidades, principalmente, no mercado latino-americano.

“Recentemente abrimos novos escritórios no Peru, Equador e Panamá. Nos próximos 12 a 18 meses, esperamos abrir pelo menos outros dois escritórios para ampliar ainda mais nossa presença na América Latina”, adiantou o diretor regional para América Latina, Marcelo Kaiser.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here