Chile determina Ilha de Páscoa em quarentena preventiva

A medida entrou em vigor na quinta-feira (19) e vale para os próximos 14 dias, com o objetivo de proteger a área de possíveis infecções da Covid-19

Como plano para evitar a maior disseminação da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), o Ministério da Saúde do Chile anunciou que a Ilha de Páscoa ficará em quarentena. Ao todo, o período será de 14 dias, já não existem casos suspeitos ou confirmados no local.

O objetivo é evitar a entrada de possíveis pessoas infectadas e proteger os habitantes da Ilha. Aqueles que precisam ou desejam deixar o local podem fazê-lo. A entrada será liberada mediante solicitação de permissão às autoridades responsáveis.

A autoridade de saúde também informou que foi decidido “proteger” certas regiões para impedir a propagação do Covid-19, principalmente nos extremos Norte e Sul do país. A partir desta sexta-feira, 20 de março, serão implementadas Aduanas sanitárias nas regiões de Arica e Parinacota, Tarapacá, Antofagasta, Atacama e Coquimbo, onde emitirão um “passaporte sanitário” para quem chegar por via aérea – os viajantes passarão por um exame ao chegar ao destino.

Em relação às rotas terrestres, da região de Coquimbo ao norte do país, a entrada de pessoas será controlada, tendo em vista que é uma área que ainda registra poucos casos confirmados de coronavirus. Esta medida ajudará a impedir a propagação do vírus, e será tomada também nas regiões de Aysén e Magalhães, no sul do país.

Chile: total de casos

O último relatório, entregue às 10h desta quinta-feira, 19 de março, confirmou um total de 342 casos de Covid-19 no Chile. Destes, 103 são novos, 19 estão hospitalizados e cinco já tiveram alta.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui