Cidade mineira inaugura museu da cachaça

Por: Carolina Maia

Em Salinas (MG), a cachaça é uma das principais bases econômicas. A cidade produz 5 milhões de litros e tem mais de 50 rótulos comercializadas, dentre eles a Cachaça Seleta, a mais vendida no Brasil e também o maior produtor de cachaça artesanal do Brasil. A chegada do Museu da Cachaça de Salinas ajuda a valorizar o trabalho dos produtores, que começaram a produzir a bebida no início do século passado e hoje concentra o maior número de produtores de cachaça de alambique do Brasil. Além disso, Salinas é a única cidade do Brasil que oferece curso de nível superior relacionado a cachaça.

Ocupando um espaço de 13 mil m², o novo museu custou R$ 4 milhões. São cerca de 1,7 mil rótulos espalhados pelos mais de 10 mil m² projetados pela parceria da Secretaria de Estado e Cultura de Minas Gerais, com a Prefeitura de Salinas e a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Além de poder conhecer os mais diferentes tipos de cachaça os visitantes podem usufruir de cursos e ações educativas sobre todas as etapas da produção, desde o plantio da cana até a distribuição e o consumo responsável. O espaço possui salas para reuniões, uma cozinha gourmet e a Sala de Aromas onde podem ser observadas as etapas da produção da cachaça.

O museu também apresenta exposições com temas como a história da cachaça, plantação, colheita, sociedade do açúcar, engenhos antigos e atuais.

Com entrada gratuira, funciona de quarta-feira a domingo, das 9 às 19 horas.

CM

 

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui