Club Homs oferece espaços para eventos corporativos

Ricardo Hajaj (presidente), Ivonete Bombo (diretora de eventos) e Antonio Neaime (vice-presidente)

Atravessar quase um século de vida e manter-se renovado em ações que beneficiam seus associados e o mercado não é tarefa fácil. Contudo, em sucessivas administrações, o Club Homs, localizado no coração da Avenida Paulista, em São Paulo, consegue manter-se moderno e atualizado com as necessidades de seus associados e oferecendo serviços que fazem dele uma referência para o mercado.

Em maio, o Homs completou 96 anos vendo sua missão cumprida e ampliada na acolhida de diferentes comunidades. Atualmente dirigido por Ricardo Hajaj, presidente na gestão 2016 a 2018 e contando com dr. Antonio Neaime na vice-presidência, o Club vem realizando melhorias em suas instalações, fazendo alianças e inovando em ações para seus associados, renovando os conceitos do associativismo.

Para 2016, o Club Homs trouxe a expertise em eventos de Ivonete Bombo. A executiva comanda uma nova equipe para a divisão de eventos que, em poucos meses, resultou em novos negócios e eventos no empreendimento. “O novo foco é uma sinergia profissional de nosso time. Alinhamos as novas demandas do mercado de eventos para atender todos os clientes a planejar projetos de grande envergadura para seus negócios. São Paulo agora ficou melhor, com eventos no Club Homs”, comemora Ivonete.

No coração da capital paulista

 

Ao longo dos últimos anos, o Club Homs vem adaptando seus espaços, promovendo retrofit de suas instalações e revitalizando espaços de acordo com as mais recentes tendências. Os ambientes que nasceram em 1920, quando o clube foi fundado, ainda guardam o glamour da época, mas estão completamente adaptados e reformados em equipamentos, pintura e revestimentos.

No final de 2015, os andares de eventos passaram por grandes mudanças. Foram reformados os pisos, camarins, palco, cozinhas e a cobertura, para atender às novas demandas do mercado que  engloba a divisão de eventos corporativos, associativos, institucionais e sociais do espaço, agora rebatizado de Paulista News Homs. Os espaços permitem diversas configurações, divididos em cinco salões com mais de 3 mil m2 em dois andares, com entradas exclusivas e uma gestão que irá cooperar com os clientes na realização de eventos de sucesso.

 

Ficha técnica

Os 3 mil m2 de área para eventos, dividem-se da seguinte forma:

Térreo: Amplo salão de entrada que pode receber eventos simultâneos, de vários tipos e formatos.

1º piso: Composto por dois salões e um auditório. O Salão Gran Real tem capacidade para 900 pessoas em formato auditório e para 650 pessoas em banquetes, palco fixo de 15.5 x 9 m e pé direto de 9 m. O Salão Nobre tem capacidade para 650 pessoas em formato auditório e para 450 pessoas em banquetes, placo fixo de 13.5 x 9 m e pé direito de 9 m. O auditório comporta até 144 pessoas com foyer de 120 m.

3º piso: A cobertura oferece três espaços diferentes. O Salão Paulista tem capacidade para 180 pesssoas em formato auditório ou para 150 pessoas em banquetes e vista para Avenida Paulista. O Salão Paulista II acomoda até 100 pessoas em formato auditório ou até 180 pessoas em banquetes. O Solarium da Piscina acomoda até 150 pessoas para coquetel ou churrasco, com vista para a Avenida Paulista.

História

A instituição nasceu para atender ao desejo de imigrantes da cidade síria de Homs que buscavam um espaço agradável para se encontrar. A ideia era, então, reunir os imigrantes dispersos e conseguir um cantinho onde eles pudessem relembrar coisas da pátria, mitigar a saudade, trocar ideias, jogar taule, ler o jornal que vinha da Síria.

Os primeiros movimentos para a concretização da fundação de um clube surgiram em 1917, graças ao interesse de George Atlas. A casa dele foi sede para as reuniões que tinham como objetivo o estudo de um projeto que viabilizasse a fundação do desejado clube. Mais alguns anos foram necessários para que as ideias saíssem do papel. Com grande espírito de luta, os pioneiros Miguel Maluhy, Taufik Bunduki, Nadin Chohfi, Rachid Dib e Sadek Hamaui alugaram e mobiliaram, com móveis típicos árabes e às suas expensas, um sobrado na rua Florêncio de Abreu.

Depois de muito esforços, nascia em 2 de maio de 1920, o Club Homs. O clube teve os seguintes endereços: Rua 25 de março, 649 (não instaurado oficialmente ainda); Rua Florêncio de Abreu, 357; Rua Florêncio de Abreu, 93; Rua João Bricola, 2 Edifício Martinelli, 8º andar. A ambição dos associados não esmaecia. A ideia, então, era conseguir uma sede própria, ampla e bem localizada. Em 1943, foi adquirida a mansão da Avenida Paulista, 735. Muitas reformas depois, em 1949, o clube estava com 915 mde área construída.

Em torno dessas ideias foram se fortalecendo as primeiras linhas de pensamento a respeito da formação de um aglomerado capaz de receber pessoas da mesma origem, com a vontade férrea de conservar suas tradições e expô-las  aos seus descendentes. Hoje, um belo clube ergue-se em plena Avenida Paulista, oferecendo atividades em varias áreas do saber e esportiva. Todos se beneficiam da proposta deste clube tão amigável , quer as famílias sírias, quer as famílias de outras filiações.

 

Informações: www.clubhoms.org.br

EQUIPE DE REDAÇÃO

 

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta