Como encontrar o viajante potencial?

0

Quem trabalha na área de marketing – e não importa em que segmento da economia – conhece muito bem o que é Big Data. Este conjunto enorme de informações que pode ser analisado como insights para a tomada de melhores decisões e, consequentemente, para realizar mais negócios. Na indústria do turismo não é diferente. Na verdade, esse setor é um dos que mais se beneficiam com o Big Data, já que a quantidade de dados sobre o comportamento dos viajantes é enorme.

Entretanto, muitos profissionais do turismo acreditam que Big Data é igual aos dados de CRM – gestão de relacionamento com o cliente, em português -, frequentemente utilizado para a retenção da base de consumidores de uma empresa. Ou seja, são informações sobre o perfil do viajante, histórico de reservas, suas preferências de serviço, de canais de reservas, programas de fidelidade e hábitos de compra.

Não se discute aqui a importância do CRM, mas é bom deixar claro que ele é apenas parte do Big Data. A outra parte é originária do que se chama de Dados de Intenção, isto é, informações de pessoas que revelam o propósito de viajar em um futuro próximo, mas ainda não são clientes da empresa.

Os dados de CRM são fáceis de obter por meio das plataformas que captam e armazenam informações dos viajantes que compram os produtos e os serviços de uma empresa. A questão aqui é como conseguir os dados de intenção de pessoas que a companhia sequer conhece.

Isso pode ser feito pelo cruzamento de três fontes complementares. Inicialmente, utiliza-se o CRM da própria empresa para identificar o segmento de público desejado, ou seja, o perfil dos viajantes que a organização tem mais interesse em conquistar.

Depois disso, é a hora de usar as Data Management Plataforms (DMPs), que são empregadas para hospedar e gerenciar quaisquer tipos de informação – os profissionais do marketing as utilizam para gerenciar os dados dos segmentos de público na internet. Os grupos desejados no CRM são, então, cruzados com as informações das DMPs visando à identificação de pessoas com perfil similar.

Assim, quando elas navegarem na internet, as plataformas de mídia – como Google, Facebook ou as redes de mídia de viagem – apresentam os anúncios da empresa que, quando clicados, capturam a intenção de compra. Com esses dados, a companhia consegue otimizar seus investimentos em marketing e, ainda, retroalimentar sua base de dados de CRM.

Esta é uma estratégia vencedora para conquistar clientes, que tem ainda a vantagem de aperfeiçoar a informação para melhorar o trabalho de retenção. Isto é o Big Data sendo utilizado para ajudar na expansão dos negócios.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here