Conheça as belezas do Inti Raymi, a celebração do Império Inca, no Peru

Por: Priscila Ferraz

Considerada uma das mais populares e mais emocionantes atrações culturais e históricas do Peru, o Inti Raymi (Festa do Sol, traduzida do quéchua) foi uma cerimônia inca na qual os sacerdotes e os povos da civilização Inca faziam homenagens ao Inti, o Deus Sol, como agradecimento pelas colheitas que chegavam ao fim e para pedir que a terra fecundasse novamente e continuasse servindo aos filhos do Império Inca (Tawantinsuyu, em quéchua) nas próximas colheitas. A celebração marca o Solstício de Inverno nos Andes (quando, no Hemisfério Sul, o astro encontra-se mais distante do eixo da Terra) e, antigamente, representava para os incas o que para nós hoje é o Ano Novo – era uma festa na qual se iniciava um novo ano e marcava o fim do ano agrícola anterior. Nos tempos atuais, a Festa do Sol é realizada na cidade de Cusco e no sítio arqueológico Sacsayhuamán (a dois quilômetros de Cusco), no Peru, no dia 24 de junho.

 

A cidade de Cusco se enche de cores, sons e magia nesta época do ano, por conta dos preparativos para a grande celebração. As ruas e praças ficam tomadas de turistas, moradores, visitantes, arqueólogos e historiadores, além das pessoas que interpretam a cerimônia, em uma espécie de teatro a céu aberto. Com isso, diversos sítios arqueológicos da região também se enchem de vida. Sem dúvida, trata-se de uma grande mostra pela preservação e proteção de uma das mais belas festividades do Peru. Se antigamente a cerimônia era realizada pela própria civilização, atualmente ela é realizada para milhares de pessoas, incluindo cidadãos peruanos e turistas de toda parte do mundo e que vão ao Peru só para ver de perto esta grande festa.

 

A Cerimônia do Inti Raymi

 

A partir da madrugada do dia 24 de junho até o fim do dia, após os últimos raios de Sol terem desaparecido, uma série de atrações se espalham pelo centro de Cusco e pela fortaleza de Sacsayhuamán. Além do ritual sagrado, que conta com a participação de mais de mil atores e encenadores em ação, há muita música, dança, comidas e bebidas típicas andinas na programação que dura horas. Celebrada há mais de 800 anos, a Festa do Sol começa com orações pelo retorno do Sol, assim como os Incas faziam no auge do Império e, em seguida, é feita uma cerimônia na qual a estátua do Inca é levada do Qoricancha (Templo do Sol) até Huacaypata (na Plaza de Armas de Cusco). Depois, todos seguem para Sacsayhuamán, onde realiza-se o sacrifício simbólico de uma lhama branca e uma lhama preta. Em agradecimento ao retorno do Deus Sol, figurantes se vestem com máscaras, véus, roupas coloridas e, munidos de lanças, fazem preces e dançam ao ritmo das flautas e tambores típicos dos Andes.

 

Realizada pela Empresa Municipal de Festejos de Cusco, a Festa do Sol faz parte de um calendário de celebrações que acontecem na região durante os meses de maio, junho e julho. Entretanto, o ponto alto dos Festejos de Cusco é o Inti Raymi, que foi declarado pela Prefeitura de Cusco como Patrimônio Cultural da Nação e Ato Oficial e Principal Cerimônia Ritual de Identidade Nacional.

 

Aproximadamente 40 mil pessoas acompanharam a celebração do Inti Raymi no dia 24 deste mês. Entretanto, o turismo em toda a região é impactado durante todo o mês. Para este mês foram esperadas 200 mil pessoas, entre turistas peruanos e estrangeiros, em Cusco, por conta da data.

 

 

PF

Deixe uma resposta