Consultoria e assessoria… O que é o que é?

consultoria

Vez ou outra, vejo certa confusão na abordagem destes dois termos que, apesar de apresentarem compreensões óbvias, parecem registrar aplicações cotidianas que merecem alguns esclarecimentos. “Consultar” seria o ato de pedir conselho, opinião ou mesmo um parecer para alguém que, no entendimento daquele que efetua o pedido em questão, possui conhecimento e/ou a capacidade de lhe sugerir ou lhe proporcionar um caminho para a solução de um determinado problema.

Marcar uma consulta no médico para solicitar o seu parecer sobre um específico mal-estar e escutar a origem deste mal-estar e o que seria recomendável fazer para eliminar tal condição. Após pagar, o consultante nem sempre seguirá as orientações do médico… Ele apenas solicitou o parecer deste especialista, mas caberá a ele decidir se irá observar e obedecer às recomendações do consultor.

O consultor parece possuir muitas das características atribuídas a um conselheiro do qual ouvimos um posicionamento frente ao nosso problema, mas sem a obrigação de respeitar a solução sugerida. Nossos pais, geralmente, atuam como nossos consultores e/ou conselheiros: lamentavelmente, nem sempre ouvimos suas boas recomendações ou orientações. O termo parece encontrar origem no latim “consultare” (receber conselho de) e, quem sabe, o conceito pode ter raízes na Grécia Antiga, quando se procurava orientações junto aos sacerdotes dos Oráculos de Delfos.

“Assessorar”, por sua vez, corresponde a um processo de ajuda, de auxílio, de prover assistência por parte de alguém que, de fato, parece possuir conhecimentos técnicos ou específicos sobre um determinado assunto ou matéria. Acarretaria, portanto, o ato de “trabalhar” ao lado de quem lhe pede ajuda/auxílio (o “assessorado”) para a consecução de algo concreto e/ou abstrato – um projeto, uma ideia, etc.

Do latim “assessore” ou “assessare” (sentar-se ao lado de), “assessoria” implica necessariamente no auxílio efetivo providenciado por um indivíduo (assessor) ou, mesmo, por um grupo de pessoas, para uma pessoa (o assessorado) que necessita de aconselhamento assim como de ações colaborativas na concretização e/ou no desenvolvimento de um trabalho em particular.

Um “consultor de viagens” caracteriza o profissional especializado que orienta um eventual viajante sobre uma determinada jornada/viagem que este último pretende realizar. Isto é, transmitindo informações sobre a região ou os núcleos que o futuro viajante tem a intenção de visitar, explicando quais são os meios de transporte mais recomendados, onde ficar, qual a melhor época para empreender a viagem desejada, o que ver e/ou fazer nos locais visitados, entre outras funções.

Um “assessor de viagens”, por sua vez, auxilia o mesmo viajante nas necessárias reservas e aquisição de transporte, acomodação, passeios, visitas, seguros e muito mais. Um agente de viagens, por sua denominação e abrangência, oferece as duas vertentes: Ele será tanto consultor quanto assessor do viajante. Ele se transformará num indispensável parceiro àquele que se prepara para empreender uma jornada.

Deixe uma resposta