Convenção IGLTA avalia remanejamentos, mas permanece em Milão

De acordo com Clovis Casemiro, o evento, agora previsto para o segundo semestre, pode ter alterações no local onde ocorreria, mas IGLTA busca revolver agendas

Carlos Nascimento (Collection Hotels), Marcos Destro (Grupo Líder Corp), Raul Monteiro (Velle Representações), Flávia Antunes (Vip Guest Brasil) e Amarildo Limah (Samchat Tour) (Foto: Felipe Lima)

Conforme adiantado há uma semana, a Convenção IGLTA, inicialmente prevista para ocorrer em maio, foi adiada para o segundo semestre. De acordo com Clovis Casemiro, Coordenador no Brasil da IGLTA, essa mudança também pode acarretar em alterações no local onde seria sediado evento, no entanto, mantendo Milão como local do evento. O assunto foi pauta durante reunião realizada na manhã desta quinta-feira (12), na Sanchat Tour, na capital paulista.

“A diretoria quer manter a cidade e, desta forma, estamos prevendo algo como setembro e outubro. Óbvio que dependemos de hotel, espaço para as nossas várias reuniões e os eventos sociais, como abertura e encerramento. Isso já está sendo feito e estamos aguardando a melhor data em conjunto com o hotel, até para manter o que foi proposto”, declara o executivo.

No entanto, uma das preocupações, ainda de acordo com o profissional, é a agenda do empreendimento, que se mostra bem comprometida durante o segundo semestre. “Estamos cientes que, se necessário, mudaremos para um novo hotel. Tudo isso aconteceu em pouco tempo e estamos avançando em conjunto com eles [equipe da ILGTA]. Encontraremos a melhor forma para resolver”, declara Casemiro durante reunião.

IGLTA: Outras pautas

Além da Convenção da IGLTA, o momento se mostrou propício para debater os outros impactos causado pelo Covid-19 (coronavírus), como a política de relocação de passageiros por parte das companhias aéreas.

De acordo com Danieli Dantas, gerente de Vendas da Rextur Advance, o setor de vendas vem passando por alguns momentos conturbados, principalmente no internacional. A preocupação, agora, é como isso pode afetar, também, o mercado nacional. “O nosso market share é 50% nacional e 50% internacional. É um mercado que nos impacta fortemente”, avalia a executiva.

Mesmo assim, o encontro buscou encontrar soluções e teve como foco principal a ideia de não parar os trabalhos. De acordo com Amarildo Limah, responsável pela parte comercial e da assessoria geral da presidência da Sanchat Tour, muito se escuta que o vírus não resiste a altas temperaturas e, por isso, avalia a possibilidade de focar nas vendas da América Central e Caribe.  “Não podemos parar, nem se acomodar. Temos que continuar divulgando e lançando produtos”, completa.

Outro assunto que foi abordado durante a reunião foi o desenvolvimento de um novo produtos para ser comercializada em conjunto. O produto ainda não está definido, mas algumas ideias já foram tratadas, como é o caso da Pride Curaçao, previsto para ocorrer entre os dias 22 e 27 de setembro. No entanto, os planos ainda estão sendo analisados.


Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui