Covid-19: WTTC estima que 50 milhões de empregos estejam em risco pelo mundo

covid-19 - WTTC
Gloria Guevara, presidente e CEO do WTTC

Gloria Guevara, presidente e CEO do Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, da sigla em inglês) enviou um comunicado alertando sobre os impactos inevitáveis ao setor devido à pandemia de Covid-19. Na carta, a executiva clama por ações imediatas de governos para ajudar a garantir a sobrevivência do setor que contribui com 10,4% do PIB global e é responsável por 320 milhões de empregos pelo mundo. “Não em breve. Não daqui a algumas semanas, mas AGORA”.

O conselho recomenda três medidas vitais para proteger a sobrevivência de milhões de pessoas que dependem do segmento de viagens e turismo para subsistência: ajuda financeira para proteger trabalhadores, concessões de empréstimos sem juros às empresas e isenção de impostos e taxas.

Confira a carta na íntegra:

“Ninguém pode duvidar que estamos em território desconhecido. A pandemia do novo coronavírus traz ao mundo uma ameaça que vem sendo combatida em várias frentes nunca vistas em tempos de paz. O setor de viagens e turismo está exposto de forma única e estimamos que 50 milhões de empregos em todo o mundo estejam em risco. Para ser franca, o segmento está em uma luta por sobrevivência.

As viagens são a espinha dorsal das economias em todo o mundo. Elas geram recursos financeiros e investimentos internos essenciais, criam empregos e estimulam todos os setores. Os números do WTTC mostram que viagens e Turismo contribuem com 10,4% do PIB global e 320 milhões de empregos. É responsável por criar um em cada cinco novos empregos e, por oito anos consecutivos, superou o crescimento da economia global.

Sem viagens e Turismo, as economias de todo o mundo enfrentam uma ameaça existencial.

Para combater isso, o WTTC, grupo que representa o setor privado global de viagens e Turismo, está pedindo aos governos de todos os países que tomem medidas imediatas para ajudar a garantir a sobrevivência desse setor crítico de criação de empregos. Não em breve. Não daqui a algumas semanas, mas AGORA. Qualquer atraso terá o custo de milhões de empregos perdidos e danos quase incalculáveis ​​em todo o mundo.

Agora é a hora de agir. Propomos três medidas vitais que protegerão a sobrevivência de milhões de pessoas que dependem de viagens e turismo para sua subsistência e bem-estar nas turbulentas semanas e meses seguintes:

Em primeiro lugar, deve ser concedida ajuda financeira para proteger a renda de milhões de trabalhadores do setor que enfrentam graves dificuldades econômicas.

Em segundo lugar, os governos devem conceder empréstimos vitais e ilimitados, sem juros, às empresas globais de viagens e turismo, bem como às milhões de pequenas e médias empresas, como um estímulo para impedir que entrem em colapso.

Terceiro: Todos os impostos, taxas e demandas financeiras do setor de viagens precisam ser renunciados com efeito imediato, ao menos pelos próximos 12 meses.

As empresas de viagens e turismo estão contribuindo para proteger seus funcionários. Propomos três medidas vitais que, além de garantir os fundos de recuperação, protegerão um setor que já está enfrentando colapso.

Estamos pedindo ao mundo que tome medidas urgentes e imediatas para impedir que a crise global de saúde se torne uma catástrofe econômica mundial.

Não fazer nada não é uma opção.

Imploramos aos governos que tomem medidas drásticas e decisivas agora para preservar e proteger a contribuição do setor de viagens e Turismo, do qual mais de 320 milhões de pessoas e suas famílias dependem para sua subsistência.

Com os melhores cumprimentos,

Gloria Guevara, Presidente e CEO do WTTC”

Deixe uma resposta