CVC ingressa no segmento de viagens intercâmbio

Por: Chris Flores

Menos de um mês após anunciar a sua entrada no segmento de viagens de negócios, com a aquisição do Grupo Duotur, a CVC anuncia que passa a atuar também no segmento de viagens de intercâmbio, ramo complementar às viagens de lazer e em franco crescimento.

 

De acordo com dados da Belta – Brazilian Education & Language Travel Association, a demanda por programas de intercâmbio no exterior cresceu 600% no Brasil na última década.

 

A operadora está implementando uma Unidade de Negócios em sua estrutura organizacional, especializada em Programas de Intercâmbio Educacional exclusivos para o público adulto.

 

A unidade terá o respaldo e a força da marca CVC, a expertise da companhia em viagens assistidas, ampla rede de varejo (formada por mais de 900 lojas exclusivas e 6.500 agências multimarcas) e o forte relacionamento já existente com fornecedores no mundo inteiro.

 

Essa nova estrutura terá uma equipe de produtos dedicada e será comandada pela executiva Santuza Bicalho, contratada como head da unidade de negócios. Com ampla experiência no segmento, Santuza inicia suas atividades na CVC dia 19 deste mês, com reporte à Presidência da CVC. No último ano, a executiva atuava como Vice-Presidente Sênior de Vendas Globais da Embassy English, uma Divisão do Study Group, sendo que anteriormente atuou como CEO da Student Travel Bureau (STB), uma das maiores do segmento.

 

Luiz Eduardo Falco, presidente da CVC, diz que o objetivo da companhia é desenvolver uma nova linha de produtos de intercâmbio, diferentemente do que já existe no mercado.  A ideia é focar em programas e cursos de aperfeiçoamento de idiomas exclusivos para executivos e público adulto em geral, com mais de 21 anos, e em parceria com as mais renomadas instituições internacionais de ensino.

 

“Trata-se de um importante passo estratégico na história da CVC e que contribuirá para ampliar, consideravelmente, o acesso dos brasileiros aos programas de intercâmbio e de educação de idiomas no exterior, também criando novas fontes de receita e oportunidades de vendas aos agentes de viagens e lojas franqueadas”, complementou Falco.

 

 

CF

Deixe uma resposta