De frente para a fera: Brasilturis experimenta Mako, do SeaWorld

Por Camila Lucchesi, de Orlando

O SeaWorld realizou um media day com mais de 80 jornalistas do mundo todo para apresentar a Mako, a mais rápida, mais longa e mais alta de Orlando. A equipe do Brasilturis esteve por lá para testar a novidade e conversou com os principais executivos do grupo envolvidos com o lançamento.

O trilho tem 1.451 metros de extensão e simula os movimentos da espécie de tubarão que lhe dá o nome. O Mako – ou flecha azul – é conhecido por sua velocidade extrema, também por saltar da água a altitudes impressionantes e mudar rapidamente seu trajeto quando está perseguindo suas presas.

Mako_Drop

Brian Morrow, vice-presidente corporativo de experiências, design e engenharia de parques temáticos explicou que o maior desafio foi estudar exaustivamente a espécie para combinar essas características essenciais da espécie na mais nova atração do parque de Orlando. “A equipe técnica e o time de zoólogos viu muitos vídeos para analisar os movimentos do tubarão Mako, ver como eles caçam, como eles nadam e incluir essas características na atração. O passeio é muito forte, muito veloz e oferece muitos momentos de flutuação”, disse.

Além das descidas íngremes a grandes velocidades, a air time (sensação de flutuação) é conseguida porque a parte de cima do corpo fica livre durante o passeio. O cinto de segurança prende a área da cintura e as pernas, então em nove pontos do trajeto de pouco menos de três minutos é possível sentir o quadril descolar da cadeira. Mas não há motivos para preocupação: o visitante fica preso com firmeza e segurança.

Velocidade, mudanças de percurso e queda livre são os pontos altos do brinquedo que tem uma enorme queda livre de 61 metros e chega a 118 quilômetros por hora. Segundo Mike Denninger, vice-presidente corporativo de desenvolvimento, design e engenharia de parques temáticos, cerca de três anos se passaram entre a ideia e o lançamento da hypercoaster que é a novidade da área temática chamada de Shark Wreck Reef. Outras atrações nessa zona que ocupa 8 mil metros quadrados do parque são o Shark Encounter, lojas e restaurantes dedicados aos gigantes dos mares.

O curador de peixes e especialista em tubarões, Jim Kinsler, explicou que a ideia é também alertar as pessoas em relação à preservação do animal. “Nós fazemos muito mais mal a ele do que ele a nós. As estatísticas mostram que é mais fácil alguém morrer com um raio ou até caindo de uma escada do que em um ataque de tubarão”, disse. Por esse motivo, a área dispõe de um aquário com algumas espécies e de vários quiosques interativos onde as pessoas podem aprender mais sobre esse gigante dos mares e como contribuir para sua preservação.

Outra ação voltada para a questão de preservação foi a parceria feita com Guy Harvey, artista plástico e ambientalista que pintou um enorme painel na área temática e diversas artes relacionadas com os tubarões em diferentes suportes – papéis e tecidos, principalmente. As obras serão vendidas nas lojas do parque e 5% do valor será revertido para o instituto criado por Harvey, que é líder em pesquisas com esses animais.

A Mako será oficialmente inaugurada amanhã, 10 de junho, no SeaWorld Orlando.

Deixe uma resposta