Decifrando a sigla LGBTQIA+

Nós, seres humanos, temos tendência de nos afastar do que não conhecemos, do que nos tira de nossa zona de conforto, e por isso algumas pessoas têm se afastado da causa LGBTQI+. Afinal, acabamos optando por nem conversar sobre o que não entendemos.

Nossa coluna tem como propósito criar pontes e derrubar muros, por isso hoje nós trazemos para vocês uma explicação baseada em estudos mundiais (glossários de entidades e empresas, artigos e blogs) que vão ajudar você a entender melhor o que significa cada letra e a importância delas para que tenhamos um mundo mais inclusivo. Precisamos começar explicando a diferença entre orientação sexual e identidade de gênero.

A orientação sexual refere-se a relacionamentos afetivos, que podem ser com pessoas do mesmo sexo (homossexual), sexo oposto (heterossexual) e ambos (bissexual). Já a identidade de gênero diz respeito a como a pessoa se sente, se vê, se identifica e se expressa referente ao gênero feminino ou masculino. A cultura de cada país traz alguns papéis que se esperam de homens e de mulheres, mas identidade de gênero trata sobre qual papel uma pessoa se vê exercendo, independente do seu sexo biológico.

A sigla antigamente conhecida como GLS (gays, lésbicas e simpatizantes) tratava somente de orientação sexual e hoje a sigla LGBTIQI+ agrega também toda pluralidade da identidade de gênero.

Vamos começar:

LGB

L diz respeito às lésbicas e o  G, a gays, mulheres e homens, respectivamente, que sentem atração afetivo-sexual por pessoas do mesmo gênero que o seu; enquanto o B representa as pessoas bissexuais, que sentem atração afetivo-sexual por homens e mulheres. Até aqui, a sigla agrega grupos por orientações sexuais.

É importante enfatizar que o termo opção sexual não é correto, porque não é uma escolha, devemos substituí-lo por orientação sexual.

T

A partir do T, a sigla reúne identidades de gênero dentro de uma ampla visão de diversidade. Na primeira letra (T) estão incluídos transgênerostransexuais e travestis: pessoas que se identificam com um gênero diferente do que foi designado no nascimento. É o oposto da pessoa cisgênero que é um termo usado na abreviação “cis”, que diz das mulheres e dos homens que se reconhecem conforme seu sexo biológico de nascimento.

Uma pessoa transgênera não se identifica com os papéis sociais, culturais e comportamentais que são construídos e atribuídos ao sexo biológico dela, ao mesmo passo que se identifica com o oposto. Mulheres e homens transexuais algumas vezes empreendem mudanças no corpo para se sentir no gênero adequado.

Exemplo: O João nasceu com o sexo biológico masculino, mas sempre se viu e se identificou com o papel social e comportamental que é esperado de uma mulher, ele então faz sua afirmação de gênero e passa a adotar o nome social Maria e a se vestir e agir como uma mulher, se tornando uma mulher trans.

Sobre travesti, há um entendimento de que seja o mesmo que transexual e transgênero; sendo que o uso do termo seria anterior à difusão de informações sobre a transexualidade, que é recente. Também por isso a ignorância sobre o assunto teria resultado numa marginalização dessa expressão travesti a qual é muitas vezes usada de forma preconceituosa.

Transgêneros, transexuais e travestis têm sido reunidos no termo transvestigênere.

Q

Continuando a desvendar a sigla, o Q é de queer – quem transita entre os gêneros feminino e masculino, e mesmo em outros gêneros fora da binaridade masculino-feminino (o chamado não-binário). A teoria queer afirma que a orientação sexual e a identidade de gênero são resultado de uma construção social, e não de uma funcionalidade biológica.

I

I, que é mais recente, diz respeito ao intersexo, que se refere a  pessoas as quais os fatores que definem o sexo biológico – cromossomos, hormônios e órgãos externos e internos – está variado em condições diversas, tornando difícil classifica-la em sexo feminino ou sexo masculino. A palavra substitui o que conhecíamos no passado como hermafrodita, termo que está em desuso por ser hoje considerado preconceituoso.

Pode parecer algo muito atípico e difícil de entender, mas você sabia que intersexuais são tão comuns quanto pessoas ruivas? Sim, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a intersexualidade está presente em até 1,7% dos recém-nascidos, mesmo índice de pessoas que nascem ruivas. Vale mencionar que ontem (26 de outubro) foi o dia internacional da visibilidade intersexual.

A

A volta a se referir a orientação sexual. Agrega os assexuais, aqueles que não sentem atração afetivo-sexual por outra pessoa, independente de orientação sexual e de identidade de gênero.

P

Referente a pansexual, pessoa que sente atração afetivo-sexual independente da identidade de gênero da pessoa – seja mulher ou homem, cis ou trans, ou mesmo de outro gênero, como é o intersexo. É a orientação sexual mais fluida.

+

Somos plurais e diversos e, além das opções acima, existem muitas outras, por isso o sinal de mais (+), que há uns anos foi incorporado à sigla, abriga outras possibilidades de orientação sexual e identidade de gênero que existam. Pensem nessa sigla com um abraço que abriga a todos, todas e todes.

Parece complicado, né? Mas mais do que tudo, isso representa um avanço da sociedade e da ciência, e tem ajudado na criação de leis que protegem e garantem o direito à igualdade entre todos e à redução do preconceito.

De tudo isso queremos lhes chamar a:

– Não ter medo: Não tenha medo de errar, perguntar, se descontruir, pesquisar. O medo nos paralisa e o que precisamos é avançar caminho a uma sociedade justa para todos e todas.

– Pesquisar mais: Tudo o que é novo demanda tempo para entendermos. Então ouçam mais, leiam mais.

– Aproximem-se: A melhor forma de conhecer o que nos é novo é convivendo. Conversem com pessoas da comunidade LGBTQIAP+

Ficou com alguma dúvida? Tem alguma curiosidade? Escreve pra gente que em breve teremos um programa com perguntas e respostas dos nossos assinantes!

Daqui a 15 dias voltamos à “programação normal” com um vídeo super bacana e com mais um convidado especial falando sobre o Turismo LGBTQIA+ (que agora você já conhece todas as letras). Até lá!

Deixe uma resposta