Delta afirma que testagem pré-voo reduz infecções da Covid-19 a bordo

Segundo estudo da Delta, dados de aproximadamente 10 mil viajantes reforçam que testes realizados antes dos voos evitam exposição à doença

Delta

Um estudo da Delta, Departamento de Saúde da Georgia e Mayo Clinic aponta que o risco de exposição à Covid-19 durante uma viagem na qual todos os passageiros apresentam teste com resultado negativo para a doença 72 horas antes do voo é inferior a 0,1%. Os dados foram colhidos de clientes reais nos corredores de voo da companhia aérea, com testagem para rotas entre Nova Iorque (JFK), Atlanta e o Aeroporto Internacional de Roma, na Itália.

O estudo, revisado por parceiros especialistas e publicado na Mayo Clinic Proceedings, mostra que um único teste molecular de Covid-19, feito com a antecedência citada, diminui a taxa de infecção a bordo de uma aeronave comercial. Em comparação ao exterior, por exemplo, o índice médio de infecção da comunidade era de 1,1%, ou cerca de uma em 100 pessoas.

“Vamos conviver com as variantes dessa doença por algum tempo. Esses dados reais, não modelos de simulação, são o que os governos ao redor do mundo podem usar como exemplo para exigir vacinação e testes em vez de quarentenas para reabrir as fronteiras às viagens internacionais”, explica Henry Ting, diretor Executivo de Saúde da Delta.

De acordo com o especialista, o risco das viagens aéreas varia conforme os números de casos e o andamento da vacinação na origem do voo, bem como o uso de máscaras e outras prevenções.

“Os dados coletados nesse estudo mostram que o uso rotineiro de um único teste molecular feito 72 horas antes da viagem internacional por indivíduos não vacinados reduz significativamente o risco de exposição e transmissão da Covid-19 durante as frequências. A medida que a taxa de imunizados aumenta nos países, as infecções também devem diminuir”, complementa.

Delta: resultado prático

A pesquisa foi iniciada em dezembro de 2020 com o programa transatlântico de testagem para detectar a doença. Essa medida permitiu que turistas entrassem na Itália sem quarentena na Itália, além de auxiliar na revisão e modelagem das estratégias de testagem e casos detectados.

“A boa notícia encontro por meio dos voos da Delta é fruto de uma estratégia simples: aliança entre testagem e medidas de proteção a bordo, como uso obrigatório de máscara e filtragem de ar de nível hospitalar”, afirma Ting.

Deixe uma resposta