Delta e KLM oferecem voos testados para covid-19 de Atlanta à Amsterdã

Os voos testados para covid-19 de Atlanta para Amsterdã serão realizados quatro vezes por semana com possibilidade de expansão para outros mercados

A partir de 15 de dezembro, os parceiros transatlânticos Delta Air Lines e KLM Royal Dutch Airlines oferecerão voos testados para covid-19 entre Atlanta e Amsterdã. As companhias trabalharam com o governo holandês, com o Aeroporto Schiphol, em Amsterdã, e com o Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson, em Atlanta, para desenvolver um programa de abrangente, que permitirá aos clientes qualificados ficarem isentos da quarentena na chegada à Holanda após receberem um resultado negativo do teste PCR.

“Esse é um grande e importante passo. Até que uma vacina eficaz e aprovada esteja disponível em todo o mundo, o programa de testagem representa o primeiro movimento para a recuperação das viagens internacionais. Sou grato pela colaboração construtiva com nossos parceiros Delta Air Lines e o Grupo Schiphol e por ter o apoio do governo holandês para tornar possível esse teste exclusivo para criar um corredor de viagens sem covid-19”, pontua Pieter Elbers, CEO da KLM Royal Dutch Airlines.

Os voos testados para COVID de Atlanta a Amsterdã vão ser realizados quatro vezes por semana, com a Delta e a KLM operando duas frequências cada. Os viajantes poderão escolher as frequências testadas para o novo coronavírus ao comprar suas passagens online ou então optar por um dos voos diários alternativos da Delta ou da KLM entre Atlanta e Amsterdã que não estão inclusos no programa de testes.

“Todas as partes interessadas precisam trabalhar juntas em uma abordagem sistemática para a realização de testes rápidos e incorporar esses exames à experiência do passageiro, de modo que as medidas de quarentena possam ser suspensas o mais rápido possível. Isso é fundamental para restaurar a confiança das pessoas e dos governos nas viagens aéreas”, explicou Elbers.

As exigências para entrada na Holanda normalmente incluem 10 dias de quarentena. No entanto, ao ter um teste PCR negativo, feito cinco dias antes da chegada ao país, e se autoisolando até a data da viagem, os passageiros podem optar por concluir a quarentena antes do voo de partida. Nenhuma quarentena será exigida na chegada à Holanda, desde que o resultado do exame do cliente seja negativo em um segundo teste PCR realizado no Aeroporto de Schiphol.

“Esse é um passo importante para validar que os sistemas de teste tornam possíveis a realização de voos seguros e responsáveis, ao mesmo tempo em que reduzem a necessidade de proibições de viagens e longas medidas de quarentena. Agradecemos ao governo holandês e aos nossos parceiros”, afirma Dick Benschop, CEO do Grupo Schiphol.

Para embarcar nos voos testados para covid-19 da Delta e da KLM de Atlanta para Amsterdã, os passageiros precisarão:

  • Fazer um teste para COVID do tipo Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) 5 dias antes da chegada a Amsterdã;
  • Fazer um teste rápido de antígeno antes de embarcar no Aeroporto de Atlanta;
  • Fazer um teste PCR na chegada a Schiphol.

Prêmio Business Travel News

Pelo 10º ano consecutivo, a Delta foi nomeada a companhia aérea número 1 por profissionais de viagens corporativas na pesquisa anual Business Travel News Airline. No estudo da Business Travel News, a melhor pontuação da Delta foi nos quesitos resposta à pandemia, atendimento ao cliente e eficácia na comunicação.

“É sempre uma honra conquistar a confiança e o respeito de nossos clientes, mas receber esse prêmio em 2020, quando as apostas nunca tinham sido tão altas, é incrivelmente gratificante. Diante dos desafios históricos, permanecemos fiéis aos valores da Delta e colocamos nossos funcionários e viajantes em primeiro lugar. Esse reconhecimento nos diz que estamos no caminho certo e eu não poderia estar mais grato e orgulhoso da nossa equipe”, afirma Ed Bastian, CEO da Delta.

Deixe uma resposta