Dez habilidades necessárias ao profissional de eventos

Dez habilidades necessárias ao profissional de eventos

Durante palestra no Festival Internacional de Viagens Corporativas e Eventos Online, Avinash Chandarana, executivo responsável pelas áreas de Aprendizado Global e Desenvolvimento no MCI Group, destacou dez habilidades necessárias ao profissional de eventos que deseja prosperar em um futuro próximo.  

Direto de Hong Kong, o executivo encerrou hoje (15/6) a série de conteúdo criada e promovida por Viviânne Martins e Patrícia Thomas, sócias da Academia de Viagens Corporativas para destacar pensamentos, opiniões e anseios de grandes profissionais do exterior no mercado brasileiro.

A necessidade de reinvenção profissional no mercado de eventos foi defendida pelo executivo que deu dicas para consolidar esse processo e se mostrou enfático quanto à urgência em termos de mudança de postura. Confira!

  1. Trazer sentido aos dados: Encontrar insights em relatórios e análises;
  2. Pensamento adaptável: Pensar fora da caixa e responder rapidamente a situações inesperadas;
  3. Inteligência social: Acessar emoções para adaptar palavras, tom e gestual;
  4. Entendimento multidisciplinar: Conhecimento deve abrigar conceitos e desafios de diferentes áreas;
  5. Alfabetização em novas mídias: Criar comunicação persuasiva em novos meios;
  6. Pensamento computacional: Traduzir grandes quantidades de dados em conceitos abstratos;
  7. Filtragem e priorização: Filtrar grandes quantidades de dados de acordo com a relevância;
  8. Competências interculturais: Habilidade linguística e capacidade de adaptar questões culturais;
  9. Mentalidade focada em projetos: Representar e desenvolver tarefas e trabalhos para os clientes desejados;
  10. Colaboração virtual: Colaborar, engajar e ser produtivo em equipes virtuais.

Ao mesmo tempo em que torna algumas funções obsoletas, o futuro traz oportunidades em novas áreas. Entre as várias possibilidades ligadas ao novo universo de eventos em ambiente online e/ou encontros híbridos, o executivo citou a eventual abertura de vagas para produção, assistente de tecnologia, criadores de experiências virtuais, moderadores e hosts virtuais, orientadores para palestrantes focados no novo ambiente e equipes médicas dedicadas aos ambientes físicos.

Chandarana também mostrou os resultados de uma pesquisa realizada pela PCMA sobre os principais obstáculos impostos aos profissionais na retomada. A organização global de estrategistas de eventos de negócios revela que 74% dos gestores que atuam com planejamento de eventos responderam que o maior desafio será projetar experiências ao vivo em ambientes físicos que respeitem padrões mais rigorosos de higiene – mesma resposta dada por 58% dos fornecedores de eventos.

O desenvolvimento de experiências para eventos virtuais foi visto como mais desafiador para a equipe de planejamento (82%, contra 49% dos fornecedores), enquanto a criação de abordagens eficazes para ações de vendas e marketing preocupa mais aos fornecedores (70%, contra 52% dos promotores).

Deixe uma resposta