Edição 132 do Silver Spurs Rodeo espera receber 24 mil visitantes

Por: Priscila Ferraz

KISSIMMEE (FL) – Acontece nesse fim de semana em Kissimmee a 132a edição do Silver Spurs Rodeo, tradicional evento da cidade que ocorre duas vezes ao ano. Segundo o gerente de desenvolvimento do destino, Hector Lizasuain, a expectativa é de receber oito mil visitantes a cada dia de rodeio. Durante as noites acontecem sete performances tradicionais. As provas levam os nomes bull riding, bareback e saddle bronc riding, calf roping, barril racing, team roping e steer wrestling. Além disso, ocorre também a quadrille, tradicional dança a cavalo realizada pela juventude do Silver Spurs Riding Club – organização sem fins lucrativos e uma tradição no Condado de Osceola desde 1942. Os membros do Clube dedicam horas de trabalho voluntário para eventos que promovem a boa equitação.

 

A prova bull riding, a mais famosa no Brasil, consiste na montaria em touros – a principal característica é o desafio do homem contra o animal que pesa quase uma tonelada. É preciso ficar oito segundos montado para então ser avaliado e receber nota. Bareback e saddle bronc riding são provas com a montaria em cavalos – a diferença é que na primeira o competidor deita as costas no dorso do animal, enquanto se mantém em cima dele com a mão ligada a uma alça junto a um pequeno arreio, e na segunda fica em cima da sela com o equilíbrio dado por uma corda ligada ao cabresto do cavalo. Esse tipo de montaria é a mais tradicional no estilo americano.

 

Calf roping, também conhecida como buldogging no Brasil, é a prova de montaria em cavalos em que o competidor, em determinado momento, desce do animal e precisa domar um garrote (animal com um pouco mais de idade do que um bezerro) no chão, agarrando pelo chifre, de modo com que as quatro patas saiam do chão.

 

A barril racing é uma prova feminina, conhecida como “Três Tambores” no Brasil, em que as competidoras, montadas em cavalos, precisam dar a volta em três tambores distribuídos na arena enquanto sua performance é cronometrada – a vencedora é a que realizar a prova em menos tempo. Já a team roping é uma prova com dois competidores: um laça o animal (bezerro) pelo chifre enquanto o outro o imobiliza pelas patas traseiras.

 

Por último, a prova steer wrestling consiste em laçar um bezerro pelo pescoço, descer do cavalo e imobilizar o animal laçado amarrando três de suas patas. Todas as provas são cronometradas, exceto aquelas de montaria em cavalo e touro.

 

Para as crianças ainda existe uma brincadeira na arena, em que milhares delas correm pelo espaço em busca de fitas amarradas ao rabo de três bezerros. A atividade termina quando as três fitas (uma em cada bezerro) conseguem ser alcançadas pelos pequenos.

 

Silver Spurs Arena

 

A concepção do projeto e sua construção custaram US $ 33 milhões com a inauguração do estádio (3,1 mil metros quadrados) em setembro de 2003. Todos os anos é preciso utilizar 110 caminhões de carga para cobrir o chão da arena de terra e deixá-la pronta para o rodeio. O espaço possui 7,4 mil assentos permanentes, 3,5 mil assentos no piso do estádio, 12 suítes de luxo, uma suíte para festas, além das seções de assentos retráteis que acomodam o público no palco, minimizando a perda de visão.

 

Existem também vestiários para equipes (com escritórios e chuveiros), cozinha para catering, placar eletrônico, elevadores, sistema de som e duas portas para facilitar o carregamento em lados separados do estádio.

 

Aproximação com o Brasil

 

O convite de Kissimmee aos principais representantes do rodeio brasileiro promete prospectar novos negócios e parcerias. No famtour realizado pelo Departamento de Desenvolvimento de Turismo do Condado de Osceola estão presentes o presidente da confederação nacional de rodeio, Roberto Vidal, o presidente da federação de rodeio do Estado de São Paulo, Leonardo Vidal, o presidente da TV Rodeio, Ney Macedo, e o presidente dos independentes da festa de peão de boiadeiro de Barretos, o maior rodeio do Brasil, Jerônimo Luiz Muzetti. Para o gerente do Condado de Osceola, Don Fischer, a ênfase ao País é importante para aumentar o evento e também o turismo. “Nossa comunidade leva muito em consideração a união de diferentes nações. O rodeio é o único esporte baseado em ação real, e a história envolvida, já que acontece há muitas gerações, o torna maior ainda. Como o Brasil hospeda rodeios importantes, era primordial que fizéssemos uma aproximação com os principais responsáveis. O resultado do turismo – a partir do evento – também foi bem satisfatório, já que temos muitos atrativos. A proximidade com o Walt Disney Resort nos torna capazes de atrair visitantes – que podem passar um dia na região e outro nos parques, ou até fazer as duas coisas no mesmo dia”, disse.

 

Fischer também contou ao Brasilturis Jornal que, no momento, está preparando um plano de incremento na atração de brasileiros. “Vamos divulgar e disseminar mais ainda nossas atrações por meio de ações de marketing. O investimento que girava em torno de US$ 6 mil agora ficará entre US$ 50 mil e US$ 100 mil”, contou. Além disso, o executivo também trabalha em inovações no evento. Neste ano, a novidade consiste na instalação de televisores na sala de festas privadas. Dessa forma, é possível assistir ao rodeio de dentro do espaço, que fica no térreo, fora da arena, e abriga mesas, cadeiras, bar e buffet.

 

Informações: silverspursrodeo.com

 

 

Priscila Ferraz de Mello








Curtir isso:

Deixe uma resposta