Embratur prospecta cruzeiros internacionais em visita aos EUA

Em equipe, o diretor-presidente Gilson Machado Neto embarcou para os Estados Unidos nesta semana para cumprir agenda
Embratur
Gilson Machado, presidente da Embratur (Foto: Felipe Lima)

Em missão nos EUA, Gilson Machado Neto, diretor-presidente da Embratur, fomenta o mercado de cruzeiros internacionais para o Brasil. A comitiva da agência iniciou o primeiro compromisso do ano no exterior, conhecendo a estrutura da Carnival Corporation.

Com sede em Miami, a empresa é uma das maiores no ramo de cruzeiros marítimos e, assim, é um dos objetivos da Embratur. A ideia com a aproximação, portanto, é capitanear grandes armadoras norte-americanas para operar no Brasil.

De acordo com Gilson Machado Neto, o aumento da operação de cruzeiros marítimos no Brasil é um dos principais focos para 2020. “O número de cruzeiros caiu no País devido à legislação trabalhista brasileira envolvendo a operação dos navios. A meta da Embratur é recuperar o potencial turístico do segmento”, destaca.

Atuação da Embratur

A empresa

A Carnival tem 30 milhões de passageiros por ano, com ao menos sete navios do grupo no porto de Miami. A promessa, segundo os funcionários do grupo, é que 83 navios sejam produzidos até 2023.

O mercado

Na temporada 2019/2020 de cruzeiros marítimos no Brasil, há previsão de que a oferta de leitos cresça 6,3%. “Em 2018/19 e 2017/18, já tínhamos crescido 15%, então, acumulamos um crescimento de 36,3% nas últimas três temporadas aqui no Brasil”, comenta Neto.

O impacto econômico do setor de cruzeiros nos EUA foi de R$ 59 bilhões em 2018, enquanto no Brasil chegou a R$ 2 bilhões.


Leia Também:

Deixe um comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui